TRANSPARENCIA GOV DEZ
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Indústria e Comércio - 03/02/2012 - 09h57

Concorrência com a China já afeta contratações da indústria do vestuário












Por Redação Pantanal News/Daniel Pedra

O segmento reivindica junto aos governos federal e estadual um regime tributário competitivo para evitar o agravamento do problema

A concorrência com os produtos importados da China já está afetando as contratações feitas pelas indústrias têxteis e do vestuário de Mato Grosso do Sul, que, por meio do Sindivest/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário, Tecelagem e Fiação de Mato Grosso do Sul) e da ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), pleiteiam junto aos governos federal e estadual um regime tributário competitivo para o segmento. Segundo o presidente do Sindivest/MS, José Francisco Veloso Ribeiro, a entrada de um expressivo volume de produtos importados do mercado asiático compromete em cheio a competitividade da indústria local e nacional.

Dados do Radar Industrial da Fiems constaram que, no último trimestre de 2011, houve em Mato Grosso do Sul uma redução liquida de 697 postos formais de trabalho no segmento, enquanto em igual período de 2010 esse número tinha sido de 26 postos. “O cenário aponta para um indicativo de mudanças ocorridas no ambiente de negócios do setor ao longo do período. A concorrência com os importados se torna desleal diante de benefícios oferecidos por outros países. No caso da China, segundo a ABIT, as fábricas têxteis e de vestuário recebem subsídios de até 75% no preço do algodão, além de terrenos para a construção das indústrias e uma série de isenções fiscais”, ressaltou Francisco Veloso.

Na avaliação dele, é imprescindível que os governos repensem os benefícios oferecidos ao segmento, tanto em âmbito federal, quanto estadual. "No âmbito federal temos o movimento Emprega Brasil, que visa à desoneração e condições igualitárias de concorrência com os importados e o fortalecimento da indústria da moda e da manutenção de emprego e renda no País. Aqui, no Estado, o Governo sempre foi sensível à situação, mas precisamos que melhore rapidamente as condições de desoneração dos tributos para termos preços mais competitivos e, com isso, estancar as demissões e voltar a gerar mais emprego e renda nas indústrias de confecção e têxtil”, declarou.

Importações

Ainda conforme levantamento do Radar da Fiems, em 2011, a China respondeu por US$ 246,5 milhões das importações sul-mato-grossenses de produtos têxteis ou 62%, enquanto nas importações de produtos do vestuário as compras feitas junto às empresas chinesas alcançaram o equivalente a US$ 31,5 milhões ou 66% do total. Em nível nacional, segundo dados do IBGE, a produção do segmento têxtil e vestuário apresentou uma redução de 14,9%, enquanto as vendas de tais produtos no mercado nacional se expandiram em 4,12%, indicando, deste modo, que produtos têxteis e do vestuário importados vem sistematicamente ocupando mais espaço no consumo nacional. 

Em decorrência disso, desde de 2007, o movimento Emprega Brasil, que reúne empresários, trabalhadores, professores e estudantes do setor têxtil e de confecção brasileiro, reivindicam junto ao Governo medidas urgentes para conter a onda de demissões e a avalanche de importações. Naquele ano, em mais de 20 cidades, com grande concentração de empresas têxteis e de confecção, as indústrias paralisaram as máquinas e patrões e funcionários foram às ruas. No ano seguinte, 2008, foi criada a primeira composição da Frente Parlamentar Mista pelo Fortalecimento da Indústria Têxtil e de Confecção, sendo que hoje o segmento já conta com a segunda composição da Frente. Agora, neste ano, o Emprega Brasil retoma o movimento, buscando alertar a sociedade civil e o governo quanto ao risco de desindustrialização da Moda Brasileira.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
17/03/2017 - 09h40
Indústria sem Fronteiras é criado para aquecer economia em municípios
20/01/2016 - 09h43
Exportação de industrializados fecha 2015 com queda de 21,9% em MS
17/12/2015 - 08h30
Mesmo com crise, indústria de alimentos projeta crescer em MS
19/10/2015 - 07h05
Terminal de Porto Murtinho será reaberto nesta terça com embarque de 6 mil toneladas de açúcar
02/10/2015 - 06h54
MS vence disputa com 3 estados e garante industria de R$1,6 bilhão
 
Últimas notícias do site
14/12/2017 - 06h35
Após trégua, 5ª-feira terá pancadas de chuva em várias cidades de MS
13/12/2017 - 08h34
Acumulada, Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 33 milhões nesta quarta-feira
13/12/2017 - 07h58
Azambuja se reúne com empresa e dá posse ao novo secretário de Saúde
13/12/2017 - 06h54
'Dog itinerante': Este cachorrinho já visitou mais cidades que muita gente
13/12/2017 - 06h38
Dia amanhece com sol entre nuvens, mas previsão é de temperatura alta
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.