TRANSPARENCIA GOV DEZ
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Aldeias do Pantanal - 12/09/2012 - 08h37

Índios terão cursos específicos de capacitação no Pronatec Brasil Sem Miséria




Por Redação Pantanal News/Karina Lima-Notícias.MS

Solange Mori

Campo Grande (MS) - Índios de Dourados e Sidrolândia, em Mato Grosso do Sul, serão os primeiros em todo o País a participar de cursos de capacitação criados especificamente para eles. O desemprego na região, sobretudo por causa da mecanização da lavoura de cana-de-açúcar, fez com que as lideranças reivindicassem a qualificação por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Brasil Sem Miséria). Os primeiros cursos devem começar em outubro.

 

Os indígenas estão fazendo o levantamento, nos dois municípios, sobre as principais necessidades dos grupos, que serão encaminhadas ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), coordenador do Brasil Sem Miséria. Em todo o Estado existem 73 comunidades indígenas, que abrigam 71 mil pessoas. Estima-se que pelo menos 10 mil deles trabalhavam com o corte da cana-de-açúcar no Estado.

 

O Pronatec Brasil Sem Miséria é uma parceria do MDS com o Ministério da Educação (MEC), destinado a pessoas acima de 16 anos que estejam no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal ou em processo de cadastramento e sejam extremamente pobres.

 

As aulas são ministradas por instituições de reconhecida qualidade no ensino técnico e tecnológico, como as unidades do chamado Sistema S (Senac, Senar e Senai) e a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. A qualificação é gratuita e os beneficiários recebem alimentação, transporte e material escolar.

 

Apenas em Mato Grosso do Sul, atualmente são 14,4 mil famílias inscritas no Cadastro Único ou seja, público potencial desses cursos.

 

Metodologia

 

O Pronatec Brasil Sem Miséria ofereceu este ano mais de 300 mil vagas em cerca de 200 cursos em todo o País. Até o momento, não há qualificação específica alguma para as comunidades formadas por índios. Segundo o diretor de Inclusão Produtiva Urbana do MDS, Luiz Müller, os cursos terão metodologia específica para o público indígena, com uma forma diferenciada de acolhimento dos alunos. Não vamos mudar os critérios para capacitar, por exemplo, um pedreiro, mas o modo de trabalhar com os alunos.

 

A secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social de Mato Grosso do Sul, Tânia Mara Garib, assinala que cada etnia tem sua particularidade e tendência de trabalho. Por isso, segundo ela, as demandas de cursos variam. Além daqueles entre 20 e 50 anos que trabalhavam nas lavouras de cana-de-açúcar, Tânia observa que há o problema dos jovens, que precisam ser qualificados e inseridos no mundo do trabalho.

 

Em Dourados, um primeiro levantamento apontou para a necessidade de qualificação em operação de máquinas agrícolas, técnicas agrícolas, biojoias, corte e costura, manicure e pedicure e panificação. Já em Sidrolândia, há pedido também para qualificação para trabalho em frigoríficos e construção civil. Estamos aguardando a demanda oficial. Então, vamos conversar com os ofertantes e encaminhar ao MDS e MEC a implantação desses cursos, diz Tânia.

 

Peculiaridades

 

 

De acordo com Müller, as comunidades tradicionais, quilombolas e indígenas têm peculiaridades. É necessário entender que estamos no mundo do trabalho. Precisamos construir possibilidades de trabalho decente, por meio de uma capacitação profissional que ensine profissões que têm a ver com o mercado e que possibilitam real empregabilidade, associada também a conhecimentos mínimos sobre a legislação do trabalho, ressalta. Isso permitirá que esses índios tenham trabalho digno e decente a partir de agora.

 

O indígena Euzébio Brites Garcia, da comunidade Bororó, em Dourados, cortou cana-de-açúcar durante 14 anos. Há pouco mais de um ano, passou a trabalhar como pintor de máquinas. Como não tinha qualificação, foi difícil conseguir uma nova ocupação. No corte de cana-de-açúcar, ele conseguia renda maior. Para eu voltar a cortar cana, tenho de fazer curso. Se tiver curso para eu voltar, eu volto.

 

Apesar de ainda não existir um Pronatec voltado para as comunidades indígenas, alguns índios já fizeram cursos do programa no Estado. Em Dourados, 11 indígenas cursaram o Pronatec Brasil Sem Miséria. Magna Freitas Correia, da aldeia Jaguapiri, foi uma dessas pessoas. Ela fez o curso de panificação. A gente foi para montar um negócio, porque não tem padaria aqui dentro. Isso me ajudou muito. Hoje trabalho na área fazendo pão. Aprendi também a fazer bolo de festa. Ela contou que faz as encomendas em casa e o marido vende. Antes da qualificação, ela havia sido boia-fria em lavouras de feijão e milho e merendeira.

 

Cadastro

 

Os indígenas estão sendo incluídos no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal para que possam ter acesso às políticas sociais, informa a secretária estadual de Trabalho e Assistência Social. Temos certeza que, na medida em que estamos inserindo-os, estamos abrindo perspectivas. Isso porque, segundo ela, as duas cidades com grande concentração de indígenas são as que têm mais pobreza. Atualmente, em todo o País 83,6 mil famílias indígenas são beneficiárias do Programa Bolsa-Família, sendo 11 mil em Mato Grosso do Sul.

 

Tânia destaca ainda que muitos índios procuram qualificação e emprego, mas são discriminados por serem indígenas. Como o Pronatec Brasil Sem Miséria é uma ação de inclusão produtiva, ou seja, os alunos são capacitados e, ao mesmo tempo, encaminhados para vagas de emprego, ela acredita que esta realidade social vai mudar. Segundo a secretária, a ideia com o projeto-piloto é que se aprenda e se construa, a partir dele, qualificação profissional específica para essas comunidades. Depois do projeto piloto, completa Müller, os cursos específicos para os indígenas podem ser estendidos a todo o País.

 

Indígenas no Cadastro Único

 

Indígenas no Bolsa Família (ago/2012)


No Brasil:
70.188
No Estado: 14.435
Em Dourados: 3.079
Em Sidrolândia: 280

 


No Brasil:
83.686 famílias / 217.714 pessoas
No Estado: 11.060 famílias / 29.025 pessoas
Em Dourados: 2.270 famílias / 5.963 pessoas
Em Sidrolândia: 214 famílias / 501 pessoas

 

Fonte: Ascom/MDS

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
26/10/2017 - 07h05
MS: Cestas de alimentos beneficiam 2.855 mil famílias indígenas
05/05/2017 - 16h18
Campanha de vacinação dos povos indígenas 2017 começa nesta sábado
23/03/2017 - 10h58
Mato Grosso do Sul: Indígenas recebem cestas de alimentos da Conab
09/02/2017 - 10h14
Presidente nacional da Funai visita Dourados e áreas de conflito em MS
23/01/2017 - 07h27
Mitologia dos índios Guaranis vai representar o Brasil no Festival de Berlim
 
Últimas notícias do site
15/12/2017 - 06h39
Com poucas chances de chuva, 6ª-feira será de sol e altas temperaturas
14/12/2017 - 06h35
Após trégua, 5ª-feira terá pancadas de chuva em várias cidades de MS
13/12/2017 - 08h34
Acumulada, Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 33 milhões nesta quarta-feira
13/12/2017 - 07h58
Azambuja se reúne com empresa e dá posse ao novo secretário de Saúde
13/12/2017 - 06h54
'Dog itinerante': Este cachorrinho já visitou mais cidades que muita gente
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.