zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 14/11/2009 - 10h25

ONGs cobram ações efetivas para reduzir emissões




Por Redação Pantanal News/Agência Brasil

Brasília - Organizações não governamentais ambientalistas avaliam como positiva a proposta brasileira de reduzir as emissões de gases de efeito estufa entre 36,1% e 38,9% até 2020, anunciada, mas cobram medidas mais claras para que o compromisso seja efetivo.

Para o coordenador da campanha de clima do Greenpeace Brasil, João Talocchi, é importante que o Brasil apresente os números na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas como um compromisso internacional “mensurável, reportável e verificável” e sobre o qual o país possa ser cobrado. “Foi um anúncio positivo, mas é preciso deixar claro quais serão as ações e principalmente, fazer”, avaliou.

Parte das medidas anunciadas, principalmente as relacionadas ao setor energético, não são novidades e não representam nenhum esforço adicional de redução de emissões, de acordo com o Greenpeace.

Segundo Talocchi, mais que um anúncio de governo, o compromisso com uma economia de baixo carbono tem que se transformar em uma ação nacional, que ultrapasse questões e prazos políticos. “Só assim esse número pode se transformar em algo maior que uma plataforma eleitoral para deixar mais verde a pré-candidata desenvolvimentista, muito mais ligada ao PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] que ao meio ambiente”. O Greenpeace propõe a inclusão dos números divulgados hoje (13) no texto da Política Nacional de Mudanças Climáticas, que tramita no Senado.

O anúncio deve credenciar o Brasil para uma posição de liderança na negociação do novo acordo climático global em Copenhague, segundo Talocchi. O coordenador de Políticas Públicas do Programa de Mudanças Climáticas do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), André Lima, também acredita que os números brasileiros poderão estimular outros países a colocarem na mesa o quanto estão dispostos a reduzir de suas emissões.

“Os países em desenvolvimento não queriam apresentar metas enquanto os países ricos não mostrassem as deles, e os países ricos argumentam que os países em desenvolvimento também têm que ter obrigações. O anúncio do Brasil quebra os dois discursos. É uma meta relativamente ousada e deixa o país numa situação de liderança”, apontou.

Lima acredita que o país deve aproveitar a possibilidade de liderança e garantir a inclusão de políticas para valorização da floresta no novo acordo climático. O mecanismo de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (Redd) é um dos pontos da negociação que mais tem avançado, mas ainda não tem fontes de financiamento definidas.

Segundo Lima, a expectativa de pagamento pela preservação foi inclusive um dos fatores que contribuíram para a queda do desmatamento da Amazônia, anunciada ontem pelo governo. “O papel em Copenhague é garantir políticas para a floresta. Se não houver mecanismos reais que reconheçam a floresta em pé, vai ser difícil manter o desmatamento em queda”.

O WWF avalia que o anúncio dos números brasileiros pode dar novo ânimo às negociações do acordo climático, que andam travadas, mas também defende que a proposta seja detalhada. Para a organização, não há informações precisas sobre as ações nos diferentes setores da economia e sobre os mecanismos legais e financeiros que tornem possíveis as ações de redução no curto, médio e longo prazos.

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
28/07/2017 - 10h00
Mortalidade de araras-azuis em MS é tema de estudo de especialistas
28/07/2017 - 08h11
Incêndio consome 2 mil hectares de três fazendas na região sul de MS
25/07/2017 - 10h21
SOS Mata Atlântica monitora a qualidade da água dos rios de Mato Grosso do Sul com o auxílio de voluntários
20/07/2017 - 15h38
Um corredor ecológico que guarda sinais pré-históricos de 8 mil anos
19/07/2017 - 14h16
Julho já teve 167% pontos de calor a mais do que no mês passado em MS
 
Últimas notícias do site
28/07/2017 - 17h00
Vídeo: Ministro assina documento que autoriza migração de rádios AM para FM em MS
28/07/2017 - 16h47
Chapéu Bandeirante
28/07/2017 - 16h15
Novas regras de rendimentos do FGTS são frutos de Projeto de Lei proposto pelo Deputado Marun
28/07/2017 - 16h02
Radialista Luiz de França morre aos 71 anos
28/07/2017 - 15h50
Sem chuvas há 47 dias, MS tem alerta para umidade abaixo de 20%
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.