TRANSPARENCIA GOV DEZ
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 13/06/2013 - 10h43

Parque Nacional da Chapada dos Guimarães convive com pressões e desafios




Por Agência Brasil/Redação Pantanal News

Brasília – Em mais de 32,6 mil hectares formados por gigantescas esculturas de pedra, próximo a Cuiabá (MT), se localiza um dos destinos de ecoturismo mais procurados no mundo. Apesar de toda a beleza formada por sítios arqueológicos, onde já foram encontrados ossos de dinossauros, e por quedas d´água como o Véu de Noiva, com 86 metros de altura, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães convive, nos limites exteriores, com as pressões produzidas pela atividade agrícola, por rodovias e pela constante ameaça de queimadas.

No interior da unidade, os agentes ambientais enfrentam outro desafio. O parque, criado em 1989, ainda disputa a posse de mais de 82% de seu território. De acordo com o plano de manejo, apenas 5,6 mil hectares estão regularizados (17,37%), 6 mil hectares (18,47%) em fase de regularização e quase 21 mil hectares (64,16%) são reivindicados por particulares.
 
“Áreas importantes para a visitação no parque, como as cachoeiras Véu de Noiva e Cachoeirinha, enfrentam problemas com a ocupação de restaurantes”, exemplificou a analista ambiental Carolina Pötter de Castro, chefe substituta do parque nacional (Parna), responsável pelas visitações na unidade. Segundo ela, os processos tramitam há anos na Justiça. “Ganhamos em todas as instâncias, mas os ocupantes sempre recorrem. A questão vai acabar sendo decidida só no STF [Supremo Tribunal Federal], o que vai levar mais tempo ainda”, lamentou.
 
A questão, para os administradores da Chapada dos Guimarães, é que a consolidação efetiva da unidade depende da regularização fundiária da área. “Com a regularização, poderemos atuar melhor na fiscalização, visitação, concessão, pesquisa, recuperação e no manejo em geral no parque”, avaliou Carolina Pötter.
 
Com a aprovação do plano de manejo, em 2008, a regularização do território poderia impulsionar as ações já em implantação pelos analistas, como intensificar as visitas à área e criar novos atrativos para o público. No bioma Cerrado, o Parque da Chapada dos Guimarães é um dos 12 que têm plano de manejo elaborado. Mais duas unidades da mesma categoria não contam com o documento, os parques das Nascentes do Rio Parnaíba e o da Chapada das Mesas.

O Parque das Nascentes do Rio Parnaíba é a maior unidade de conservação que existe hoje no Cerrado, com quase 730 mil hectares que passam pelas divisas dos estados do Maranhão (46,2%), Piauí (35,8%), Tocantins (14,6%) e da Bahia (3,4%), abrangendo nove municípios na região.
 
“A unidade tem manancial hídrico muito grande e de fundamental importância para a sua preservação, além de atrativos turísticos, como cachoeiras, veredas, contemplação da natureza”, descreveu Cristiana Castro Lima Aguiar, analista ambiental que atua na unidade.
 
Apesar da riqueza da biodiversidade encontrada no parque, mais de dez anos depois da sua criação a unidade ainda não foi demarcada. O processo está em fase final e só quando estiver concluído serão colocados os marcos e as placas de sinalização.

“Além da demarcação, estão sendo feitos o cadastro de populações, o levantamento socioeconômico e as atividades de educação ambiental”, disse a analista.
 
Essas informações devem contribuir para a regularização fundiária da unidade, que ainda não foi iniciada por pendências de documentos dos proprietários de terras que já deram entrada com pedido de indenização. “A regularização é um processo mais demorado, devido à burocracia de comprovação documental e disponibilização de recursos para esse fim, mas é uma ação continuada”, explicou Cristiana Aguiar, evitando especular sobre prazos para a conclusão do processo.

O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense é a única unidade de conservaçãoo dessa categoria no bioma Pantanal. Criado em 1981, o parque ocupa área de 135,6 mil hectares, abrangendo os municípios de Cáceres (MS) e Poconé (MT). O plano de manejo de 2003 aponta a existência de diversas espécies ameaçadas no território, como o cervo-do-pantanal, gato-maracajá, tamanduá-bandeira, tatu-canastra e a onça-pintada.

Agência Brasil tentou conversar com o chefe do parque, José Augusto Ferraz de Lima, que estava em uma unidade onde não é possível fazer contato por telefone.

 

Edição: Marcos Chagas

 

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
15/12/2017 - 16h02
Veado e tatu são resgatados e devolvidos a natureza
15/12/2017 - 12h01
PMA autua proprietário rural por armazenamento ilegal de embalagens de agrotóxicos
11/12/2017 - 07h05
PMA de Aquidauana realiza Educação Ambiental para alunos e professores indígenas
01/12/2017 - 07h52
Após ser atropelado, tamanduá-bandeira é resgatado de rodovia
24/11/2017 - 07h52
Pecuarista é multado por exploração e uso ilegal de madeira
 
Últimas notícias do site
15/12/2017 - 16h34
Acumulada, Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 39 milhões neste sábado
15/12/2017 - 16h02
Veado e tatu são resgatados e devolvidos a natureza
15/12/2017 - 12h35
Comandante e Subcomandante da PMA de Corumbá são homenageados
15/12/2017 - 12h01
PMA autua proprietário rural por armazenamento ilegal de embalagens de agrotóxicos
15/12/2017 - 10h56
Fazendeiro é autuado por armazenamento ilegal de madeira
 

zap

88

ZAP NOVO
Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.