zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 16/10/2008 - 07h10

Uma hora a mais faz toda a diferença




Por Carlos Alberto dos Reis (*)

No próximo dia 19, no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País, terá início mais um horário de verão. Apesar de adotado há mais de duas décadas, apenas em 2008 oficializou-se determinação para que vigore, todos os anos, sempre no mesmo período: do terceiro domingo de outubro ao terceiro domingo de fevereiro. Haverá exceção quando este coincidir com o Carnaval, sendo então a mudança adiada por uma semana. A padronização é importante para as empresas planejarem de modo mais preciso a adequação de seus fluxos produtivos e também para a população em geral, reforçando o significado da medida, já arraigada na cultura dos brasileiros daquelas regiões.

O ganho de uma hora com luz solar é essencial para reduzir o consumo de eletricidade nos horários de pico. A claridade natural das 18 às 19 horas atenua, nesse intervalo de tempo, a demanda simultânea nas indústrias, escritórios e residências. Assim, não ocorrem sobrecargas e diminuem muito os riscos de blecautes na época mais quente no ano, quando cresce o uso de equipamentos de refrigeração, ar condicionado e ventilação, cujo funcionamento despende bastante energia. Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema), a economia, que varia entre 4% e 5%, foi de dois mil megawatts no último horário de verão. Em dinheiro, isso representou R$ 10 bilhões.

Tal resultado, embora aparentemente tímido, tem grande significado neste momento em que o atraso e a insuficiência dos investimentos em geração, transmissão e distribuição mantêm viva a possibilidade de apagões. Para suportar a expansão do PIB verificada na década e possibilitar evolução de 5% por exercício, é necessário crescimento anual de ao menos 7% na oferta de eletricidade. Entretanto, isso não ocorre. A energia que o Brasil dispõe hoje para seus 183,9 milhões de habitantes é a mesma de dez anos atrás.

Segundo relatório de fiscalização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), há 23 usinas licitadas desde 2002, significando capacidade instalada total de 5.157 megawatts. Dessas, 12 ainda esperam a liberação ambiental prévia e cinco aguardam a licença de instalação. É lamentável constatar que, na prática, nada está acontecendo. Assim, respeitando-se os preceitos ecológicos e a sustentabilidade dos projetos, é necessário agilizar todo esse processo de licenciamento ambiental.

As usinas que entrarão em funcionamento rapidamente são pequenas e não atendem à demanda. As maiores são a de Santo Antônio e Jirau, leiloadas nos últimos meses, que irão gerar mais de seis mil megawatts por ano, o equivalente a meia usina de Itaipu, mas só estarão prontas em cerca de dez anos. É muito tempo! Afinal, não podemos esquecer que a eletricidade é essencial para a economia, a sociedade, as empresas e a própria segurança nacional. Portanto, o crescimento sustentado e o desenvolvimento não podem continuar reféns de políticas públicas ineficazes no campo da eletricidade, item fundamental da matriz energética brasileira.

Em condições normais de oferta, o horário de verão já seria adequado e recomendável. Na presente conjuntura nacional, é imprescindível! Uma hora diária de luz solar extra faz muita diferença. Além disso, bem que poderia iluminar as mentes de todos os que ainda não perceberam a gravidade de um problema que pode parar o País...

 

(*) Carlos Alberto dos Reis é presidente do Sindicato dos Eletricitários do Estado de São Paulo.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/05/2017 - 09h01
Heraldo Pereira e Bosco Martins: um breve reencontro entre amigos
04/05/2017 - 14h30
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte VI
02/05/2017 - 11h08
O poeta de Sobral
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
 
Últimas notícias do site
26/05/2017 - 12h16
Projeto prevê salas de amamentação em shoppings, aeroporto e igrejas
26/05/2017 - 11h48
Polícia Militar capturou quatro foragidos da justiça nos últimos dias
26/05/2017 - 10h59
PMA apreende meia tonelada de pescado e aplica R$ 33 mil em multas
26/05/2017 - 10h20
Fim de semana em MS tem eventos gratuitos na capital e no interior
26/05/2017 - 09h25
7º Batalhão da PM fecho o cerco contra assaltos à bancos
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.