zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meteorologia - 05/01/2010 - 16h41

População tenta reerguer São Luiz do Paraitinga, devastada pela enchente




Por Redação Pantanal News/Agência Brasil

São Paulo - Cinco dias depois de ter sido devastada pela maior enchente que a cidade de São Luiz do Paraitinga já sofreu, a população tenta voltar à rotina, mas o cenário ainda é de muita desolação.

Em alguns pontos já foi restabelecido o sistema de telefonia, o fornecimento de energia elétrica e o abastecimento de água, segundo informou à Agência Brasil, o tenente Marlon Robert Niglia, diretor do Núcleo de Gerenciamento de Emergência da Coordenadoria da Defesa Civil do Estado de São Paulo.

Um homem de 42 anos continuava desaparecido até o final da manhã de hoje (5). Nenhum caso de morte havia sido confirmado até aquele momento.

Cálculos preliminares da prefeitura dão conta de que os prejuízos podem chegar a R$ 100 milhões. Entre bombeiros, policiais militares, técnicos ambientais e profissionais da Defesa Civil 192 pessoas atuavam hoje na força tarefa para devolver a normalidade ao município.

De acordo com o tenente Niglia, ainda existem 2,4 mil pessoas que não podem voltar para casa. A maioria dos desalojados foi abrigada por parentes em cidades vizinhas como Taubaté. Nos abrigos municipais, que não chegaram a ser afetados por estarem situados num ponto alto, ha´30 pessoas.

Desde ontem, técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) fazem vistorias nos imóveis atingidos e também nas encostas, de modo a avaliar se ainda há riscos para a população.

O nível da água do Rio Paraitinga subiu mais de dez metros. Ruas, casas, igrejas, prédios públicos e estabelecimentos comerciais foram tomados pelas inundações e força da correnteza arrastou carros , árvores, móveis e outros objetos.

Quando a água baixou, havia veículos jogados sobre paredes e um amontoado de escombros, além de muita lama. Algumas construções, incluindo prédios históricos, ficaram em ruínas ou foram, parcialmente, destruídas.

Em entrevista à TV Brasil, o engenheiro civil, Jairo Barriello, comandante da Defesa Civil do Município, explicou que as enchentes resultaram de dois fenômenos: a cheia do rio Chapéu e a grande vasão da bacia do Paraitinga.

Segundo ele, não sobraram nem ferramentas e equipamentos do setor público municipal para os trabalhos necessários de reconstrução, como pás, enxadas, capacete e outros. A população precisa principalmente de água e muito material de limpeza.

Equipes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cultura, e do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico (Condephaat), iniciaram hoje um estudo sobre os danos aos prédios históricos que somam mais de 90 construções, algumas do século XIX e entre os quais estavam as erguidas com paredes de taipa (barro socado e estruturado em esteiras de bambu ou de madeiras).

A superintendente do Iphan em São Paulo, Ana Beatriz Airosa, informou que, antes dos acontecimentos, estava em processo final o estudo que iria conceder o tombamento de São Luiz do Paraitinga, reconhecendo a cidade como não apenas como detentora de um patrimônio histórico, mas também paisagístico.

De acordo com a superintendente, nem todos os imóveis perdidos poderão ser devolvidos como eram, originalmente. “O que a gente vê por aqui é muita desolação”, disse à reportagem da Agência Brasil por meio de um aparelho celular.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
21/07/2017 - 06h23
Frio perde força e tempo quente e seco volta a predominar em MS
19/07/2017 - 07h28
Sensação térmica chega a -16°C e geada atinge 15 cidades de MS
18/07/2017 - 15h39
Temperatura fica fria até quinta-feira em MS, segundo a previsão
18/07/2017 - 07h53
Para não morrer de frio, moradores de rua improvisam locais para dormir
18/07/2017 - 07h28
Geada foi registrada em 13 cidades do Estado no dia mais frio do ano
 
Últimas notícias do site
24/07/2017 - 14h58
Enquete mostra Moka na frente para disputar reeleição ao Senado em 2018
24/07/2017 - 11h38
PMA autua fazendeiro por exploração ilegal de madeira e por incêndio em pastagem
24/07/2017 - 10h37
IFMS abre inscrições para dez vagas de professor substituto
24/07/2017 - 09h15
Polícia Militar atende ocorrências de perturbação do sossego e briga generalizada
24/07/2017 - 09h01
Atentado à Vida de Plácido de Castro
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.