zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Turismo - 23/05/2011 - 07h21

Aquário do Pantanal vai projetar Mato Grosso do Sul para o mundo




Por Redação Pantanal News/Karina Lima - Notícias.MS

Rachid Waqued
recurso

 

Campo Grande (MS) - O governo do Mato Grosso do Sul inicia a construção no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, do maior aquário de água doce do mundo. No início da noite de hoje (23), o governador André Puccinelli assina a ordem de iníco das obras do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Ictiofauna Pantaneira – “Aquário do Pantanal”. O empreendimento vai projetar Campo Grande e Mato Grosso do Sul para o mundo.

Trata-se de uma obra de vanguarda, com arquitetura arrojada. O empreendimento será uma das principais âncoras do turismo brasileiro, refletindo um dos maiores ecossistemas da humanidade e potencializando vários segmentos da economia estadual, criando um ambiente imersivo de aprendizagem ecológica. 

Os ministros Ideli Salvatti (da Pesca e Aquicultura) e Pedro Novais (do Turismo) e o cantor Almir Sater participam da solenidade, que tem início marcado para as 18h, nos altos da avenida Afonso Pena. O investimento é de R$ 84 milhões e a previsão é que a obra seja concluída no início de 2013. Cerca de 300 operários serão envolvidos nos trabalhos. No local já foi construído centro de visitação com imagens de como ficará o aquário e guias turísticos treinados para informar a população dos detalhes do projeto.

O Aquário do Pantanal reforça o compromisso do governo do Estado em buscar o desenvolvimento sustentável de Mato Grosso do Sul, correspondendo com a reconhecida vocação do Estado, dada à exuberância de sua natureza regional. Ele dará condições aprofundar o conhecimento e assegurar a integridade da fauna e flora presentes na região pantaneira.

Estrutura

O aquário terá uma área de 18,6 mil metros quadrados, equivalente a duas vezes o tamanho da praça Belmar Fidalgo. No total serão 24 tanques de aquários, somando um volume de água de 6,6 milhões de litros de água. Serão aproximadamente 7.000 animais em exposição, subdivididos em mais de 200 espécies (peixes, invertebrados, répteis e mamíferos).

Serão retratadas, por exemplo, as baías por meio de tanques rasos, que incluirão várias espécies típicas de filhotes de peixes e cenografia que reproduz o ambiente das grandes lagoas pantaneiras, retratando seu papel de berçário da vida aquática.

Além de um extraordinário monumento de atração turística, o espaço servirá como o maior centro do País de difusão do conhecimento sobre a biodiversidade pantaneira. Os impactos científicos e tecnológicos para o Brasil, Mato Grosso do Sul e o bioma Pantanal serão incalculáveis. O aquário vai oferecer oportunidade única para estudantes, cientistas e pesquisadores se aprofundarem sobre questões ambientais.

O secretário do Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia, Carlos Alberto Negreiros Said Menezes, ressalta a dimensão internacional do empreendimento. “Trata-se do maior aquário de água doce do mundo. É um projeto de governo. Nós esperamos alavancar o turismo com este projeto e melhorar as condições de infraestrutura para receber esta demanda. Ele também será emblema principal da política de biodiversidade do Mato Grosso do Sul. É uma obra delicada, grandiosa e cheia de detalhes técnicos. Acreditamos que em dois anos e meio conseguiremos concluí-la”, afirma

O local será uma das instituições culturais mais visitadas do Brasil e será economicamente sustentável, transformando-se no principal centro impulsionador do turismo sul-mato-grossense.  O empreendimento vai aquecer a economia de vários segmentos comerciais e de serviços de Campo Grande, gerando centenas de empregos.

Todos os turistas que visitam o Pantanal e Bonito passarão a ter um atrativo a mais em Mato Grosso do Sul e com isso vão permanecer pelo menos uma noite na Capital. A rede de hotéis, restaurantes, bares, lojas, táxis, entre outros estabelecimentos terão um aquecimento significativo em suas vendas.

Além de enriquecer consideravelmente a oferta turística de Campo Grande e Mato Grosso do Sul, o local vai oferecer uma atração de entretenimento cinco estrelas. Trata-se de uma conquista histórica para Campo Grande e para o Estado.

O Aquário vai utilizar tecnologias inovadoras, bem como técnicas interativas e interdisciplinares para garantir que os estudantes tenham uma experiência acadêmica agradável.

O espaço será transformado em uma importante ferramenta de conservação de animais aquáticos e de pesquisa. Em uma escala mais universal, o aquário do Pantanal vai oferecer a oportunidade única para estudantes, cientistas e pesquisadores se aprofundarem sobre questões ambientais e a biodiversidade brasileira.

Além de um extraordinário monumento de atração turística, o Aquário do Pantanal servirá com o maior centro do País de difusão do conhecimento sobre a biodiversidade pantaneira, Os impactos científicos e tecnológicos para o Brasil, Mato Grosso do Sul e o bioma Pantanal serão incalculáveis.  

Importância do empreendimento

“Trata-se de um dos projetos mais significativos que já realizei em toda a minha vida. Mato Grosso do Sul merece uma obra destr porte”, afirma Ruy Ohtake, autor do projeto e um dos maiores arquitetos do Brasil. Ao destacar a importância deste empreendimento o arquiteto Ruy Otake afirmou que ele terá a mesma importância que foi o Museu Guggenheim, construído em Bilbao, na Espanha. “A cidade não tinha nenhum atrativo turístico. Hoje o museu é um dos locais mais visitados naquele País. Hoje Bilbao está no mapa turístico do mundo. A cidade que não tinha ligação aérea hoje tem quatro vôos diretos com Paris. Isso é o que a gente almeja para Campo Grande com a construção do aquário”, comparou.

Ney Gonçalves, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens, afirma que o empreendimento vai agregar aproximadamente uns 30% a mais no turismo de Campo Grande. “É extremamente importante este projeto, não só para Campo Grande como para Mato Grosso do Sul. Ele vai agregar com outros produtos que já existem no Estado. Campo Grande, por ser uma cidade voltada para o turismo de eventos, será extremamente beneficiada, porque terá oportunidade de oferecer um turismo de lazer para este público”, afirma.

Espaços criados

O aquário contará com Centro de Visitação, Centro de Interatividade, Centro de Pesquisa e Biblioteca O prédio principal contará com uma estrutura metálica elíptica que vai abrigar auditório com 250 lugares, bancada multimídia, biblioteca especializada na ictiofauna pantaneira, sala de informática, loja e livraria.

O espaço também terá o Museu da Biodiversidade, que irá expor vários tipos de materiais sobre a formação do Pantanal e sua importância cultural e ambiental. O local será dotado de equipamento multimídia com telas holográficas onde o público terá acesso às informações.

O saguão do pavilhão terá visibilidade para todo o conjunto de acesso ao circuito dos aquários. Também existirá uma área científica composta por laboratórios com ampla vista para o público, salas para técnicos, cientistas e estudiosos. Um bar e lanchonete complementam a estrutura.

Além do seu aspecto lúdico, a grande importância do Aquário do Pantanal é que vai oferecer espaços de educação ambiental e de pesquisas voltadas à conservação dos ecossistemas aquáticos. Ele vai disseminar o conhecimento e sensibilizar a população sobre a importância da preservação do meio ambiente. Ele vai ser um grande elo entre a sociedade e o conhecimento científico sobre ambientes aquáticos.

O governo de Mato Grosso do Sul pretende contar com parcerias públicas e privadas para ampliar a dimensão desta proposta, particularmente vinda do Ministério de Ciência e Tecnologia, já que se estima que os impactos científicos e tecnológicos para o Brasil serão extremamente positivos com este projeto.

Centro de Visitação

O Centro de Visitação tem finalidade turística e é nele que se concentram as atrações de base do Aquário do Pantanal. A intenção desse componente será retratar de forma sintética e objetiva toda biodiversidade dos ambientes aquáticos do Pantanal.

O espaço é composto por diversas unidades de aquário ou aquaterrário, sendo cada um deles um retrato da diversidade do ambiente pantaneiro exposto, buscando um a um, e ao mesmo tempo, a harmonia necessária na relação entre os diversos animais e plantas em exposição.

A manutenção dos animais e plantas expostos buscará a melhor qualidade de vida para eles, que será aferida a partir de padrões de comportamento e desenvolvimento das espécies. O manejo das espécies em exposição será objeto de estudo e pesquisa constante servindo como um grande laboratório vivo para maior entendimento sobre a biologia e ecologia da fauna e flora do Pantanal.

O ambiente das Piranhas será outro grande atrativo do local, configurando-se como um tanque cilíndrico com diferentes espécies de piranhas, tronco central e vegetação aquática. Os Corixos, que são basicamente canais fluviais, serão representados por tanques rasos, simulando os canais que ligam as lagoas aos rios.

Seguindo esta lógica de representação o Centro de Visitação será composto principalmente pelos tanques internos e os tanques externos.

Os tanques internos compreendem um complexo de 18 tanques contendo os seguintes temas: Baías, Piranhas, Corixos, Rio Aquidauana, Rio Miranda, Sucuriu, Bonito, Galeria de Biodiversidade, Galeria de Biodiversidade do Brasil, Tanque de contato, Rio Paraguai, Ornamental.

Já os tanques externos formam um conjunto de seis tanques ao ar livre contendo os seguintes temas: Lontras, Ariranhas, Jacarés, Tanque Observação (que poderá permitir o mergulho contemplativo), Banhados, Terras Alagadas.

Centro de Interatividade

Trata-se de um espaço onde é proposto ao público visitante um passeio didático e lúdico ao universo virtual da biodiversidade do Pantanal e Cerrado sul-mato-grossenses. O objetivo é motivar a reflexão de como vive, há quanto tempo e como foi desenvolvida a vida no meio ambiente de acordo com a ciência contemporânea.

O passeio ao Centro de Interatividade deverá obedecer a um roteiro dinâmico, com leitura textual e visual que primem pela qualidade, beleza e sentido da descoberta. Por meio dele, o público terá noções da evolução da vida no planeta, de acordo com as pesquisas que a comunidade científica multidisciplinar local tem produzido ao longo dos anos.

Uma das atrações do local será a exibição de vídeos e softwares, adaptáveis ao perfil dos visitantes. O Centro de Interatividade terá basicamente um conteúdo para o visitante regular, em níveis informativos e contemplativos e diferentes conteúdos para grupos de visitantes de diferentes níveis acadêmicos, contemplando conteúdos direcionados para visitantes desde o ensino básico até aos mais altos níveis científicos.

O conteúdo será dinâmico, devendo ser periodicamente modificado, por profissionais de comunicação e educação científica especializada em cada área, para o quê deverão ser firmados instrumentos de cooperação técnica e científica com as Instituições de Ensino Superior.

O Centro de Interatividade contará com os seguintes atrativos: formação do planeta, fósseis do pré-cambriano, artrópodes, réplica de um animal do pleistoceno, árvore filogenética, maquete geográfica, entre outras informações. Tecnologicamente será composto por fotografias, microscópios, vídeos, mesas interativas, tela holográfica, entre outros.

Centro de Pesquisa

O local será composto por um conjunto de laboratórios científicos, que se utilizará do vasto material de estudo concentrado no Aquário, para se tornar um centro de referência em pesquisa da ictiofauna pantaneira.

Serão desenvolvidas pesquisas científicas e tecnológicas visando ao conhecimento da fauna aquática para sua preservação, bem como para o seu uso econômico de forma segura e sustentável. Esse conjunto compreende laboratórios de biologia sobre os biomas existentes no Estado.

Biblioteca da Biodiversidade

A Biblioteca reunirá todo o conhecimento disponível sobre biodiversidade, com ênfase na Ictiofauna Pantaneira, envolvendo uma área física para consultas in loco e estações de trabalho (terminais computacionais), devendo, predominantemente, ser estruturada de acordo com o conceito de biblioteca digital/virtual.  

O aquário contará em seu acervo eletrônico, com as obras disponíveis nos sistemas estadual, nacional e internacional de bibliotecas, além de se integrar com o serviço de periódicos da CAPES/MEC.

Além disso, terá um dos servidores que hospedará o banco de dados e os resultados do programa Biota-MS, com a disponibilização de todas as coleções sobre a Biodiversidade de Mato Grosso do Sul, além de teses, dissertações, monografias e artigos técnicos e científicos sobre esta biodiversidade.

Os serviços online da biblioteca ficarão disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, fixando-se como a mais completa e dinâmica fonte de informações da biodiversidade do Pantanal. A Biblioteca será parceira das instituições educacionais e científicas do Mato Grosso do Sul, do Brasil e do mundo e dará suporte de informação literária e de aprendizagem contínua na sua área foco.

 

Veja os principais detalhes da obra do Aquário do Pantanal:

 

  Edificação de 18,6 mil metros quadrados;

  Serão 24 tanques de aquários, somando um volume de água de aproximadamente 6,6 milhões de litros de água.

  Exposição de 7 mil animais, subdivididos em mais de 200 espécies (peixes, invertebrados, répteis e mamíferos).

  Será o maior aquário de água doce do mundo.

  Oportunidade única para estudantes, cientistas e pesquisadores se aprofundarem sobre questões ambientais e a biodiversidade brasileira.

  O aquário contará com Centro de Visitação, Centro de Interatividade, Centro de Pesquisa e Biblioteca.

  O Aquário do Pantanal vai oferecer espaços de educação ambiental e de pesquisas voltadas à conservação dos ecossistemas aquáticos.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/07/2017 - 14h34
Bonito é eleito o melhor destino de ecoturismo do Brasil pela 14ª vez
17/07/2017 - 15h30
Bonito vence pela 14ª vez prêmio de melhor destino de ecoturismo
20/05/2017 - 11h35
Eventos e negócios impulsionam turismo em Mato Grosso do Sul
12/01/2017 - 11h16
Feriados vão movimentar R$ 21 bilhões no turismo
18/11/2016 - 08h00
Turismo entrega 22 obras de infraestrutura em Mato Grosso do Sul em 2016
 
Últimas notícias do site
20/10/2017 - 15h38
Asfalto entre Piraputanga e Camisão vai impulsioncar ecoturismo na região
20/10/2017 - 15h06
Alerta prevê tempestades em 43 municípios de Mato Grosso do Sul
20/10/2017 - 14h13
PMA autua proprietária rural por exploração ilegal de madeira
20/10/2017 - 12h30
PMA autua jovem por manter ave silvestre em cativeiro
20/10/2017 - 11h33
Incêndio em parque estadual de MS é controlado após uma semana com ajuda de chuva, diz Imasul
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.