zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
O Estado do Pantanal - 21/08/2014 - 08h20

Anta foge do Cras e vira atração no Parque das Nações Indígenas




Por Luciana Brazil do Campo Grande News / Redação Pantanal News

 Quem mora em Campo Grande já não se surpreende mais ao ver capivaras, quatis e outros animais silvestres, como araras e tucanos. Mas encontrar o maior mamífero brasileiro andando “tranquilamente” pelo Parque das Nações Indígenas é uma cena rara.

Ontem (20) pela manhã, uma anta foi flagrada, por volta das 7 horas, cruzando a pista de caminhada do parque. Ela escapou do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), e já foi recapturada, mas antes disso teve seu momento de fama.

Segundo o médico veterinário Álvaro Cavalcanti, duas antas escaparam, mas ambas foram recapturadas. Para os biólogos, se o episódio não estivesse ligado a uma fuga, como foi o caso de hoje, seria realmente curiosa a aparição do animal.

“Temos anta em todo Estado, mas sabemos que não é comum a circulação dela em área urbana, como acontece com as capivaras. Os ecossistemas estão bem alterados, saindo do habitat natural para o antropizado, onde o homem faz uso de lavoura, uso de pastagem e tudo isso reduz o habitat da fauna. Mas acredito que se uma anta fosse vista na área urbana, a explicação seriam as áreas verdes que existem em torno da cidade, como áreas de proteção ambiental, além de matas remanescentes”, explicou a bióloga Silvia Gervásio.

A bióloga lembra que não há registro de antas nos Parques Estaduais da cidade, Mata do Segredo e do Prosa. Para Silvia, Campo Grande não é “vilã” neste processo, até porque não se trata de uma grande metrópole. “Temos várias áreas verdes na cidade e a fauna está circulando, por isso os casos de atropelamento”, disse a bióloga.

 

 

Um animal adulto pode pesar até 250 quilos. (Foto: Divulgação)Um animal adulto pode pesar até 250 quilos. (Foto: Divulgação)

De acordo com Sílvia, a anta não é um animal bravo, mas silvestre e que pode ter reações mais agressivas por tentar se defender. “Por ser um animal silvestre as pessoas não devem se aproximar. Ela grande e pesada”.

Herbívora, a anta fica escondida durante o dia nas matas e à noite deixa o esconderijo para pastar. “Ela gosta muito de banhos. Seu habitat natural são matas próximas à aguá”, explica a bióloga.

Uma anta adulta pode pesar até 250 quilos, o macho atingindo o tamanho máximo de 2 metros e a fêmea com 2,20 metros. Os pés traseiros têm três dedos e os dianteiros um dedo adicional. A anta pode viver até 35 anos. Odores e sinais acústicos são a base de seus meios de percepção.

Cras- Conforme o veterinário, o Cras está em reforma e as antas acabaram pulando a cerca interna de onde ficam. Como a cerca externa não está impedindo a passagem, por causa da obra, os animais conseguiram fugir. As antas pularam uma cerca interna que, segundo Álvaro, tem 1,10 metros de altura.

Uma delas foi recapturada antes de chegar ao Parque das Nações Indígenas. A anta, agora famosa, foi mais rápida e chegou ao parque. "Conseguimos captura-lá logo depois".

O veterinário fez questão de alertar que animais perigosos mantidos no centro, como onças, são mantidas em jaulas, o que elimina a possibilidade de fuga. No entanto, por duas vezes, em 2010 e 2011, uma onça fugiu do Cras em Campo Grande, por meio de um buraco feito por uma anta.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
17/05/2017 - 09h41
Cientistas desenvolvem alimentos processados de pescado pantaneiro
16/05/2017 - 14h17
Sete famílias deixam suas casas com início da cheia no Pantanal de MS
12/05/2017 - 09h50
Hidrovia do Rio Paraguai é tema de Road Show em Corumbá
04/05/2017 - 06h29
A palmeira que desponta como novo 'ouro verde' do Brasil
02/05/2017 - 12h05
'Banho de São João', de Corumbá, é selecionado para receber recursos do Ministério do Turismo
 
Últimas notícias do site
26/05/2017 - 12h16
Projeto prevê salas de amamentação em shoppings, aeroporto e igrejas
26/05/2017 - 11h48
Polícia Militar capturou quatro foragidos da justiça nos últimos dias
26/05/2017 - 10h59
PMA apreende meia tonelada de pescado e aplica R$ 33 mil em multas
26/05/2017 - 10h20
Fim de semana em MS tem eventos gratuitos na capital e no interior
26/05/2017 - 09h25
7º Batalhão da PM fecho o cerco contra assaltos à bancos
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.