zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Energia - 01/05/2009 - 08h30

Brasil retira primeiro óleo do pré-sal na Bacia de Santos




Por Em Questão


   Ancorado na profundidade de 2.170 metros, a 290 quilômetros da costa, e capaz de extrair petróleo a seis mil metros de profundidade, o navio-plataforma Cidade de São Vicente, da Petrobras, será responsável pela produção do primeiro óleo da camada pré-sal da Bacia de Santos. O navio entra em operação neste 1º de maio com o início do Teste de Longa Duração (TLD) previsto para durar 15 meses. Neste período, a Petrobras obterá informações detalhadas sobre o reservatório e as condições de produção abaixo da camada do sal. O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, participa da solenidade em comemoração à extração do primeiro óleo do pré-sal da Bacia de Santos.

   A área de Tupi é fundamental para que se conheça melhor o pré-sal da Bacia de Santos. Com capacidade máxima para processar 30 mil barris diários de óleo, a produção no navio-plataforma será realizada por meio de dois poços. O TLD de Tupi permitirá que os profissionais envolvidos obtenham amostras e informações detalhadas sobre as rochas carbonáticas que são as predominantes no pré-sal. A acumulação de Tupi está localizada no bloco BM-S-11, que tem como sócios a Petrobras (65% - Operadora), o BG Group (25%) e a Petrogal (10%).

   Histórico - Em 30 de dezembro de 2004 um navio-sonda foi enviado à Bacia de Santos para perfurar alguns poços pioneiros em busca de óleo, no bloco exploratório BMS-10. A primeira área escolhida pelos geólogos e geofísicos foi a hoje conhecida como Parati. É que ali haviam sido identificadas, acima da camada de sal, rochas arenosas depositadas em águas profundas, com formação semelhante às encontradas na Bacia de Campos, onde estão acondicionadas cerca de 80% das reservas nacionais de petróleo.

   No dia 30 de março de 2006, após investimentos de US$ 240 milhões, a perfuração do poço de Parati chegava ao fim. As brocas já haviam alcançado 7.600 metros de profundidade a partir do nível do mar e fora encontrado um campo gigante de gás e reservatórios de condensado de petróleo, um óleo leve.

   Em julho de 2006, em outra perfuração feita na Bacia de Santos, a companhia e seus parceiros faziam uma nova descoberta. Quando a broca chegava a pouco mais de sete mil metros de profundidade, foram identificados indícios de óleo abaixo da camada de sal, na área hoje batizado de Tupi.

   A perfuração foi encerrada em 2 de setembro daquele ano e as análises indicaram que só na acumulação de Tupi havia um volume recuperável de óleo que poderia chegar, caso se comprovassem outras expectativas, de 5 a 8 bilhões de barris de óleo equivalente (óleo e gás). O resultado levou à perfuração de mais sete poços. E em todos encontrou-se petróleo. Numa das outras áreas perfuradas, a acumulação de Iara, localizada próximo à Tupi, o volume recuperável estimado foi de 3 a 4 bilhões de barris de óleo equivalente. Em novembro de 2007, a Petrobras comunicou ao presidente Lula que toda a área do pré-sal – que se estende por grande parte da costa brasileira – poderia conter um volume gigantesco de petróleo, configurando um novo modelo geológico de importância igual ou superior à Bacia de Campos. Além de Tupi, as posteriores confirmações das jazidas de Júpiter e Carioca foram listadas entre as grandes descobertas feitas no mundo.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
Langstein Almeida, em 01/05/2009 - 10h15

Rogue-se aos céus a fim de que o petróleo do pré-sal não produza riqueza para uma pequena minoria de especuladores financeiros. Na Venezuela, antes de Chaves, toda riqueza do petróleo escorria para os cofres das petrolíferas americanas e para uma pequena minoria do país. O governo brasileiro precisa recomprar as ações da Petrobras, que foram vendidas à elite especuladora estrangeira, no governo pouco patriótico do senhor Fernando Henrique. São nossos desejos que a riqueza do petróleo sirva à saúde e à educação da juventude brasileira!

 
Últimas notícias do canal
09/12/2013 - 09h57
Agência inicia em MS fiscalização de brinquedos e luminárias de Natal
17/10/2013 - 17h30
Horário de verão vai gerar economia de R$ 400 milhões, diz ONS
23/03/2013 - 08h05
No dia mundial da água jovens conhecem eletrodomésticos que preservam mananciais no consumo de energia
21/03/2013 - 15h37
Versão atualizada da cartilha Por Dentro da Conta de Luz
21/03/2013 - 14h05
Energia mensal de duas casas usa 1,5 milhões de litros de água
 
Últimas notícias do site
22/11/2017 - 11h35
PMA autua fazendeiro por erosão e assoreamento de córrego
22/11/2017 - 09h39
Projetos do IFMS conquistam principais prêmios de feira científica estadual
22/11/2017 - 09h23
Projeto Florestinha completa 25 anos formando cidadãos responsáveis
22/11/2017 - 07h26
Acumulada, Mega-Sena pode pagar R$ 50 milhões nesta quarta-feira
22/11/2017 - 06h13
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.