zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Pesquisa no Pantanal - 05/09/2012 - 13h45

Pesquisadores questionam alterações da Lei de Pesca do Mato Grosso






Por Redação Pantanal News/Raquel Brunelli - Embrapa Pantanal, Corumbá (MS)

Foi aprovada recentemente, sem consulta à sociedade, a Lei Estadual nº 9794 de 30/07/2012 em Mato Grosso, que altera dispositivos da Lei Estadual nº 9.096_2009, a Lei de Pesca do Estado,  impondo o pesque-e-solte como modelo único para a pesca amadora e criando dificuldades para a pesca profissional artesanal, praticamente inviabilizando a atividade.

Em função deste fato, os pesquisadores da "Rede de Pesquisa em Sustentabilidade da Pesca no Pantanal" do Centro de Pesquisa do Pantanal - CPP (Cuiabá, MT) elaboraram o documento "Implicações da Lei Estadual MT nº 9794 de 30/07/2012 sobre a Pesca e Conservação dos Recursos Pesqueiros". O Documento aponta a falta de bases técnicas para subsidiar as alterações impostas, analisa suas implicações e sugere a revisão da lei com base em informações técnicas e em ampla consulta aos usuários.

Segundo a professora da UFMT Lúcia Mateus,  o Estado de Mato Grosso é privilegiado em termos de recursos pesqueiros, o que levou ao desenvolvimento da pesca como importante atividade social, ambiental e econômica realizada nas modalidades de subsistência, profissional-artesanal e amadora (ou esportiva) nas Bacias do Alto Paraguai, Araguaia e Amazônica: “as atualizações das normas de pesca devem ser pautadas nas demandas da sociedade e na produção de conhecimentos científicos, considerando a influência de fatores naturais e das atividades humanas que agem sobre a pesca com vistas à conservação e uso sustentável dos recursos pesqueiros. O que nos preocupa é a maneira pela qual esse processo foi conduzido, pela falta de participação da sociedade e de explicitação das bases técnicas para subsidiar as alterações apresentadas, considerando suas implicações para a gestão e conservação dos recursos” explica a professora.

O pesquisador da Embrapa Pantanal Agostinho Catella alerta, neste documento, que a pesca em suas diferentes modalidades, realiza o monitoramento dos recursos pesqueiros, bem como do próprio ambiente. Esse monitoramento ocorre, tanto de forma direta pela percepção dos pescadores sobre a disponibilidade de peixes e as alterações do ambiente, quanto por meio de estudos conduzidos com base nas estatísticas pesqueiras. Desse modo, a pesca realiza o importante serviço de “conservação pelo uso” dos recursos pesqueiros e o monitoramento da qualidade ambiental para a sociedade.

“Muitas medidas adotadas pelos governos estaduais nos últimos anos são baseadas na pré-concepção de que a pesca é, se não o único, o principal fator de depleção dos estoques. Dessa forma, não é dada a devida atenção aos sérios fatores de degradação ambiental que afetam os recursos hídricos com crescente intensidade, tais como: efeitos de assoreamento, aumento de material em suspensão, pesticidas e agrotóxicos, que afetam negativamente a sobrevivência de ovos e larvas de peixes; o aumento da carga de nutrientes com perda de biodiversidade; e a fragmentação dos rios por barragens, que impedem as migrações e eliminam os peixes de piracema, sendo a principal causa de redução da produção pesqueira, com efeitos em todo o ecossistema” completa Agostinho.

A fim de alinhar a gestão da pesca com as tendências atuais do manejo de recursos naturais em nível mundial, que exigem uma atuação mais efetiva e democrática da sociedade, os pesquisadores recomendam a  implantação efetiva do Conselho Estadual de Pesca de Mato Grosso. Este Conselho será o fórum onde os atores sociais da pesca poderão debater suas questões, definir os rumos da atividade e buscar em conjunto as soluções para o setor. O documento na íntegra pode ser  acessado no seguinte endereço eletrônico http://www.cpap.embrapa.br/pesca/online/PESCA2012_CPP1.pdf

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
14/10/2015 - 11h00
Expedição de barco pelo Pantanal de MS discute preservação ambiental
26/08/2013 - 08h03
Em MS, médicos de outros países fazem provas para revalidar diploma
30/01/2013 - 08h45
Embrapa Pantanal firma convênio para o fortalecimento da Apicultura em Mato Grosso do Sul
30/10/2012 - 16h45
PRF apreende veículo com CRLV falso
05/09/2012 - 13h45
Pesquisadores questionam alterações da Lei de Pesca do Mato Grosso
 
Últimas notícias do site
22/11/2017 - 11h35
PMA autua fazendeiro por erosão e assoreamento de córrego
22/11/2017 - 09h39
Projetos do IFMS conquistam principais prêmios de feira científica estadual
22/11/2017 - 09h23
Projeto Florestinha completa 25 anos formando cidadãos responsáveis
22/11/2017 - 07h26
Acumulada, Mega-Sena pode pagar R$ 50 milhões nesta quarta-feira
22/11/2017 - 06h13
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.