zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 16/08/2011 - 08h53

Prós e contras da liberalização dominicana




Por Bruno Peron Loureiro

Bruno Peron
 
A República Dominicana ratificou o DR-CAFTA (Acordo de Livre Comércio entre Estados Unidos, América Central e República Dominicana, da sigla em inglês) em setembro de 2005, cujo tratado vigora a despeito da insatisfação de alguns setores desta ilha caribenha.

O Foro Agropecuário Dominicano aponta a ausência de "regras claras e precisas" e perdas substantivas nos intercâmbios que a República Dominicana faz com outros países através de Tratados de Livre Comércio (TLC).
Igualmente o Foro ressalta a importância de ingresso dos produtos dominicanos nos mercados norte-americano e europeu, que concentram mais da metade do comércio mundial, mas alerta que os acordos devem ser revistos a fim de que se priorize a exportação aos países caribenhos vizinhos, em especial Haiti.

A indústria agropecuária da República Dominicana sofreu reveses com a abertura da economia. Daí que produtores da zona dominicana conhecida como "Granero del Sur" pediram revisão da lei que ensejou o TLC com Estados Unidos e América Central e pleitearam a criação da Confederação Nacional de Produtores Agropecuários.

A situação da República Dominicana assemelha-se à de outros riscos a que se sujeitam as economias latino-americanas e irisa na dimensão de cada país e consequentemente sua capacidade de lidar com a falta de restrição nas trocas comerciais.

Os ganhos dos produtores nacionais minguam com os TLC quando há concorrência, por isso os Estados devem prover-lhes incentivos e recursos (pecuniários, fiscais e tecnológicos) para que tenham competitividade e sobrevivam, uma vez que os produtos do outro país signatário entrarão com isenção de tributos.

A firma de tratados de abertura comercial pode ser promissora desde países que estão seguros de suas condições de competitividade, como o que o Brasil assinou recentemente com Israel, ou dos que fazem apostas para turbinar suas economias, como o México em sua inserção desajeitada na América do Norte.

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) informou que 80% do comércio do México são com os Estados Unidos e somente 6,8% com a América Latina. O país do Sul, como efeito vistoso, inunda-se de mercadorias EUAnas e arrisca-se a comprar tortilhas - ingrediente básico das refeições mexicanas - do vizinho do Norte.

A decadente potência do "Destino Manifesto", neste ínterim, reitera sua política exterior falida da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA) mediante o estabelecimento de tratados bilaterais de comércio livre. Estados Unidos tem maior fluidez para financiar acordos com os sócios do chamado "Eixo do Pacífico" (Chile, Peru, Colômbia, Panamá, México), enquanto Brasil, Venezuela e Cuba conformam propostas de integração econômica de outra envergadura no oceano onde aportou Cristóvão Colombo.

O mais curioso deste enredo é que a negação do Brasil de assinar tratados de livre comércio com Estados Unidos não oculta que este seja um dos principais sócios comerciais da terra de Vera Cruz. O embuste do "comércio livre" não se traga pela chancelaria brasileira, que prefere taxar os produtos EUAnos e buscar a complementaridade das economias, tão necessária na América Latina.

A diversificação da matriz econômica traz também benefícios e reduz o risco de perda de ingressos em crises setoriais ou falta de investimentos em produtividade.

Sou avesso à assinatura de acordos de liberalização comercial, uma vez que um estudo sério deve precedê-la e sempre há setores tremendamente prejudicados nos países com instituições econômicas mais débeis. Nem as potências que os defendem austeramente escondem suas práticas protecionistas e a espreita dos governos, que emergem quando quer que haja um pedido de socorro do comércio e indústria nacionais.

Os contras dos TLC são que escancaram as economias fracas, reprimem o controle estatal, e sacrificam os produtores que não conseguem baixar os custos de produção. Os prós, por sua vez, sustentam a coação dos investimentos tecnológicos entre os produtores, que barateiam os produtos aos consumidores e diversificam as economias internas.

A República Dominicana, apesar de voltar-se gradualmente ao setor de serviços, não é tão diversificada e arrisca-se a enfrentar gigantes como se estivessem nas mesmas condições de desenvolvimento.
O Estado, diversamente do que nos faz crer a apologia neoliberal, é a ferramenta do povo dominicano e latino-americano para contrabalançar os interesses famintos dos países em vantagem de competitividade econômica.
Há formas responsáveis de intercâmbio econômico que não nos condenem ao isolamento nem à abertura desarrazoada do mercado interno. A América Latina compartilha as experiências e lições de sua história.


http://www.brunoperon.com.br



Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões. redacao@pantanalnews.com.br

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

 

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
18/04/2017 - 15h00
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte IV
18/04/2017 - 14h55
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte III
18/04/2017 - 14h50
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte II
 
Últimas notícias do site
24/04/2017 - 13h30
Polícia prende jovem com maconha e cocaína em Aquidauana
24/04/2017 - 12h55
Clima muda e entressafra faz preço do leite subir 8% ao produtor de MS
24/04/2017 - 10h39
Corpo do cantor Jerry Adriani é velado no Rio
24/04/2017 - 09h56
Declaração do Imposto de Renda termina sexta; fique atento ao prazo
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.