zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Emprego - 01/11/2012 - 16h21

Cadeia produtiva do caju gera 300 mil empregos no Nordeste




Por Redação Pantanal News/Governo Federal

Iniciativa garante ampliação da renda dos produtores

Com uma geração de mais de 300 mil empregos na região Nordeste, a cadeia produtiva do caju tem merecido atenção especial da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf): foram cerca de R$ 16 milhões investidos no Arranjo Produtivo Local (APL) do caju nos últimos anos, mais R$ 4 milhões até o final de 2012. “Em época de grande produção, a gente consegue uma renda mensal de até R$ 900. Dá pra sobreviver”, conta Nivaldo da Rocha Ferreira, morador de Picos (PI), que trabalha, desde 1998, como enxertador e selecionador em um viveiro de mudas de caju.

A estruturação dessa atividade produtiva vem sendo promovida, como alternativa de inclusão econômica e social, numa parceria entre o Ministério da Integração Nacional (MI), o governo do Piauí, outros órgãos públicos e a iniciativa privada. “Antes a vida era difícil. Hoje, tenho casa própria graças a esse trabalho”, diz Ferreira. A atividade é a principal fonte de sustento da sua família. Além dele, mais três irmãos trabalham na produção e plantio de mudas.

“O Piauí ocupa o segundo lugar na cajucultura no Brasil, com cerca de 180 mil hectares de cajueiros plantados. São cerca de 55 municípios em que predomina a cultura do caju, onde centenas de famílias se beneficiam dessa atividade”, afirma Aurino Antônio Nunes Guimarães, produtor e presidente da Câmara Setorial da Cajucultura do Estado do Piauí.

Indústria - A grande variedade de formas de aproveitamento do caju confere à cajucultura um destaque na economia do Piauí. No estado, especialmente na microrregião de Picos (a 310 km de Teresina), a atividade é a principal responsável pela geração de emprego e renda, seja por meio do plantio, colheita e processamento da polpa (pedúnculo) para produção de sucos, além do beneficiamento da castanha (verdadeiro fruto).
Como a maioria das plantações de cajueiro comum (gigante) encontra-se na fase final de seu ciclo de produção, a cultura tradicional vem dando lugar à produção de mudas de cajueiro anão precoce. Essa atividade está em expansão e tem obtido resultados muito positivos, devido a maior resistência de variedades à seca. Além de melhorar a produtividade, a produção de mudas de cajueiro tem gerado novas frentes de trabalho.

Cooperativa - A Cocajupi é um bom exemplo do potencial da cajucultura para geração de emprego na região. Atualmente, a entidade conta com 450 cooperados, correspondendo a quase duas mil pessoas beneficiadas, num raio de atuação que envolve nove municípios (Francisco Santos, Monsenhor Hipólito, Campo Grande, Vila Nova, Jaicós, Ipiranga, Altos, Itainópolis e Pio IX). “O produtor cooperado traz a castanha já pré-selecionada”, descreve Luiz Eduardo, gerente da Cocajupi. A Cooperativa faz a identificação, pesagem e revisão por amostragem para verificar se o produto está dentro dos padrões de classificação. Depois é feita a torrefação, embalagem e venda do produto.

Os produtores cooperados reconhecem a importância do trabalho conjunto. “Se não fosse a Cooperativa, estaríamos vendendo para atravessadores, o que não é vantagem pra gente”, explica Luiz José da Silva, produtor de caju e presidente da Cooperativa Mista Agroindustrial de Francisco Santos. A união de esforços tem gerado bons frutos. Atualmente, a entidade reúne 20 produtores, cuja renda mensal, em época de safra, chega a aproximadamente R$ 900 por mês. “Sou cooperado há mais de 10 anos”, conta o produtor. Além dele, todos os adultos da sua família trabalham com caju.

No caso da bacia do Parnaíba, especificamente no Piauí, a Codevasf conta com experiências exitosas no apoio a cultura do caju, como: a oferta de cursos sobre as tecnologias para a cajucultura; seleção, cadastramento, fornecimento de mudas e acompanhamento do produtor; estruturação agroindustrial da cadeia, por meio da construção de unidades de conservação e beneficiamento do pseudofruto.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
19/04/2017 - 16h55
Nota Oficial- Superintendência Regional do Trabalho em Campo Grande
11/04/2017 - 09h41
Tribunal Regional Eleitoral continua com inscrições para 24 vagas de estágio
04/01/2017 - 10h05
Governo abre 12 vagas em processo seletivo com salários de R$ 3,9 mil
14/12/2016 - 08h18
Ministério de Trabalho realiza mutirão de atendimento em 8 cidades de MS
25/11/2016 - 07h31
UFMS abre no dia 29 inscrição de processo seletivo para 12 vagas
 
Últimas notícias do site
27/04/2017 - 15h06
Rádio Independente de Aquidauana recebe "Moção de Congratulação" do deputado estadual Paulo Siufi por processo de migração para FM
27/04/2017 - 15h03
Em MS, 27% dos contribuintes ainda não entregaram declaração do IR 2017
27/04/2017 - 07h10
Chuva em municípios de MS passou dos 50 mm e derrubou temperaturas
27/04/2017 - 06h31
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
27/04/2017 - 06h24
No primeiro frio do ano, quinta-feira amanhece com mínima de 9°C em MS
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.