zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 28/03/2011 - 07h53

Obama e o astuto tio sam




Por Bruno Peron Loureiro

A gira do presidente estadunidense Barack Obama, sua esposa Michelle e as duas filhas em três países latino-americanos - Brasil, Chile e El Salvador - comprovou a submissão e o clientelismo de alguns países desta região aos "donos do mundo" do Norte.

Os Estados Unidos não dissimulam o receio de perder espaço na América Latina - tema candente na geopolítica - para países de fora do continente americano, como China, Índia e Coreia do Sul. O passeio da família real estadunidense trouxe a bandeira de seus interesses econômicos, principalmente nos setores de energia, tecnologia e infra-estrutura.
O porta-voz da nação mais faminta por destruição que o Ocidente moderno já conheceu agiu ainda, segundo se depreende de seus discursos, como avaliador e dosador de países que representam êxitos da democracia e do desenvolvimento econômico.

Depois de promover a desgraça no Afeganistão e no Iraque - e tudo indica que farão o mesmo na Líbia - os Estados Unidos posam de autênticos medidores de nações mais ou menos democráticas. Mensagem implícita: nenhuma nação alcançou ainda o ápice da democracia como a estadunidense, fiel herdeira dos ideais de Alexis de Tocqueville, se é que alcançará.

Obama teve igualmente a audácia de afirmar que uma das conquistas do Brasil é ter migrado de uma ditadura - recorda-se que apoiada pelos Estados Unidos - para uma "democracia pujante", de "liberdade" e "oportunidades para seu povo". Efetivamente foi um grande avanço, porém que importa se tanto um regime como outro rendem uma nação curvada aos interesses do Norte? Desde a abertura ao consumismo dada pelo general Eurico Gaspar Dutra na segunda metade dos anos 1940, logo os terríveis "anos de chumbo" do general Médici, até chegar à postura liberalizadora do comércio da meio de campo Dilma Rousseff, o Brasil só terá a comemorar quando seu povo se instruir e se politizar.

Tal é o colonialismo que se propaga neste país que, além de os meios de comunicação oligopólicos não enxergarem um palmo do que acontece nos países vizinhos, a apresentação da cantora Ivete Sangalo no Madison Square Garden, em Nova York dia 4 de setembro de 2010, foi divulgada em horário nobre do canal de televisão Globo como se fosse uma façanha nacional, enquanto o esdrúxulo apresentador Luciano Huck se gaba por ter sido fotografado ao lado de Barack Obama, o que lhe rendeu número recorde de cliques no Twitter.
A opção de Obama por Brasil, Chile e El Salvador não é vã, porquanto estes são uns dos poucos países latino-americanos onde o presidente não seria terrivelmente vaiado. A China, ainda, conquistou espaço como principal parceiro comercial de Brasil e Chile, no lugar dos Estados Unidos. O pequeno susto da explosão de uma bomba numa casa cultural dos Estados Unidos na cidade costeira de Viña del Mar, Chile, não prejudicou a visita do mandatário àquele país.

A presença breve de Obama em Brasília, a capital artificial e dispendiosa dos funcionários públicos, e logo Rio de Janeiro e Cidade de Deus descortinou que ministros tupinicas se sentem superiores a qualquer cidadão e se incomodam de serem revistados para se aproximar do astro, enquanto o aparato de segurança mirabolante demonstra o que será preciso investir com os mega-eventos de 2014 e 2016 na cidade que pouco tem de "maravilhosa".
A chefe de Estado tupinica Dilma Rousseff aproveitou a visita de Obama ao Brasil para sugerir a derrubada das barreiras tarifárias estadunidenses sobre nossos produtos, como aço, algodão, carne bovina, etanol e suco de laranja. É oportuna a sugestão aos protecionistas do Norte, mas o antecessor Lula tinha espírito mais combativo frente às impertinências dos Estados Unidos. Dava-lhe menos pudor desafiar as nações mais poderosas. Sem contar que, quanto mais etanol sair do país, mais teremos do que lamentar nos postos de combustível.

Estados Unidos, de ser a superpotência da segunda metade do século XX, termina como um país desesperado e à beira da falência, que emerge da tenebrosa crise financeira de 2008-2009 com a mesma estratégia de chamar os demais países ao seu lado ou bombardeá-los caso não acreditem em suas falácias, cada dia menos convincentes.
No ínterim do passeio recolonizador de Obama pelas terras "latinas", que para o comum dos estadunidenses e alguns tupinicas é tudo a mesma coisa, forças sinistras dos Estados Unidos iniciaram ataques "pacificadores" à Líbia, país da África setentrional, a fim de libertar o povo da opressão de Muamar Kadafi. Por mais sórdidas que sejam as políticas deste ditador, os Estados Unidos autorizaram mais um banho de sangue ilegítimo para a coleção do Tio Sam.

A vantagem de que os Estados Unidos dispõem é que já têm parte da América Latina sob controle, área que inclui México, Costa Rica, Colômbia, Peru e Chile, desde que seus representantes passem longe de Cuba, Nicarágua, Venezuela, Equador, Bolívia, Argentina, entre outras nações cujo povo é mais lúcido e cujos governos são progressistas.
Ao que tudo indica, Obama tirou alguns dias de descanso na América Latina para esquecer temporariamente o papel ignóbil dos Estados Unidos no mundo, já que, na Cidade de Deus, ele foi recebido com apresentação de funk e maracatu, bem ao ritmo da amnésia tupinica.


http://brunoperon.com.br

Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões.
redacao@pantanalnews.com.br

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
18/04/2017 - 15h00
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte IV
18/04/2017 - 14h55
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte III
18/04/2017 - 14h50
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte II
18/04/2017 - 14h45
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte I
 
Últimas notícias do site
20/04/2017 - 16h22
Deputado Dr. Paulo Siufi recebe Medalha Tiradentes da PM de MS
20/04/2017 - 16h15
Dr. Paulo Siufi cobra cumprimento de lei que monitora eletronicamente os exames de direção veicular
20/04/2017 - 16h02
Ação humana coloca em xeque a conservação de aves do Pantanal
20/04/2017 - 15h48
Conab enviará mais 59,45 mil t de milho para municípios do Norte e Nordeste
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.