zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 19/12/2008 - 10h28

Os pedregulhos




Por Luciano Pires (*)

Brasileiro adora crise. Se não está no meio de uma, está especulando quando chegará a próxima. Que por sinal, será a definitiva, a maior de todas, o Juízo Final.

Perguntado sobre como vejo a crise, contei mais uma das muitas histórias da minha viagem ao Campo Base do Everest, que tantas lições me trouxe.

Quando viajei para lá em 2001, tive a precaução de marcar a viagem com um ano de antecedência, assim teria tempo de sobra para me preparar. Todos diziam que a viagem ao Everest era noventa por cento cabeça e que, se eu me preparasse para enfrentar os desconfortos psicológicos, teria grandes chances de ser bem sucedido. Assim, passei um ano fazendo minha cabeça. Quando embarquei para o Nepal eu estava mentalmente preparado para enfrentar uma avalanche de neve ou cair numa fenda sem fundo no gelo. Para tomar um tombo de três mil metros ou enfrentar os guerrilheiros maoístas. Para encarar uma comida que destrói os delicados estômagos ocidentais...

Pois sabe o que aconteceu? Nenhum dos problemas que ocuparam minha mente durante aqueles doze meses aconteceu!

Tinha avalanche? Claro que sim. Mas não iríamos até as áreas de risco. Tinha fendas no gelo? Sim. Mas não chegaríamos até o local onde elas estavam. Era perigoso cair da montanha? Claro! Mas a trilha era cuidadosamente escolhida para minimizar os riscos. Os guerrilheiros maoístas estavam lá? Sim. Mas não na região por onde seguiríamos...

Sabe qual foi o grande problema que quase acabou com minha viagem?

Os toaletes do Everest.

Não sei como é com você, mas eu trato a ida ao banheiro como um momento quase espiritual, de reflexão, relaxamento e contemplação. Quero conforto, iluminação, música e ventilação. Aqueles toaletes do Everest - pequenas casinhas de pedra, com um buraco no chão, sem ventilação, sujas e desconfortáveis - eram um inferno! Dava vontade de ir ao banheiro, mas quando entrava neles não tinha jeito. A vontade passava... Os toaletes do Everest foram o maior e pior problema. Mas me deram uma lição valiosa.

Naqueles doze meses em que fiz a cabeça para os grandes problemas, não dediquei um segundo a pensar nos toaletes. Afinal, tinha tanto problema imenso que “ir ao banheiro” parecia coisa banal...

Quando voltei, contei essa história para um amigo budista que disse:

- Luciano, ninguém tropeça em montanhas. A gente tropeça em pedregulhos...

E então eu respondo como vejo a crise: do jeito que aprendi a ver minha viagem...

O petróleo subiu é? O petróleo caiu? O banco quebrou? Os juros subiram?

Cada um desses grandes acontecimentos está aí, como uma avalanche ou a fenda no gelo ou os guerrilheiros maoístas. Mas temos que continuar a caminhar, não podemos simplesmente voltar para casa, não é?

E daí? O que é que eu posso fazer a respeito? Primeiro tenho que conhecer a trilha. Entender o contexto, as áreas de risco e os problemas que podem acontecer. Depois tenho que montar meu plano. Se tem avalanche aqui, vamos por ali. E por fim botar na cabeça que para vencer a trilha a gente tem que andar sempre, um passinho de cada vez, pequeno, constante, sistemático. Parar não é solução. A gente congela...

Enquanto estamos preocupados com os grandes problemas sobre os quais temos nenhuma influência, a vida está correndo. As oportunidades passando. Enquanto estamos de olho nas montanhas, são os pedregulhos espalhados pelo caminho que vão ameaçar a caminhada.

Contemple as montanhas. Mas tome cuidado com os pedregulhos.

(*) Luciano Pires é jornalista, escritor, conferencista e cartunista. Faça parte do Movimento pela Despocotização do Brasil, acesse www.lucianopires.com.br.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/05/2017 - 09h01
Heraldo Pereira e Bosco Martins: um breve reencontro entre amigos
04/05/2017 - 14h30
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte VI
02/05/2017 - 11h08
O poeta de Sobral
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
 
Últimas notícias do site
29/05/2017 - 09h37
Fim de semana marcado pela prisão de condutores embriagados
29/05/2017 - 07h55
PMA prende dois por pesca predatória e por porte ilegal de pistola e munições
29/05/2017 - 07h30
Conab mostra uso de geotecnologia de safras em simpósio de sensoriamento remoto
29/05/2017 - 07h09
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
29/05/2017 - 06h46
Sisu abre hoje inscrições para o segundo semestre
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.