zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 17/06/2009 - 17h30

Minas desacelera o plantio de eucalipto




Por Redação Pantanal News/PainelFlorestal

O plantio do eucalipto em Minas Gerais cresceu 17,65% entre os anos de 2007 e 2008, mas deve registrar queda de 34,09% nesse ano, em comparação ao ano passado. A previsão para 2009 é de que 131.152 hectares sejam plantados em território mineiro, contra os 198.988 hectares registrados em 2008. .No ano anterior (2007), 169.129 hectares foram plantados.

Também no ano passado, a área total existente para a cultura do eucalipto no Estado era de 1,278 milhão de hectares, número 2,24% maior do que o mesmo território destinado ao plantio em 2007.

Minas Gerais tem um território de cerca de 58,8 milhões de hectares, e o total de terra utilizado para o plantio dessa espécie, utilizada principalmente como matéria prima para a produção de carvão, postes de iluminação pública e cercas para propriedades rurais, é de 2% de toda área dessa unidade da federação.

O Estado e responsável ainda, por 30% de todo o eucalipto plantado em todo o território nacional, que tem 4.258.704 milhões de hectares de árvores plantadas. As informações são da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa-MG) e da Associação Mineira de Silvicultura.

Apesar da queda na projeção do plantio para esse ano, especia1istas na área apontam que a retomada desse setor deve acontecer tão logo sejam minimizados os efeitos da crise, já que se trata de um negócio com retorno financeiro praticamente certo, mas de rentabilidade a médio e longo prazos, uma vez que o período que vai desde o plantio até a data ideal para a retirada da madeira é de sete anos.

Para o engenheiro Márcio Vidal, diretor industrial de uma empresa especializada no tratamento de madeira, esse avanço futuro, a exemplo dos anos anteriores, é extremamente positivo.  "Minas Gerais é grande consumidor do eucalipto em vários segmentos econômicos importantes, como siderurgia (carvão vegetal), celulose, indústrias moveleiras e de preservação de madeira", lembra Vidal.

E essa característica de diversidade econômica do nosso Estado necessita de áreas de plantio cada vez maiores, para acompanhar a demanda dos setores citados, garante. Apesar da crise econômica atual, segundo ele, a tendência, a médio e longo prazos. é de grande crescimento da demanda para todos estes produtos.

Segundo o engenheiro, o plantio vai crescer cada vez mais, principalmente porque a madeira nativa precisa ser preservada, e a legislação ambiental vem atuando neste sentido, forçando a uso das madeiras de reflorestamento (ciclo curto), como é o Eucalipto.

"O crescimento econômico de Minas passa pelo crescimento dos setores relacionados, o que leva a necessidade de mais p1antio, fazendo o processo continuar crescente, observa.

Vidal ressalta ainda a importância de dois aspectos que podem melhorar o mercado de eucalipto e, conseqüentemente, a padronização e utilização das peças retiradas do solo.

Um deles é a fase de publicação de uma norma que criará um padrão para a comercialização de eucaliptos, pois, dará ao consumidor e usuário do produto a certeza de que regras técnicas e comerciais são estabelecidas e que, então, ele poderá analisar a melhor opção de compra.

"Além disso, essas normas “forçarão” os produtores (usinas de preservação de madeira) a se adequarem aos itens estabelecidos para que não fiquem "fora" do mercado, observa.

O outro aspecto apontado pelo engenheiro e a importância de se imunizar a madeira retirada. "Como nosso país possui clima tropical, as condições são muito favoráveis ao desenvolvimento de pragas, que acabam por apodrecer a madeira. Com o tratamento das peças, evita-se a proliferação de cupins, brocas e outros xilófagos, prolongando a vida útil da madeira", explica Vidal.

Para ele, esse processo auxilia ainda na questão da preservação de florestas, já que minimiza a necessidade continua de novos cortes e, assim, ajuda a manter a camada de ozônio da terra e a diminuir as conseqüências do chamado “Efeito Estufa”. O Estado é responsável por 30% de todo o eucalipto plantado em todo o território nacional.


Siga as notícias do Portal Pantanal News no Twitter:
www.twitter.com/PantanalNews

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
Ubaldino Fereira de Souza, em 15/04/2011 - 23h03

SE TENHO UMA FAZENDA E QUERO PLANTAR EUCALIPTO NA REGIÃO DE SÃO ROQUE DE MINAS COMO É O PROCESSSO?

Julio Maria de Moura, em 21/08/2010 - 18h55

O plantio de eucalipto, na verdade, é um grande crime ambiental, uma falta de consciência de todos para com a natureza. É uma agessão estupida. Quando se pensa que o eucalipto pode proteger a camada de ozônio, pode, mas por lado o prejuízo para com a natureza é muito maior pelos danos que aquela árvore causa no solo. Cada árvore de eucalipto, em fase adulta, por cerca de 7 anos de idade, retira do solo até 12 litros de água por dia, sem contar que suas raízes se espalham por cerca de 40 metros de extensão, por cerca de 4 metros de profundidade, exatamente para captar cada vez mais a água do sub solo. A terra onde se planta eucalipto, após sua extinção, ainda demora por cerca de 10 anos para se produzir com sucesso outros tipos de plantas. A terra fica totalmente ressequida, sem valor nutritivo para outras plantas, é um crime violento o plantio de eucalipto para a nossa natureza tão surrada e tão sofrida.

marcos, em 19/05/2010 - 10h14

A plantação de eucalipto é muito rentavél, além de produzir carbono para limpeza do clima, acabar com a água e mito.

 
Últimas notícias do canal
19/04/2017 - 13h18
Entidades do setor florestal de MS promovem campanha de combate a incêndios
18/04/2017 - 15h15
Fenômeno natural, decoada começa no rio Paraguai causando morte de peixes
10/04/2017 - 09h19
Anastácio: Sucuri de 3 metros é encontrada em terreno onde crianças soltavam pipa
05/04/2017 - 09h08
Corumbá: Exposição mostra impactos do lixo na natureza
05/04/2017 - 08h35
Jacaré é encontrado em varanda de residência durante a madrugada
 
Últimas notícias do site
27/04/2017 - 15h06
Rádio Independente de Aquidauana recebe "Moção de Congratulação" do deputado estadual Paulo Siufi por processo de migração para FM
27/04/2017 - 15h03
Em MS, 27% dos contribuintes ainda não entregaram declaração do IR 2017
27/04/2017 - 07h10
Chuva em municípios de MS passou dos 50 mm e derrubou temperaturas
27/04/2017 - 06h31
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
27/04/2017 - 06h24
No primeiro frio do ano, quinta-feira amanhece com mínima de 9°C em MS
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.