especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Aldeias do Pantanal - 16/09/2013 - 10h08

Funai institui grupo para avaliar fazendas ocupadas por índios em MS

Portaria foi publicada na edição desta segunda-feira (16) do DOU. Grupo vai vistoriar fazendas inseridas dentro da terra indígena Buriti.




Por G1 MS/Redação Pantanal News

A Fundação Nacional do Índio (Funai) constituiu um grupo técnico para vistoriar e levantar as benfeitorias nas propriedades rurais inseridas dentro da terra indígena Buriti, localizada nos municípios de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti, a 70 e 113 km de Campo Grande, respectivamente. A portaria foi publicada na edição desta segunda-feira (16) do Diário Oficial da União (DOU).

Segundo o texto, o grupo de trabalho será composto por dois engenheiros agrônomos, dois técnicos em agricultura e pecuária, um analista de sistema e um agente em indigenismo.

Os servidores terão 30 dias para a execução da vistoria e do levantamento, além da apresentação dos resultados da avaliação. Ainda segundo a publicação, o prazo será contado a partir da próxima segunda-feira (23).

A portaria, assinada pela presidenta interina da Funai, Maria Augusta Boulitreau Assirati, destaca que o trabalho do grupo técnico está inserido nas ações prioritárias do órgão. As despesas para a execução do trabalho serão pagas pelo Programa de Proteção e Promoção dos Direitos dos Povos Indígenas, Ação de Delimitação, Demarcação e Regularização de Terras Indígenas.

Tensão
Desde a 
morte de um índio, ocorrida durante o cumprimento de uma reintegração de posse na fazenda Buriti, em Sidrolândia, no dia 30 de maio, comissões foram criadas pelo governo federal para tentar dar fim ao conflito. A compra das propriedades rurais, tendo a região da terra indígena Buriti como prioridade, foi ventilada como principal proposta, mas ainda não foi concretizada.

Uma das alternativas levantadas pelas comissões e pelo governo federal, é a utilização de Títulos da Dívida Agrária (TDAs) para comprar terras do governo do estado, que, por meio destes títulos, indenizaria produtores rurais em áreas que seriam devolvidas às comunidades indígenas.

Outra alternativa é a utilização de propriedades do tráfico de drogas. A proposta é que as fazendas confiscadas pelo governo federal sejam transferidas como indenização para os fazendeiros que tenham áreas demarcadas como terra indígena. No dia 11 de setembro, 
o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, instituiu um grupo de trabalho para identificar as propriedades utilizadas para o tráfico de drogas em Mato Grosso do Sul.

Cenário
A fazenda Buriti está em área reivindicada pelos índios em um processo que se arrasta há 13 anos. A terra indígena Buriti foi reconhecida em 2010 pelo Ministério da Justiça como de posse permanente dos índios da etnia terena. A área de 17,2 mil hectares foi delimitada, e a portaria foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).  Até hoje a Presidência da República não fez a homologação. O relatório de identificação da área foi aprovado em 2001 pela presidência da Funai, mas decisões judiciais suspendem o curso do procedimento demarcatório.

Em 2004, a Justiça Federal declarou que as terras pertenciam aos produtores rurais. A Funai e o Ministério Público Federal recorreram. Em 2006, o Tribunal Regional Federal modificou a primeira decisão e declarou a área como de ocupação tradicional indígena. Produtores rurais entraram com recurso e conseguiram decisão favorável em junho de 2012.
 

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
26/10/2017 - 07h05
MS: Cestas de alimentos beneficiam 2.855 mil famílias indígenas
05/05/2017 - 16h18
Campanha de vacinação dos povos indígenas 2017 começa nesta sábado
23/03/2017 - 10h58
Mato Grosso do Sul: Indígenas recebem cestas de alimentos da Conab
09/02/2017 - 10h14
Presidente nacional da Funai visita Dourados e áreas de conflito em MS
23/01/2017 - 07h27
Mitologia dos índios Guaranis vai representar o Brasil no Festival de Berlim
 
Últimas notícias do site
19/01/2018 - 15h00
Agenda Cultural: fim de semana está repleto de opções com samba, rock, pop e funk
19/01/2018 - 13h00
Inmet alerta para chuvas intensas e ventos de até 100 km por hora em MS
19/01/2018 - 08h32
Fazendeiro é autuado em R$ 159 mil por desmatamento ilegal
19/01/2018 - 07h35
Carnaval de Corumbá terá Axé Blond, Revelação e baterias da Mangueira e Gaviões da Fiel
19/01/2018 - 07h10
Carnaval de Corumbá: atrações tem até hoje para realizar cadastro
 

88

ZAP NOVO
Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.