zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 20/07/2009 - 16h15

Honra ao demérito






Por Luiz Leitão (*)

“Se a economia não serve para o bem-estar da sociedade, é porque estão prevalecendo os interesses dos mais poderosos sobre os mais fracos”.

 A lúcida frase acima - praticamente um truísmo -, proferida recentemente pela presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, recende, em vista do seu deplorável governo, a deboche ou hipocrisia, mas ilustra com perfeição a falsidade do discurso político da maioria dos governantes.

 Algo semelhante poderia ter saído da boca do presidente Lula, que acaba de ser agraciado com o prêmio Félix Houphouët-Boigny pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) "por sua atuação na promoção da paz e da igualdade de direitos".

 Antes de questionar o que mesmo Lula fez, em termos práticos, pela promoção da paz e da igualdade de direitos, cabe perguntar por quais estranhas lentes a comunidade internacional enxerga a figura de nosso governante, que não percebe o presidente desbocado, de palavras fáceis e vazias, que execra os senadores porque querem investigar a Petrobrás, chamando-os de pizzaiolos, intrometendo-se em outro Poder, como fez nas várias críticas ao Judiciário e aos Tribunais de Contas e Eleitorais, contribuindo para conturbar as relações entre as instituições, e até para deteriorá-las.

 O problema é que essas baboseiras, proferidas em profusão pelo presidente, certo de que a sua popularidade o brinda com o dom da eterna inimputabilidade, não são adequadamente divulgadas no exterior. Se o fossem, soubessem analistas e autoridades estrangeiras dessas atrocidades verbais perpetradas dia sim, outro também, pelo chefe do Executivo, eles passariam a ver o Brasil de outro ângulo, com um pé atrás.

 E Obama não chamaria Lula de "O cara".

 Temos um presidente que adula ex-inimigos, notórios violadores de leis e normas de boa conduta, que passa a mão na cabeça de gente dona de péssimos currículos.

 Um adulador de ditadores, muito à vontade em visita ao terrorista e assassino líbio Muamar Khadaffi, admirador de ditadores do quilate de Fidel Castro; que declama seu apoio ao fraudador de eleições a antissemita iraniano Mahmoud Ahmadinejad, e cuja diplomacia, por orientação sua, se esquiva de apoiar a condenação de violadores de direitos humanos e de condenar o emprego de bombas-cacho (cluster-bombs).

 O governante que invariavelmente cede às abusivas pressões de governos vizinhos, da Argentina, com suas imposições unilaterais, da Bolívia, que expropria refinarias de sua tão cara Petrobrás; que fez o papel de cabo eleitoral de Hugo Chávez e Evo Morales.

 Não fosse tudo isso o bastante, noticia-se que o governo brasileiro irá se curvar às exorbitantes demandas paraguaias, à custa do consumidor brasileiro, que arcará com mais aumentos de preços nas já extorsivas tarifas de energia, recheadas com 40% de tributos.

 Enquanto Lula estende o chapéu alheio em cortesias a um país vizinho que mais atrapalha do que ajuda, um entreposto de armas, drogas e contrabando, mais de 18.000 escolas brasileiras ainda não têm energia elétrica.

 O laureado promotor da paz e igualdade de direitos certamente não se pauta por aquelas palavras de Cristina Kirchner quando se sabe que no Brasil os pobres pagam muito mais impostos que os ricos, protegidos por Lula ao demitir a secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, que ousou concentrar a fiscalização em grandes empresas.

 Igualdade de direitos é um conceito que se estende à boa qualidade dos serviços públicos, que ficará ainda mais comprometida com o projeto de lei patrocinado pelo governo para restringir a fiscalização do Tribunal de Contas da União.

 

Luiz Leitão luizmleitao@gmail.com

 

Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/11/2017 - 08h00
Expedição Centenária – F. Coimbra – Corumbá I
09/10/2017 - 13h44
Joaquim Francisco de Assis Brasil
09/10/2017 - 13h43
Assis Brasil, Acre
09/10/2017 - 13h34
O Assassinato de Chico Mendes
09/10/2017 - 13h31
Epopeia Acreana - Parte VII
 
Últimas notícias do site
20/11/2017 - 15h50
Conab divulga preços de frutas e hortaliças no mês de outubro nos Ceasas
20/11/2017 - 12h50
Laudo descarta que macaco achado morto na Capital teve febre amarela
20/11/2017 - 11h53
Ocupantes de submarino argentino estão vivos, acredita Marinha
20/11/2017 - 10h35
Militares de Campo Grande ajudam em buscas a submarino na Argentina
20/11/2017 - 09h13
Sem-terras são autuados em R$ 11 mil por exploração ilegal de madeira
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.