GOVERNO PRESENTE
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 27/10/2008 - 07h20

Miranda é um dos principais rios monitorados pelo Imasul durante a piracema




Por Fabio Pellegrini, do Notícias MS

            O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) realizará o monitoramento de reprodução de peixes durante a piracema em todo o Estado, principalmente no Rio Miranda, uma das principais áreas de recursos pesqueiros do Estado. A piracema é o período de reprodução dos peixes e a legislação que impede a pesca tem por principal objetivo a perpetuação das espécies.

            Durante a piracema, que tem início no dia primeiro de novembro na bacia hidrográfica do rio Paraná e a partir do dia 05, na bacia hidrográfica do rio Paraguai, técnicos da Gerência de Pesca do Imasul realizarão o acompanhamento da reprodução dos peixes, das espécies que mais se desenvolvem e dos locais onde ocorre a desova.

            Segundo a gerente de Pesca, Francisca Fernandes de Albuquerque, o rio Miranda é uma área onde há concentração de peixes para reprodução. “Nós realizamos o monitoramento em todo o Estado e o rio Miranda tem sido um local importante para a reprodução dos peixes. Apesar do assoreamento, ainda há muito peixe nesse rio e realizamos o monitoramento até a região do município de Bonito” informou Francisca.

            A Polícia Militar Ambiental (PMA) é a responsável pela fiscalização durante o período de defeso e é na região de Miranda que a fiscalização é mais intensa. A pesca ilegal é crime. De acordo com a legislação, quem for flagrado pescando com material proibido recebe multa administrativa que pode variar de R$ 700 a R$ 100 mil, mais R$ 10,00 por quilo de pescado irregular. Todo o produto é apreendido, além do veículo, do barco e do motor.  Também é prevista pena de um a três anos de detenção.O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) realizará o monitoramento de reprodução de peixes durante a piracema em todo o Estado, principalmente no Rio Miranda, uma das principais áreas de recursos pesqueiros do Estado. A piracema é o período de reprodução dos peixes e a legislação que impede a pesca tem por principal objetivo a perpetuação das espécies.

            Durante a piracema, que tem início no dia primeiro de novembro na bacia hidrográfica do rio Paraná e a partir do dia 05, na bacia hidrográfica do rio Paraguai, técnicos da Gerência de Pesca do Imasul realizarão o acompanhamento da reprodução dos peixes, das espécies que mais se desenvolvem e dos locais onde ocorre a desova.

            Segundo a gerente de Pesca, Francisca Fernandes de Albuquerque, o rio Miranda é uma área onde há concentração de peixes para reprodução. “Nós realizamos o monitoramento em todo o Estado e o rio Miranda tem sido um local importante para a reprodução dos peixes. Apesar do assoreamento, ainda há muito peixe nesse rio e realizamos o monitoramento até a região do município de Bonito” informou Francisca.

            A Polícia Militar Ambiental (PMA) é a responsável pela fiscalização durante o período de defeso e é na região de Miranda que a fiscalização é mais intensa. A pesca ilegal é crime. De acordo com a legislação, quem for flagrado pescando com material proibido recebe multa administrativa que pode variar de R$ 700 a R$ 100 mil, mais R$ 10,00 por quilo de pescado irregular. Todo o produto é apreendido, além do veículo, do barco e do motor.  Também é prevista pena de um a três anos de detenção.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
20/07/2017 - 15h38
Um corredor ecológico que guarda sinais pré-históricos de 8 mil anos
19/07/2017 - 14h16
Julho já teve 167% pontos de calor a mais do que no mês passado em MS
19/07/2017 - 12h48
Parque das Nações ganhará bosque em homenagem aos 40 anos de MS
14/07/2017 - 14h08
Estado registra 108 focos de queimadas em apenas três dias, mostra Inpe
12/07/2017 - 11h54
Em dez dias, MS tem 250 focos de calor e é o 4º no ranking brasileiro
 
Últimas notícias do site
20/07/2017 - 15h38
Um corredor ecológico que guarda sinais pré-históricos de 8 mil anos
20/07/2017 - 14h37
Leilões comercializam apoio a produtores de milho de quatro estados
20/07/2017 - 11h28
Novas regras para combate da ferrugem asiática da soja entram em vigor hoje
20/07/2017 - 08h00
PMA autua homem por transporte de pescado ilegal
20/07/2017 - 07h31
Governo atualiza preços mínimos da safra de verão
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.