zap
MAIS OBRAS MS 3 MESES
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meteorologia - 13/09/2010 - 11h21

Seca já chega a 3 meses em algumas regiões do Estado




Por Redação Pantanal News/Guilherme Baroli (NotíciasMS)

Edemir Rodrigues
recurso

 

Campo Grande (MS) – Há quase dois meses não chove na Capital e a estiagem se estende já há a quase 90 dias nos municípios da região norte de Mato Grosso do Sul. Mas a tão esperada chuva pode estar a caminho. De acordo com o site Climatempo, nesta segunda-feira a aproximação de uma frente fria provoca aumento de nuvens e pancadas de chuva a partir da tarde no oeste e no sul do Estado. Nas demais áreas da região, uma grande massa de ar seco dificulta a formação de nuvens carregadas, o que dificulta as condições de chuva e a umidade fica baixa principalmente durante à tarde, devido às altas temperaturas.
Na terça-feira, o avanço desta frente fria deve aumentar a formação de nuvens e queda de temperaturas. Haverá ventos fortes, com chuva no sul e no oeste de Mato Grosso do Sul. Na região central, em Campo Grande e em áreas do norte do Pantanal, o sol aparece, as nuvens aumentam e acontecem pancadas de chuva a partir da tarde. Nas outras áreas do Estado, sol entre muitas nuvens, mas não chove. Não há previsão de chuva para os próximos dias até o dia 22 de setembro, no entanto, a tendência pode variar muito de um dia para o outro.
Fenômeno La Niña
Este período de seca se justifica pelo fenômeno La Niña – quando há diminuição da temperatura dos oceanos causada pelo aumento da força dos chamados ventos alísios.
“São ventos fortes que intensificam a ressurgência das águas do Pacífico, ou seja, as águas mais profundas do oceano se misturam com as da superfície, causando o esfriamento das mesmas. Com isso, há menos evaporação e, portanto, menos chuvas”, explica a coordenadora Técnica e Meteorologista do Cemtec, Cátia Braga.
O oposto acontece com o fenômeno El Niño, que ocorre devido ao aumento da temperatura do oceano Pacífico.
Além do La Niña, que é um fenômeno global, existem fatores climáticos regionais que também contribuem para o período de seca e um efeito de calor, normais nessa época do ano em Mato Grosso do Sul.
“O Estado fica sob um sistema de alta pressão, que cria um efeito tampa. Isso propicia um bloqueio atmosférico que impede a formação de nuvens e deixa a umidade do ar bastante baixa”, completa Braga e acrescenta que a umidade relativa do ar é, na maioria dos casos, inversamente proporcional à temperatura.
Apesar do rigor, o tempo seco é comum nesta época do ano. Situação que deve se normalizar. A previsão climática de consenso para o trimestre setembro, outubro e novembro de 2010 indica previsão de chuvas em torno da média histórica na região Centro-Oeste.
Saúde
         Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), nas últimas duas semanas de agosto – período em que a estiagem atingiu seu ápice –, foi registrado um aumento de aproximadamente 30% no número de casos de diarreias em Mato Grosso do Sul. De acordo com a secretaria, um dos principais agravantes é o tempo seco do inverno, que permite o acúmulo de poeira, aumentando os riscos de doenças respiratórias e a proliferação dos rotavírus, principais causadores das chamadas “viroses”. A secretaria adverte que a população adote medidas de higienização mais intensa enquanto perdurar os dias de baixa umidade.
            
       Mês de agosto foi de intenso trabalho dos bombeiros em todo o Estado de MS
         
Julho e agosto, meses de queimadas
 
        Segundo estudo do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE), o mês de julho de 2010 foi marcado por temperaturas acima da média e baixos valores de umidade relativa do ar, principalmente nos setores central e leste do Brasil.
        Os focos de queimadas aumentaram 200% em comparação com o mês anterior e com o mesmo período de 2009.
        Já o Ministério do Meio Ambiente, que, em 26 de maio deste ano, tinha decretado estado de emergência ambiental em 14 Estados – entre eles Mato Grosso do Sul - incluiu no último dia 06 de setembro o Distrito Federal, devido ao grande número de focos de queimadas. Segundo dados oficiais, o mês de agosto de 2010 tem sete vezes mais incêndios que o mesmo período de 2009.
        A portaria com a lista incluindo o DF, publicada Diário Oficial da União permite, por exemplo, que os Estados contratem brigadistas para combater o fogo sem a necessidade de licitação.
             
          O ipê resiste
          Em meio a vegetação seca do Cerrado, o ipê se destaca pelo colorido de suas flores. Como a espécie floresce no final do inverno, é influenciada pela intensidade da estação. Quanto mais frio e seco for o inverno, maior será a intensidade da florada do ipê-amarelo. A floração do ipê se dá no final de julho e vai até setembro, podendo ocorrer variações devido a fenômenos climáticos.
         Apesar do pau-brasil ter sido declarado Árvore Nacional, o ipê é considerado Árvore Símbolo do país. 
         A árvore possui 253 espécies e está presente em todo o brasil. Juntamente com o pôr-do-sol, o ipê é o cartão postal de campo grande. Quando a árvore floresce, dá um charme a mais à cidade. Imponente, se destaca entre o verde dos parques, residências e edifícios. O Ipê faz parte do gênero tabebuia, nome derivado do tupy. Para os índios, ipê significa tábua boa.

         Em campo grande, destaca-se o ipê amarelo, mas espécies das cores roxa e branca também são vistas pelo município.

          

 

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
23/08/2017 - 06h30
Frio vai embora e termômetros chegam a marcar 33ºC em MS
22/08/2017 - 06h30
Terça-feira começa fria, mas tempo esquenta e máxima chega a 30ºC
21/08/2017 - 08h20
Semana começa gelada em MS e calor deve voltar na quarta-feira
21/08/2017 - 07h08
Instabilidade se despede de MS levando chuva para longe e deixando o frio
19/08/2017 - 07h11
Sol volta a aparecer, mas há previsão de chuva para todas as regiões de MS
 
Últimas notícias do site
23/08/2017 - 17h12
Vídeo: Ministro oficializa migração de 23 rádios da frequência AM para FM
23/08/2017 - 17h12
Vídeo: Ministro oficializa migração de 23 rádios da frequência AM para FM
23/08/2017 - 17h00
Vídeo: Ministro assina documento que autoriza migração de rádios AM para FM em MS
23/08/2017 - 15h53
Ministério das Comunicações publica decreto que desregulamenta radiodifusão
23/08/2017 - 11h13
PM de Aquidauana apreende dupla com maconha em veículo
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.