zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 19/09/2011 - 08h21

Somatotrofina hidrelétrica




Por Bruno Peron Loureiro

Bruno Peron

O aumento da demanda de energia elétrica no Brasil reflete a robustez de sua economia, sobre que se prevê passar do oitavo ao quinto lugar mundial num futuro próximo, e reitera a premência de explorar fontes limpas, renováveis e de menor dano ambiental possível.

A Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL) alertou sobre o risco de apagão caso a América do Sul não dobre sua produção energética em vinte anos. A pujança da economia brasileira, no entanto, não se escora sem a consideração dos efeitos ambientais e sociais nas regiões que canalizam os investimentos infraestruturais.

Tal ressalva provém da intenção de o governo brasileiro erigir usinas hidrelétricas em pelo menos sete países da América Latina: Bolívia, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Nicarágua, Argentina, e sobretudo Peru. As usinas se comporiam da associação da estatal brasileira Eletrobrás com empresas dos demais países, teriam capacidade total estimada de 12 mil MW, e abasteceriam o mercado brasileiro com parte da produção.

Os países latino-americanos de economias expansivas naturalmente precisam ampliar as fontes energéticas. Daí que a urgência de novas edificações surge de demandas internas e não do que se acusaria de "imperialismo brasileiro", uma vez que a diplomacia do Itamaraty pauta-se pela cooperação, a amizade e a complementação de acordos econômicos com programas educativos e sociais entre os países vizinhos.

O Plano Decimal de Expansão de Energia (2011-2020) é um documento que contém o escopo de planejamento e política energética do Brasil. O Plano esclarece que o aumento de demanda deve-se essencialmente ao consumo intensivo de indústrias de base (fertilizantes, siderurgia, petróleo, papel e celulose).

As principais potencialidades hidrelétricas brasileiras estão na região Norte, onde se planeja a construção de usinas nos rios Madeira, Xngu, Tapajós, Teles Pires e Jamanxim. Uma delas é a de Belo Monte, que já teve o projeto aprovado a despeito das resistências ambientais, étnicas e sociais que emergiram e o argumento de que haverá danos às populações ribeirinhas e o ecossistema.

O mesmo empreendimento, que se prevê no rio Xingu, está encravado no gigante estado do Pará, onde se discute sua divisão em três unidades e a criação de Carajás e Tapajós.

O risco deste país não é o de que sua economia creça mais ou menos a fim de enrijecer as cifras de exportação e importação senão a falta de coadunação da robustez dos investimentos com as políticas distributivas de renda e oportunidade, a alocação dos ganhos e dos lucros, o desenvolvimento científico e tecnológico do país, a geração de empregos de melhor qualificação, e a sustentabilidade dos projetos infraestruturais.

O Brasil só terá o mérito da "emergência" quando sanar estes descompassos e reiterar o compromisso com o capital humano, cujo panorama nebuloso deixa um saborzinho de amargura no paladar do economista menos ortodoxo.

Das hidrelétricas que se propõem no Plano Decimal de Expansão de Energia, seis têm instalação prevista somente no Peru em fronteira com o Brasil e seu orçamento é de 16 bilhões de dólares: Inambari, Sumabeni, Pakitzapango, Urubamba, Vizcatán e Chuquipampa. A carta de intenções firmada entre os dois países em junho de 2009 implica parceria entre Eletrobrás, Electroperú e empresas privadas.

É das negociações com este país andino que surgem as refregas mais duras com respeito à instalação de usinas hidrelétricas em parcerias internacionais, visto que os movimentos de crítica ambientalista aduzem argumentos diversos, como o de endividamento externo do Peru, para confrontar a viabilidade dos projetos energéticos.

A opção brasileira pelos investimentos magnificentes em hidreletricidade conforma-se com a disponibilidade exuberante de rios caudalosos, embora o custo de instalação da barragem e as turbinas seja elevado e o projeto localize-se frequentemente distante dos centros consumidores. A rede de distribuição, destarte, é longa, como a que sai da binacional Itaipu na fronteira com Paraguai, e encarece a energia.

Os projetos internacionais de instalação de usinas hidrelétricas entre Brasil e outros países latino-americanos não prescinde de estudo, planejamento e tino a fim de minimizar o número de prejudicados e não só abastecer a demanda de indústrias básicas exportadoras que nos ofereçam pouco em troca do esvaziamento de nossos recursos.

A economia brasileira cresce em ritmo vertiginoso.

E nós, compartilharemos da somatotrofina, o hormônio de crescimento?



http://www.brunoperon.com.br

Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões. redacao@pantanalnews.com.br

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/05/2017 - 09h01
Heraldo Pereira e Bosco Martins: um breve reencontro entre amigos
04/05/2017 - 14h30
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte VI
02/05/2017 - 11h08
O poeta de Sobral
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
 
Últimas notícias do site
21/07/2017 - 16h10
Mato Grosso do Sul perdeu R$ 2,27 bilhões com violência no trânsito em 2016
21/07/2017 - 16h02
Governo realiza mutirão para migração de rádios AM para FM dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
21/07/2017 - 15h13
Mutirão AM/FM acontece na próxima semana em MT e MS
21/07/2017 - 09h32
Com plantações afetadas pela geada, abobrinha fica 16% mais cara
21/07/2017 - 08h50
Período de saque das contas inativas do FGTS termina em 10 dias
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.