especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 01/08/2011 - 09h05

Equalização da banda larga




Por Bruno Peron Loureiro

O Plano Nacional de Banda Larga, do Ministério das Comunicações, surge com o propósito egrégio de democratizar o acesso à internet no Brasil. A ambição do projeto é atingir 40 milhões de residências em poucos anos, embora não acompanhe plenamente a velocidade com que as tecnologias de comunicação e informação se desenvolvem.

Edificaram-se os alicerces oficiais em maio de 2010 e pretende-se quadruplicar a parcela menos favorecida dos internautas de alta velocidade até 2014 com o investimento previsto de R$12,8 bilhões. O governo dispõe ainda da possibilidade - mas não certeza - de uso do bilionário Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicação.

Chegou o momento de atirar ao chão o porquinho desta poupança?

A pretensão do Plano Nacional de Banda Larga é oferecer o serviço de 1Mbps (Megabit por Segundo) por R$35,00 mensais, porém tanto a velocidade como o preço estão defasados em relação aos serviços privados. A tecnologia desenvolveu-se com tanta celeridade nalguns estados que a proposta governamental torna-se irrisória e questionável. Uma das operadoras de internet rápida oferece a mesma velocidade por 29,80 mensais e outra, por R$29,90.

O governo federal, deste modo, dá um tiro no pé porque as empresas privadas terão preços mais baixos que os que refletem os investimentos federais. Alguns estados, como Distrito Federal, Pará e São Paulo propõem-se a isentar de tributos (sobretudo o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) os planos de banda larga a fim de torná-los mais acessíveis.

Analistas e técnicos do Ministério das Comunicações elaboraram um estudo detalhado e sério sobre o projeto oficial em "Um Plano Nacional para Banda Larga: O Brasil em Alta Velocidade", que faz um diagnóstico sobre a qualidade da internet no país, compara a outros padrões internacionais, propõe metas e ações para incentivar o setor.

Uma estratégia profícua que o Ministério das Comunicações poderá incorporar é o fomento à concorrência entre empresas privadas nos estados onde os serviços de banda larga estão mais avançados e a dedicação dos recursos públicos às regiões Norte e Nordeste, que estão bem abaixo da média nacional em número de computadores e acesso à internet.

As benesses da espanhola Telefônica nos anos subsequentes à privatização duraram até o ensejo da concorrência pela entrada da NET, GVT e Transit Telecom no estado de São Paulo, que possui as velocidades mais altas de banda larga no país. O que este escasso benefício de mercado não resolve é a regulação da estabilidade das conexões, que se garantem em apenas 10%, as velocidades baixíssimas de "upload" (que poucos usuários consideram ao comprar o pacote), e a qualidade do atendimento, que se faz impessoalmente e com base na tirania institucional.

Os contratos firmam-se via telefônica, as chamadas caem quando o cliente ameaça cancelar o serviço, e os atendentes empurram as vendas goela abaixo para alcançar metas.

O Ministério das Comunicações definiu Nordeste e Sudeste como as regiões prioritárias para a canalização dos investimentos federais, enquanto os estados mais favorecidos são Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

A função de Estado entra na equalização da balança. Quando as distorções se corrigem, a Máquina busca outros nós para desatar e engrenagens para lubrificar na sociedade brasileira.

Este raciocínio não me faz aceitar o neoliberalismo nem que mitos escalafobéticos se concretizem senão reconhecer que algumas regiões têm mais condições de se mover com investimentos privados que outras e, assim, não se justificaria o uso dos recursos federais escassos para o desenvolvimento de banda larga nestas localidades, exceto em instituições de interesse público que demandem investimentos governamentais.

A "sociedade anônima aberta, de economia mista" Telecomunicações Brasileiras S. A. (Telebrás) administra o Plano Nacional de Banda Larga e presta serviços especialmente a instituições de interesse público, como bibliotecas, escolas, hospitais, órgãos de segurança pública, universidades. O projeto que começou a levantar os pilares em maio de 2010 também se voltará ao consumidor doméstico de recursos financeiros exíguos sem abrir mão de parcerias com empresas privadas.

O investimento em internet é sempre bem-vindo, porquanto este meio de comunicação propicia uma ferramenta de formação cívica e política melhor que a televisão. O acesso rápido a blogs (simplificação dos "web logs"), dicionários virtuais, foros de discussão, portais de notícias e redes sociais desanuvia um mundo mais diverso pelo clique que pela passividade telespectadora.

Por maiores que sejam os desafios de expansão da internet brasileira, as propostas de "democratização" e "massificação" deste meio são condizentes com a tendência de instrução e participação dos cidadãos num mundo em que as mudanças tecnológicas são cada vez mais rápidas e difíceis de captar em sua integridade.

Os recursos do Ministério das Comunicações, portanto, devem concentrar-se em estados e regiões menos favorecidos nestas tecnologias.

O discurso de inclusão social retorna ao mapa das desigualdades brasileiras com o bom augúrio do Plano Nacional de Banda Larga.


http://www.brunoperon.com.br


Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões. redacao@pantanalnews.com.br

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/11/2017 - 08h00
Expedição Centenária – F. Coimbra – Corumbá I
09/10/2017 - 13h44
Joaquim Francisco de Assis Brasil
09/10/2017 - 13h43
Assis Brasil, Acre
09/10/2017 - 13h34
O Assassinato de Chico Mendes
09/10/2017 - 13h31
Epopeia Acreana - Parte VII
 
Últimas notícias do site
24/11/2017 - 09h00
Parada Gay, Baile do Hawai e show "Melanina Sound" animam o fim de semana
24/11/2017 - 08h03
Fiéis, Thor e Trovão viram xodós ao levar e buscar irmãos todo dia na escola
24/11/2017 - 07h52
Pecuarista é multado por exploração e uso ilegal de madeira
24/11/2017 - 07h28
Reinaldo entrega e autoriza obras de pavimentações em três cidades de MS
24/11/2017 - 06h56
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

ZAP NOVO
Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.