zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Pesquisa no Pantanal - 08/10/2008 - 14h05

Vacina cura "ferida da moda" em cavalos




Divulgação

Por Ana Maio

 A Embrapa Pantanal acaba de apresentar no Ciência para a Vida uma   vacina que cura a pitiose, doença que atinge humanos e animais,   principalmente cavalos,  também conhecida como "Ferida da Moda" e "Ferida Braba". O Ciência para a Vida é o maior evento dedivulgação   de pesquisas científicas romovido pela Embrapa, em Brasília, a cada   dois anos. Aconteceu de 20 a 28 de setembro.

   A pitiose é causada por um fungo que se desenvolve em locais alagadiços, especialmente nas regiões de clima tropical e subtropical.

   O Pantanal brasileiro é considerado a região de maior ocorrência de pitiose eqüina do mundo, mas a doença ocorre em todo o país e causa   prejuízos significativos na agropecuária.

   O agente etiológico (Pythium insidiosum) não é sensível às drogas ntifúngicas existentes e causa a morte ou invalidez na grande maioria dos casos. O objetivo da tecnologia foi pesquisar, desenvolver, testar e aperfeiçoar um método alternativo para o controle da doença, baseado no tratamento com um imunobiológico desenvolvido pela Embrapa Pantanal e UFSM (Universidade Federal de Santa Maria). O produto, apesar de popularmente chamado de vacina, é utilizado na cura da doença.

   Chamado de Pitium Vac, o medicamento foi lançado há nove anos, com recursos captados do Prodetab (Projeto de Apoio ao Desenvolvimento deTecnologias). As pesquisas foram desenvolvidas na fazenda Nhumirim, da Embrapa Pantanal, e nos laboratórios da UFSM. O custo estimado para a criação da tecnologia é de R$ 109 mil.

   De acordo com levantamento da Embrapa Pantanal (Corumbá-MS), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, até o momento pelo menos 251 produtores já adquiriram a Pitium Vac pelo menos uma vez. A redução de custo no tratamento foi de R$ 440 por animal.

   A vacina ainda não é exportada, mas existe potencial para que seja usada em países onde ocorre a enfermidade, como Argentina, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Haiti, Panamá, Nicarágua, EUA (Flórida, Louisiana, Mississippi e Texas), Índia, Indonésia, Japão, Nova Guiné, Nova Zelândia, Coréia e Tailândia. Há possibilidade de adaptar essa
   tecnologia para o tratamento de humanos, já que esta doença também atinge essa espécie.

   O pecuarista Emílio César Miranda de Barros, ex-presidente do   Sindicato Rural de Corumbá, já utilizou a vacina em sua tropa e   aprovou os resultados. "É muito boa, excelente. Antes a gente tratava cortando a ferida ou queimando. Quando estava no início, alguns   animais saravam. Mas se a doença fosse avançada..."

   Emílio Barros calcula que em uma de suas fazendas, de 120 cavalos,  entre seis e oito apresentam a pitiose todos os anos. Ele calcula um prejuízo aproximado de R$ 4,2 mil por ano, considerando o custo de cada animal a R$ 600.

   Outro produtor, Urbano Gomes de Abreu, disse que em áreas do Pantanal onde a cheia é mais expressiva e em fazendas mais suscetíveis à enchente, a pitiose eqüina pode atingir 10% da tropa.

   Outra vantagem da Pitium Vac, segundo Barros, é o preço. "Não é cara.
   Você aplica três doses e acabou!"

 

 


Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
VALENTE, em 15/08/2010 - 23h19

Mesmo que as feridas sequem, ou regridam bem com até duas doses, percebi no meu animal que voltaram de novo nos mesmos e novos locais. No mínimo 4 doses(é mais seguro).

heitor leinig, em 22/06/2009 - 13h49

gostaria de adquirir a vacina para tratamento de um animal. mro em curitiba e não sei onde comprar. obrigado

angélica Teles, em 13/01/2009 - 11h35

adorei a reportagem,pois tenho um acavalo que está apresentando todos os sintomas de pitiose ,mas gostaria de saber como posso adquirir esta vacina pitium vac,aguardo resposta desde de já muito obrigada.

 
Últimas notícias do canal
14/10/2015 - 11h00
Expedição de barco pelo Pantanal de MS discute preservação ambiental
26/08/2013 - 08h03
Em MS, médicos de outros países fazem provas para revalidar diploma
30/01/2013 - 08h45
Embrapa Pantanal firma convênio para o fortalecimento da Apicultura em Mato Grosso do Sul
30/10/2012 - 16h45
PRF apreende veículo com CRLV falso
05/09/2012 - 13h45
Pesquisadores questionam alterações da Lei de Pesca do Mato Grosso
 
Últimas notícias do site
22/11/2017 - 11h35
PMA autua fazendeiro por erosão e assoreamento de córrego
22/11/2017 - 09h39
Projetos do IFMS conquistam principais prêmios de feira científica estadual
22/11/2017 - 09h23
Projeto Florestinha completa 25 anos formando cidadãos responsáveis
22/11/2017 - 07h26
Acumulada, Mega-Sena pode pagar R$ 50 milhões nesta quarta-feira
22/11/2017 - 06h13
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.