zap
ANIVERSÁRIO CORUMBÁ 2017
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 20/12/2008 - 08h21

Projeto Rio-Mar: Jutaí – Fonte Boa




Por Hiram Reis e Silva (*)

Por Hiram Reis e Silva – Fonte Boa – Amazonas

 

 

“Há mais pessoas que desistem do que pessoas que fracassam”. (Henry Ford)

 

 

 

- Lauri Corso

 

O Romeu conheceu o gaúcho Lauri, apaixonado pela terra amazônica, funcionário do IBAMA, que agora faz parte de um grupo que coordena os trabalhos na Reserva extrativista de Jutaí. Jantamos no Restaurante Natureza, o Lauri contou sua experiência de vida e discorremos sobre temas ligados ao seu trabalho. Depois do jantar, fui até sua casa onde me mostrou sua bota de fibra de vidro, ainda em desenvolvimento, para evitar picadas de cobra.

- Largada para o Flutuante do Orlaney

Acordamos às 5h do dia 18 de dezembro e nossos amigos da Polícia Militar nos auxiliaram no carregamento do material dos caiaques. Passamos na casa do Lauri, que tinha prometido documentar nossa saída, e nos dirigimos ao Flutuante do Daniel, onde aportáramos nossos caiaques. Depois que nos ajudou a carregar a tralha, Lauri resolveu experimentar a navegação nas nossas embarcações. Tiramos algumas fotos e partimos por volta das 6h30.

 

- Primeira Parada

 

Remamos num ritmo forte e cadenciado, aproveitando a correnteza superior a 10 Km/h que nos permitiu desenvolver uma velocidade de 15 km/h. Depois de pouco mais de duas horas de navegação, paramos na margem oeste da Ilha da Guarida, próximo à casa de um ribeirinho. A viagem não apresentara, até então, nenhum fato relevante, nenhum golfinho, apenas um Tucanuçú sobrevoando a copa das árvores e o som dos pássaros saudando a alvorada. Para quebrar a monotonia e abrandar a saudade dos pampas passei a declamar, para mim mesmo, as poesias do augusto poeta do Rio Grande, Jaime Caetano Braum (Galo de Rinha, Amargo, Galpão de Estância, Quero-Quero, Negrinho do Pastoreio e Adaga).

 

- Segunda Parada

 

A Ilha da Guarida, em comparação com as fotografias do Google Earth, havia estendido um pouco sua extremidade de jusante e ao contorná-la nos deparamos diretamente com a entrada do furo Aramanduba. A meio curso do furo, por volta das 10h, paramos numa bela praia de areias muito brancas. Segundo meus cálculos, estávamos apenas há uns 6 Km do Flutuante de destino. Caminhei ao longo da praia procurando relaxar a musculatura e tirar algumas fotos daquela natureza pujante.

 

- Flutuante Oderley

 

Chegamos ao flutuante do Orlaney que leva o nome do filho Oderley, que morrera afogado há algum tempo. Fomos recebidos com a costumeira cortesia e, em seguida, convidados para degustar um saboroso peixe liso (peixe de couro). Após o almoço, tomamos as medidas de praxe e montamos a barraca no flutuante. A montagem em terra iria nos atrasar na saída. O Orlaney estava envolvido na colocação do forro do flutuante, buscando solucionar o problema do calor provocado pelo telhado de zinco e os mosquitos que infestam a região (carapanãs, miruins e piuns).

 

- Canoagem

 

Por volta das 17h, o Romeu iniciou as aulas de canoagem com o Orlaney e filhos. Foi um acontecimento único para aquelas crianças ilhadas em um flutuante nos confins da Amazônia. Novamente ficamos impressionados com a destreza daquelas criaturinhas ‘anfíbias’. O equilíbrio e a facilidade com que aprendem a manejar o remo duplo do caiaque são impressionantes.

 

- Heróis Anônimos

 

É estranho verificar que estas pessoas, que vivem em condições tão adversas nos confins da floresta, achem nossa aventura um desafio de titãs. Heróis anônimos, titãs da terra das águas são eles que, apesar de enfrentar todos os rigores de uma natureza hostil, não se dobram, não esmorecem. As políticas públicas, tão benevolentes com a população indígena, subsidiadas por capitais estrangeiros, não os atinge. Sobrevivem graças à sua estirpe heróica e viril e a sua capacidade de trabalhar em regime de mutirões dentro da mais legítima convivência cristã. Em conjunto, irmanados pela mesma determinação de seus antepassados, enfrentam todo tipo de adversidade imposta pela selva e pelas águas. Queremos deixar aqui registrado o nosso preito de admiração e respeito pela população ribeirinha do Solimões que, apesar de possuir tão poucos bens, nos apóia quando aportamos em suas pequenas aldeias, numa prova irrefutável do espírito cristão que os anima.

 

- Luz Elétrica

 

O flutuante possui um pequeno gerador a gás que funciona do entardecer até o final da novela preferida da dona da casa e de seus filhos. Jantamos, desta vez um tambaqui e, depois de assistir o jornal, nos recolhemos, pois pretendíamos sair antes do alvorecer.

 

- Largada para a Fonte Boa

 

Não foi uma noite repousante. Os mosquitos zumbiam do lado de fora da barraca sem nos incomodar, em compensação, os holofotes dos ‘motores’ que passavam nos focaram a noite inteira. Parece que os vigias dessas embarcações estavam mais preocupados em vislumbrar as intimidades dos ribeirinhos do que se precaver de embarcações ou troncos que venham em rota de colisão.

 

Partimos às 5h15 do dia 19 de dezembro e, sem muita dificuldade, apesar das nuvens que bloqueavam a luz das estrelas e da lua que nascera há pouco mais de 2 horas, conseguimos achar a entrada do furo Tarara. O Tarara é tortuoso e lento e levamos mais de 2 horas para percorrê-lo. O ritmo que imprimíamos era cadenciado, pois tínhamos plena consciência de que os quase 70 Km que nos separavam de Fonte Boa exigiriam muito de nossas forças.

 

- Primeira Parada

 

A primeira parada às 7h30, na confluência do Tarará com o Solimões, foi rápida em virtude da ofensiva dos carapanãs. Só cessaram o ataque quando fiz uso do mau-cheiroso sabonete de alcatrão doado pelo amigo Oscar Luís

 

- Alterando a Rota

 

A partir desse ponto, o rio inflete para o sul numa grande alça. O amigo Antonio Carlos, em Jutaí, havia nos aconselhado a manter a margem direita para evitar erros de percurso. Seguir a orientação facilitaria a navegação em virtude das ilhas existentes na ponta sul da península, mas, em compensação, aumentaria o percurso em aproximadamente 7 km, um luxo que eu não estava em condições de negociar. As pequenas ilhas com vegetação eram representadas bastantes desatualizadas pelo mapa do Google Earth como enormes bancos de areia.

 

- Segunda Parada

 

Avistamos a primeira ilha próxima à ponta, na margem esquerda do rio e aportamos numa magnífica e extensa praia. Estiquei as pernas fazendo uma boa caminhada e tirando algumas fotos dos enormes troncos arrastados para aqueles bancos na época das cheias numa fantástica demonstração de força.

 

- Chuva Amazônica

 

Partimos com chuva e decidi, mesmo assim, manter a rota alternativa, para ganhar tempo. Diminuímos a distância entre os caiaques e me aproximei das margens das ilhas por causa da baixa visibilidade. Adaptei novamente o percurso, buscando uma ilha que me permitisse continuar comparando a fotografia aérea com o terreno, embora isso fizesse aumentar um pouco o percurso.

 

- Dinâmica da Natureza

 

Era impressionante verificar que os enormes bancos de areia reproduzidos nas fotos haviam se transformado em ilhas de vegetação luxuriante. Precisei viajar no tempo para poder comparar a foto com o terreno. A predominância de imbaúbas nessas ilhas era a prova de que eu precisava de sua formação recente. As ilhas haviam, também, estendido significativamente suas porções terrestres à jusante da correnteza e com muita imaginação conseguimos, sem maiores problemas, chegar ao furo Cajaraí.

 

- Frigorífico Pescador

 

No extremo norte do Cajaraí ancoramos no Frigorífico Pescador. Imediatamente, procuramos o administrador senhor Sabá Franco, indicado pelo amigo Álvaro Cabral, de Tonantins, como um contato importante em Fonte Boa. O Romeu navegou com uma das funcionárias do frigorífico pelo Furo Cajaraí e depois fomos almoçar um tucunaré cortesmente oferecido pelo Sr. Sabá. Sabá fez um contato, a meu pedido, com a dona do Hotel Eliana que assegurou um razoável desconto na diária.

 

- Polícia Militar

 

Fizemos, como de praxe, contato com a Polícia Militar para levar nosso material até o hotel e tivemos uma desagradável surpresa ao chegar ao nosso destino. O carro era um táxi que cobrou 15 reais pela corrida.

 

- Rádio Cabloca FM

 

Depois do banho, saímos para tomar um sorvete e procurar a rádio da cidade onde concedemos uma prévia da entrevista agendada para as doze horas do dia seguinte. Logo após o Romeu foi estabelecer alguns contatos telefônicos e eu fui até a única lan house da cidade. Iniciei o upload dos arquivos e concomitantemente conversei com minhas filhas Vanessa e Danielle e os amigos Araújo e Rosangela, quando sobreveio um Black out. Fui, então, para o hotel arrumar meus pertences e me preparar para o dia seguinte.

 

- Novo Black-Out

 

Acordamos ainda com falta de luz, redigi o artigo enquanto aguardava a volta da energia e o Romeu foi até o frigorífico dar aulas de canoagem para o filho do Sabá, o menino João. Deixei o computador da lan house reservado, subindo as fotos e, às 11h45min, fui até a Rádio Cabocla FM. Novamente a ‘comunicação’ amazônica estava presente. Fomos informados que aquele horário era evangélico e que só à uma hora da tarde seria possível. Fiz os contatos necessários e deixei um aviso para o Romeu no hotel e voltei para a lan house. Como passei o dia inteiro envolvido com a atualização dos artigos e uploads das fotos, o Romeu fez uma bela entrevista na Rádio local, que durou mais de uma hora. Por volta das 17h fui até o Hotel Eliana para almoçar. Embora tenha permanecido sentado o dia todo, estou cansado, pois esqueci de me alimentar até agora. A refeição foi ótima, pirarucu com arroz e feijão.

 

- Tour em Fonte Boa

 

Contratei um moto-táxi e saímos para fotografar a cidade e arredores. A cidade é nova, sua arquitetura histórica foi toda perdida, pois na década de 70 toda a parte antiga foi arrasada pelo Solimões. Às dez horas me dirigi à casa do professor Humberto Ferreira Lisboa, autor do livro ‘Fonte Boa – chão de heróis e fanáticos’, que concedeu uma entrevista bastante interessante. Discorremos sobre diversos assuntos relativos à história e geografia da região e, em seguida, dirigi-me à lan house.

 

 

 

(*) Coronel de Engenharia; professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA); membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (AHIMTB); presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS)

 

 

Rua Dona Eugênia, 1227

 

 

Petrópolis - Porto Alegre - RS

 

 

90630 150

 

 

Telefone:- (51) 3331 6265

 

Site:

http://www.amazoniaenossaselva.com.br

E-mail: hiramrs@terra.com.br

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
04/09/2017 - 09h11
3ª Etapa da Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (Parte III)
04/09/2017 - 09h06
3ª Etapa da Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (Parte II)
04/09/2017 - 09h01
3ª Etapa da Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (Parte I)
28/07/2017 - 16h47
Chapéu Bandeirante
24/07/2017 - 09h01
Atentado à Vida de Plácido de Castro
 
Últimas notícias do site
20/09/2017 - 17h12
Vídeo: Ministro oficializa migração de 23 rádios da frequência AM para FM
20/09/2017 - 17h00
Vídeo: Ministro assina documento que autoriza migração de rádios AM para FM em MS
20/09/2017 - 16h40
Blairo Maggi vem a MS para inaugurar frigorífico de jacarés em Corumbá
20/09/2017 - 16h10
Greve nos Correios inicia com paralisação em 25 municípios de MS
20/09/2017 - 16h01
Com clássicos da MPB, Padre Fabio de Melo faz show acústico em MS
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.