zap
ANIVERSÁRIO CORUMBÁ 2017
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 18/02/2011 - 11h05

Primeiros dados sobre desmate em zonas encobertas da Amazônia serão divulgados em março




Por Redação Pantanal News/Governo Federal

As imagens são fornecidas pelo satélite japonês Alos, com capacidade de ver através das nuvens, e vão ajudar no combate a contraventores ambientais.

Informações sobre desmatamentos ocorridos em áreas da Amazônia que passam a maior parte do ano encobertas por nuvens serão divulgados pela primeira vez em março. Os dados estão sendo obtidos por meio do satélite japonês Alos, que tem um radar com sensor capaz de obter imagens mesmo em zonas chuvosas, como a região equatorial amazônica. A avaliação foi feita pelo novo sistema de monitoramento do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), chamado Indicador de Desmatamento com Imagens e Radar (Indicar). As informações vão colaborar com ficais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e Polícia Federal para o combate e apreensão de contraventores ambientais.

O Ibama trabalha em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para o monitoramento do bioma em território brasileiro, com a ajuda dos sistemas Prodes, Deter e Detex.  Os três juntos vêm contribuindo, desde 2004, para o fornecimento de informação no combate ao desmatamento.

No entanto, esses equipamentos apresentam problemas de cobertura em regiões que possuem florestas densas e chuvosas. Eles não conseguem produzir imagens através das nuvens. Os biomas que causam maior problemas para os três sistemas são as florestas ombrófilas densas, como a região equatorial amazônica.

“Os desmatadores descobriram que nossos sistemas de monitoramento não conseguiam cobrir essas regiões chuvosas e aproveitavam para desmatar. Esse é o motivo pelo qual os sensores capazes de fazer imagens sobre condições de nuvens, como os que compõem o satélite japonês Alos - lançado pela Agência Espacial Japonesa (Jaxa), em 2006 - foram considerados como solução para essa ausência de informações”, explicou o coordenador geral de Zoneamento e Monitoramento Ambiental do Ibama, George Porto Ferreira.

Os radares transportados por aeronaves do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) foram concebidos para essa finalidade, porém por serem aerotransportados, têm demonstrado alto custo e baixa capacidade de repetir as imagens para que se faça uma relação de antes e depois, necessária para avaliar a real situação das florestas. 

Japão oferece serviço sem custo para o Brasil - O Alos (Sistema Avançado de Observação da Terra), desenvolvido pelo Japão, destaca-se por seus sistemas orbitais com radares de abertura sintética que conseguem, durante o dia ou à noite, fazer imagens de faixas da superfície terrestre com 70 a 350 km, sem que a nebulosidade interfira. 

O satélite japonês fica a cerca de 700 quilômetros de altitude e envia sinais de micro-ondas, que atravessam as nuvens, chegam ao solo terrestre e voltam para o radar. Todas as informações captadas são transmitidas para o Centro de Observação da Terra, órgão do governo japonês, e retransmitidas de 46 em 46 dias para o Ibama, quase sem custo. “Não podemos dizer que não há custos porque temos que contar com profissionais capacitados para realizar a análise, mas o Japão não cobra nada pelo serviço, porque quer contribuir para o combate ao desmatamento da Amazônia”, enfatiza Ferreira.

Números do desmatamento - O recorde de desmatamento verificado pelo Prodes aconteceu em 1995, quando a Amazônia perdeu 29.059 km2. Desde 2004, quando foram registrados 27.423 km2, o desmatamento vem diminuindo progressivamente, com exceção de 2008 que apresentou ligeiro aumento. Deve-se destacar que, no início de 2008, o Deter mostrou que havia uma tendência de aceleração do desmatamento. Baseado no sistema de alerta, o governo pôde agir rápido e conter a devastação. Em 2009, o desmatamento correspondeu a 7.464 km2. No final do ano passado, o Inpe divulgou a estimativa do desmatamento de 2010, de 6.451 km2, a menor já registrada.

Saiba mais

Prodes - sistema de detecção de desmatamentos que calcula as taxas anuais de desflorestamento da Amazônia Legal. É utilizado para o planejamento de ações de longo prazo. 

Deter - sistema de detecção de desmatamentos em quase tempo real, cujos dados são repassados pelo Inpe ao Ibama de 15 em 15 dias.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/09/2017 - 14h39
Projeto Florestinha realizou Educação Ambiental para alunos em comemoração ao dia da árvore
21/09/2017 - 12h44
Dia da Árvore tem plantio e coral do Rede Solidária na Sedhast
21/09/2017 - 08h23
Campo Grande recebe primavera colorida pelos tarumãs e jacarandás
14/09/2017 - 05h50
Incêndio florestal que durou 10h consumiu pelo menos mil hectares
08/09/2017 - 07h45
Em uma semana, setembro já é o 3º mês com mais queimadas no ano
 
Últimas notícias do site
22/09/2017 - 17h12
Vídeo: Ministro oficializa migração de 23 rádios da frequência AM para FM
22/09/2017 - 17h00
Vídeo: Ministro assina documento que autoriza migração de rádios AM para FM em MS
22/09/2017 - 15h58
Aquidauana sedia encontro para debater inclusão no IFMS
22/09/2017 - 14h39
Projeto Florestinha realizou Educação Ambiental para alunos em comemoração ao dia da árvore
22/09/2017 - 13h11
PMA apreende redes e liberta peixes dos petrechos ilegais
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.