CARNAVAL CORUMBÁ 2018
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Internacional - 05/04/2011 - 10h05

Cúpula do Brics na China discute rumos da governança mundial




Por Redação Pantanal News/Governo Federal

A Reforma da Organização das Nações Unidas (ONU) e os rumos da governança global com eixo em um reordenamento multipolar mais equilibrado são alguns dos principais assuntos a serem tratados pelo Brasil na Cúpula de chefes de Estado dos Brics. O encontro será realizado em 14 de abril, na Ilha de Sanya, na China,  e marcará a entrada da África do Sul como um dos membros do mecanismo internacional.

Composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, a cúpula do Brics vai discutir também o incremento da cooperação entre os estados-membros para fortalecer e continuar desenvolvendo o poder de influência do grupo, intercâmbio científico e tecnológico e o aumento do comércio. 

A embaixadora Maria Edileuza Fontineli Reis, encarregada das relações políticas com a Ásia, explica que o encontro é importante porque será realizado em um momento em que o mundo ainda sofre desequilíbrios e desajustes em decorrência da crise. “Brasil e China enfrentaram muito bem os efeitos da crise e, hoje, têm diante de si desafios em diferentes áreas”.

”É importante valorizarmos nossa vertente multilateral, na construção da nova governança global. Brasil e China, como dois países em desenvolvimento, defendem o fortalecimento do multilateralismo e trabalham muito intensamente no redesenho dessa governança global”, afirmou Fontineli Reis. 

Apesar de diferenças históricas, culturais, políticas e geográficas, a aposta dos governos do Brics, de acordo com o Itamaraty, foi de que seus países podem encontrar agendas que lhes permitam agir como um coletivo de maneira tão ampla quanto possível. 

“No Brics defendemos a ampliação do poder de voto de economias. Não faz sentido num mundo como o de hoje termos nas instituições financeiras internacionais países como a Bélgica (10,4 milhões de habitantes), com poder de voto maior do que o do Brasil. Países como a Holanda (16,5 milhões de habitantes), com poder de voto maior do que o da China”, ressalta a embaixadora.

Segundo Fontineli Reis, o Brasil tem uma coordenação muito importante em termos políticos e econômicos no âmbito do Brics ”e estamos trabalhando para consolidar e aprofundar a construção de uma agenda própria desse mecanismo, que é muito novo, mas que desponta com muita curiosidade e força no redesenho de uma ordem internacional que venha a ser mais representativa e, portanto, que venha a refletir maior legitimidade”. 

Origem do Brics - A idéia dos Brics foi formulada pelo economista-chefe da Goldman Sachs, Jim O´Neil, em estudo de 2001, intitulado Building Better Global Economic Brics. Fixou-se como categoria da análise nos meios econômico-financeiros, empresariais, acadêmicos e de comunicação. Em 2006, o conceito deu origem a um agrupamento e incorporado à política externa de Brasil, Rússia, Índia e China. 

O peso econômico do grupo é considerável. Entre 2003 e 2007, o crescimento dos quatro países representou 65% da expansão do PIB mundial. Em paridade de poder de compra, o PIB (Produto Interno Bruto) dos Brics supera hoje o dos EUA ou o da União Européia. 

Para dar uma idéia do ritmo de crescimento desses países, em 2003 os Brics respondiam por 9% do PIB mundial. Já em 2009, as economias dos quatro países somavam 14,3%, com um PIB conjunto de US$ 8,9 trilhões. 

Saiba mais - Desde terça-feira (29), o Em Questão começou uma série de reportagens sobre as relações econômicas, comercias e políticas entre Brasil e China. O objetivo é apresentar os aspectos mais relevantes dessa parceria, que cresceu 1.246% em apenas oito anos.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
08/01/2018 - 07h50
Cachorrinha reencontra donos após ser capturada por águia nos EUA
24/10/2017 - 11h16
Em Assunção, Ruiter expõe desafios e oportunidades para viabilidade de hidrovia
14/09/2017 - 10h45
Raras girafas brancas são observadas em parque no Quênia
11/09/2017 - 14h23
Distantes, moradores de MS vivem angústia com parentes nos EUA
08/09/2017 - 07h10
Aquidauanense que mora no Texas relata desespero com furacão
 
Últimas notícias do site
17/01/2018 - 13h28
Inmet coloca Capital e 31 municípios em alerta devido a risco de tempestade
17/01/2018 - 08h01
Fazendeiro é autuado em R$ 15 mil por armazenamento ilegal de embalagens de agrotóxicos
17/01/2018 - 07h52
Carnaval de Corumbá: continuam abertas inscrições para ambulantes e praça de alimentação
17/01/2018 - 07h49
Reinaldo participa da Showtec e Rose visita cidade atingida por chuva
17/01/2018 - 07h05
Carnaval de Corumbá: atrações tem até sexta-feira para realizar cadastro
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.