zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Indústria e Comércio - 15/05/2012 - 16h09

Silems debate baixa produção do leite durante encontro técnico















Por Daniel Pedra - Chefe de Redação do Núcleo de Comunicação do Sistema Fiems

A entidade reuniu-se com representantes dos sindicatos da indústria de laticínios de outros Estados no 15º Encontro Técnico do Leite

Dados da Pesquisa Pecuária Municipal do IBGE, no período de 2001 a 2009, apontam que a participação de Mato Grosso do Sul na produção nacional de leite apresentou queda de 0,5 ponto percentual, passando de 2,2% para 1,7%, o que coloca o Estado no 12º lugar no ranking de maiores produtores de leite do País com 502,4 milhões de litros por ano. Essa redução na produção anual de leite preocupa o Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul) e foi tema de debate durante o 15º Encontro Técnico do Leite e do 1º Encontro Sul-Mato-Grossense da Qualidade do Leite, promovido ontem (14/05) e hoje (15/05) no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande (MS).

Na avaliação da presidente do Silems, Milene Nantes, o setor tem um baixo desempenho em comparação com os demais Estados, mas isso se deve ao fato de a pecuária de gado de corte ser predominante no Estado. “Na reunião que tivemos com os representantes dos sindicatos das indústrias de laticínios de todo o País, procuramos mostrar as diferenças entre os Estados produtores, desde a atual produção até os fatores que influenciam nas vendas. Além disso, também discutimos a questão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) cobrado sobre o leite em todas as regiões e demais assuntos de interesse do setor”, declarou.

Ela reforçou que a reunião sobre a harmonização das alíquotas de ICMS foi bem produtiva e serviu como subsídio para a elaboração de um documento nacional do segmento nesse sentido. “Trocamos experiências, discutimos ideias e opiniões. Além disso, precisamos entrar em um consenso para que todos os Estados tenham a mesma alíquota de ICMS”, disse. Em Mato Grosso do Sul, o segmento emprega 973 pessoas em 74 estabelecimentos espalhados por todo o Estado. “A maior bacia leiteira do Estado localiza-se na microrregião de Iguatemi, que foi responsável por 18% do volume produzido estadualmente. Na sequência aparecem as microrregiões de Campo Grande, Dourados e Paranaíba, com participações de 17%, 14%, e 13%, respectivamente. As quatro principais microrregiões, somadas, foram responsáveis por uma produção total de 309,9 milhões de litros, que corresponde a 62% da oferta estadual do produto”, informou.

Na avaliação do vice presidente do Conseleite/PR (Conselho Paritário entre Produtores e Indústrias de Leite do Paraná), Ronei Volpi, o setor vem se esforçando em todo o cenário nacional para garantir um produto de qualidade para os consumidores. “Atualmente há uma forte pressão dos produtos derivados do leite que são importados, o que pode desequilibrar o preço do mercado em breve”, disse. Para o secretário executivo do Sindilat/RS (Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos do Rio Grande do Sul), Darlan Palharini, a iniciativa deve acontecer com mais frequência. “Bastante produtiva a reunião, com a intenção de aproximar os sindicatos do setor, que mesmo tendo concorrência, tem alguns problemas em comum que precisão ser resolvidos, como a guerra fiscal e recompor as margens das indústrias para sermos um setor forte”, ressaltou.

Estandes

Ainda durante o 15º Encontro Técnico do Leite e do 1º Encontro Sul-Mato-Grossense da Qualidade do Leite, o Silems e o Senai contaram com estandes para promover o esclarecimento sobre os produtos lácteos e seus benefícios para a saúde e disponibilizar as informações sobre os serviços oferecidos para os laticínios, respectivamente. “Recomendamos o consumo de 2 a 3 copos por dia. Os derivados, por exemplo, iogurte, coalhada e queijo devem ser consumidos 3 porções diárias, essa quantidade já ajuda no fortalecimento dos ossos. O leite é fonte de vitamina A, D, B1 e B2, possui cálcio e manganês mineral”, informa a nutricionista do Sesi, Estefânia Carvalho Fernandes, que prestava orientação no estande do Silems.

Já o estande do Senai repassou informações sobre o Programa de Autocontrole de Qualidade na Produção, os serviços e consultorias prestados pelo LabSenai Alimentos e o PAS (Programa Alimentos Seguros). De acordo com a supervisora de alimentos e bebidas do LabSenai Alimentos, Stella Fernanda de Aquino Oliveira, o estande promoveu a interação entre produtores e empresários, prestando esclarecimentos sobre os serviços de consultoria e toda a estrutura que a entidade disponibiliza. “Auxiliamos tanto o produtor quanto a indústria na otimização de processos, elaboração e adequação de leiaute, além da elaboração de projetos industriais, entre outros. Atuamos para prevenir e solucionar problemas”, reforçou.

Os visitantes do estante do Senai também eram levados a conhecer o Laboratório Móvel de Alimentos, que estava estacionado na entrada do Rubens Gil de Camillo. A unidade móvel é equipada com equipamentos e materiais de última geração para atender as indústrias de todo o Estado, de acordo com a demanda. “A unidade está equipada com equipamentos fisioquímicos e microbiológicos para a manipulação de análises para o controle industrial e também para o tratamento e controle de manipulação de alimentos”, informou o analista técnico da unidade móvel, João Luiz Zitkoski.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
17/03/2017 - 09h40
Indústria sem Fronteiras é criado para aquecer economia em municípios
20/01/2016 - 09h43
Exportação de industrializados fecha 2015 com queda de 21,9% em MS
17/12/2015 - 08h30
Mesmo com crise, indústria de alimentos projeta crescer em MS
19/10/2015 - 07h05
Terminal de Porto Murtinho será reaberto nesta terça com embarque de 6 mil toneladas de açúcar
02/10/2015 - 06h54
MS vence disputa com 3 estados e garante industria de R$1,6 bilhão
 
Últimas notícias do site
19/10/2017 - 15h13
Em 2016, caiu o percentual de pessoas que trabalhavam em empreendimentos de grande porte
19/10/2017 - 14h22
Tamanduá-mirim é capturado dentro de residência
19/10/2017 - 13h30
Projeto Florestinha planta mudas nativas para recuperação de área
19/10/2017 - 11h21
PM e população de Aquidauana se aproximam por uma cidade tranquila
19/10/2017 - 10h58
PMA captura anta que transitava por ruas em bairro
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.