zap
ANIVERSÁRIO CORUMBÁ 2017
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 17/01/2011 - 07h57

Muros da paz aparente




Por Bruno Peron Loureiro

A situação conflitante entre Israel e Palestina não tem trégua.

O que se esperava resolver pela negociação bilateral cede às tentações unilaterais de Israel, que continua construindo lares judeus na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental.

O pulverizado povo palestino acompanha os movimentos de seu líder Mahmoud Abbas, que negocia a formação de um Estado Palestino, contíguo ao de Israel.

A estratégia de Abbas é conquistar apoio internacional contra a resistência de Israel e EUA, dois aliados tradicionais. O líder palestino demanda uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que declare ilegais os assentamentos judeus na Cisjordânia.

Israel é a porta de entrada do controle EUAno sobre o Oriente Médio e o país de maior afinidade ideológica na região. Não é à toa que os israelenses incham na região com a mesma indiferença como os anglo-americanos marcharam à costa do Pacífico e logo paparam metade do México.

O chefe israelense Benjamin Netanyahu voltou a mencionar a importância do recurso de negociação para a paz na região do Oriente Médio enquanto vários países sul-americanos declararam que reconheceriam o Estado Palestino assim que fosse criado desde as fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, em 1967. Esta configuração inclui Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

Os países seguintes da América do Sul são favoráveis à criação do Estado palestino: Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Equador e Venezuela. Há resistência a este reconhecimento de Chile e Colômbia. Os governos tidos por mais progressistas, deste modo, tendem a conceder maior apoio ao minguante mas valente povo árabe palestino.

O Brasil, em seu turno, mostrou-se favorável em dezembro de 2010 a receber uma Embaixada Palestina e indicou o terreno onde ela se estabeleceria em Brasília. O ex-presidente tupinica Lula esteve em Israel e Palestina em março de 2010, enquanto o líder palestino Mahmoud Abbas esteve no Brasil em 2005 e 2009.

A decisão de Lula e a chancelaria tupinica causa desconforto entre alguns representantes de países pujantes na comunidade internacional. Alegam que o Brasil não tem cacife para meter-se no conflito histórico do Oriente Médio, mas se esquecem de que o país e a América Latina estão cada vez mais ativos em discussões de porte mundial. Ademais, deixar estes temas nas mãos dos grandes provou-se trágico.

Pouco se acredita em que um grupo seleto de países porá término às animosidades intermitentes entre árabes e israelenses, daí a necessidade de intervenção diplomática de outros países.

Da América Latina sairá não só a matéria-prima para as decadentes indústrias de países mais ricos mas também ideias e propostas para a paz mundial, que até hoje só ouvimos de vigaristas.

Atribuem o nome de "negociação de paz" à tomada de territórios dos palestinos aos israelenses. O desenho dos mapas desde o início oficial dos conflitos até hoje denuncia quem se tem beneficiado da situação aparentemente sob controle, mas cujas diferenças se marcam pela construção de muros.

É duro imaginar que ainda se disputem terras como nos velhos tempos em que não se levavam litígios a cortes internacionais. Desta privação da natureza se livraram os fazendeiros no Brasil. Melhor que isso, comemoram que o povo aqui não se importa de aglomerar nas cidades enquanto concentram o solo fértil.



http://brunoperon.com.br


Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões. redacao@pantanalnews.com.br

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
04/09/2017 - 09h11
3ª Etapa da Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (Parte III)
04/09/2017 - 09h06
3ª Etapa da Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (Parte II)
04/09/2017 - 09h01
3ª Etapa da Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (Parte I)
28/07/2017 - 16h47
Chapéu Bandeirante
24/07/2017 - 09h01
Atentado à Vida de Plácido de Castro
 
Últimas notícias do site
21/09/2017 - 17h00
Vídeo: Ministro assina documento que autoriza migração de rádios AM para FM em MS
21/09/2017 - 16h11
Frigorífico de jacarés leva qualidade do Pantanal ao mundo, diz Reinaldo
21/09/2017 - 16h02
Exército Brasileiro dá a largada para a Operação Dínamo V
21/09/2017 - 14h50
Polícia Militar prende homem que agrediu namorada
21/09/2017 - 14h31
UFPA e Iphan lançam mapa etno-histórico sobre línguas indígenas do Brasil
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.