zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Energia - 25/01/2013 - 09h37

Luz Para Todos atendeu 14,7 milhões de pessoas




Por Redação Pantanal News/Governo Federal

Nova meta é atingir 715,9 mil famílias até 2014

O Luz Para Todos (LpT) já atendeu a 3,2 milhões de famílias no meio rural brasileiro, levando o benefício da energia elétrica a cerca de 14,7 milhões de pessoas, de Norte a Sul do Brasil, segundo o mais recente levantamento da coordenação do Programa, na Secretaria de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia (MME).

Para atender a mais 715,9 mil famílias sem energia, identificadas no Censo de 2010, o programa foi mantido até 2014. De janeiro de 2011 a dezembro de 2012, o programa já atendeu, daquele total, 367,9 mil domicílios. Das 257 mil famílias que vivem em áreas prioritárias no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria, 130,8 mil (51%) já receberam luz em casa.

Inclusão - O LpT foi criado em novembro de 2003, a partir da constatação, no  Censo 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da existência de 2 milhões de famílias na zona rural sem energia elétrica. O Censo mostrou também que essas famílias estavam localizadas em áreas de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e com grande parcela da população abaixo da linha da pobreza e cerca de 90% dos entrevistados pelo Censo de 2000 possuíam renda familiar inferior a três salários mínimos.

Destinado a combater a exclusão elétrica, o programa, na avaliação do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, tem proporcionado a essas populações mais do que o conforto da eletricidade em casa. “Utilizada de forma produtiva, a energia tem atuado como vetor de desenvolvimento econômico e social nas comunidades atendidas, contribuindo para a redução da pobreza e da fome”, avalia o ministro.

Consumo - Com a  chegada  da energia elétrica, milhões de brasileiros passaram a desfrutar de melhorias na sua condição de vida, bem como na comunidade promovida pela geração de renda e avanço na movimentação da economia. Pesquisa coordenada pelo MME mostra que 79,3% das famílias que receberam a energia do LpT compraram aparelhos de televisão (2,3 milhões de aparelhos); 73,3%, adquiriram geladeiras (2,2 milhões de unidades); além de bombas d'água (24,1%) e outros utensílios de primeira necessidade.

A pesquisa também identificou a melhoria nas escolas: 40,7% dos entrevistados responderam que agora, com a energia elétrica, poderiam estudar à noite em escolas iluminadas. E que 22,1% percebiam que os postos de saúde ficariam melhores pela possibilidade de conservar vacinas, soros, medicamentos que só encontravam antes na cidade. “Ao longo dos anos , o programa consolidou-se como um exemplo bem sucedido de políticas públicas, que promove o resgate da dignidade e a conquista da cidadania”, observa o secretário de Energia, Ildo Grudtner.

Energia chega a comunidades remotas com novas tecnologias

As comunidades remotas, isoladas e de difícil acesso, especialmente as da Amazônia, são atendidas com uso de critérios técnicos  e  financeiros diferenciados e novas tecnologias, como o uso de fontes  alternativas de energia elétrica. Outro avanço técnico são os cabos subaquáticos que possibilitam a travessia até as ilhas fluviais e marítimas. Nas obras do LpT já foram utilizados 59 mil metros de cabos, além de 15 mil postes fabricados com resina de poliéster reforçada com fibra de vidro. Os postes pesam cerca de 100 quilos, 10% do peso do poste de concreto, podendo ser transportado por 2 pessoas.

Comunidades remotas da Amazônia, como Novo Airão, Eirunepé, Beruri, Barcelos, Autazes e Maués, no Amazonas, Araras Grande Sul, Araras Pequena, Araras Grande Norte e Arara Micro, localizadas no município de Curralinho, na ilha do Marajó, no Pará, e Ilha Grande ,no município de Humberto de Campos, no Maranhão, são atendidas com energia produzida por miniusinas fotovoltaicas distribuídas por minirredes.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
09/12/2013 - 09h57
Agência inicia em MS fiscalização de brinquedos e luminárias de Natal
17/10/2013 - 17h30
Horário de verão vai gerar economia de R$ 400 milhões, diz ONS
23/03/2013 - 08h05
No dia mundial da água jovens conhecem eletrodomésticos que preservam mananciais no consumo de energia
21/03/2013 - 15h37
Versão atualizada da cartilha Por Dentro da Conta de Luz
21/03/2013 - 14h05
Energia mensal de duas casas usa 1,5 milhões de litros de água
 
Últimas notícias do site
17/11/2017 - 16h03
Viralizou: cachorrinho 'penetra' na balada é a imagem mais fofa que você vai ver hoje
17/11/2017 - 10h18
Fim de semana tem sertanejo, funk, comédia e teatro
17/11/2017 - 07h53
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
17/11/2017 - 07h44
Proprietários rurais são autuados por manterem carvoarias ilegais
17/11/2017 - 06h14
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.