zap
GOV EMPREGO 22-06
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Emprego - 18/03/2009 - 07h45

Donos de frigoríficos e empregados não chegaram a um acordo salarial




Divulgação

Por Wilson Aquino

 A próxima negociação ficou marcada para segunda-feira (23). Até lá as greves não estão descartadas

Donos dos frigoríficos Bertin, Marfrig e outros da Capital e interior de Mato Grosso do Sul não chegaram a um acordo com os empregados na reunião de hoje na sede do sindicato patronal dos proprietários de frigoríficos. Os patrões começaram com uma proposta de 4% de reposição salarial agora e 1% no mês de julho. Depois, acabaram oferecendo os 5% de uma só vez, agora. Os empregados, que sustentavam a proposta de um piso salarial de R$ 530,00 e um aumento de 12% (mesmo dado pelo governo para o salário mínimo) para quem ganha acima desse valor, acabaram apresentando uma contra proposta de piso de R$ 500,00 e reposição salarial de 10%.

 

 

As duas categorias ficaram de voltar a sentar na segunda-feira (23). Entretanto, até lá, não está descartada a greve no frigorífico Bertin, em Naviraí, segundo revelou o presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Mato Grosso do Sul – FTIA/MS, Vilson Gimenes Gregório.

 

 

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Naviraí, Algemiro Lopes, informou que ainda esta semana convocará uma assembléia geral da categoria para apresentar esse quadro indefinido hoje na sede do sindicato patronal. “Se a categoria optar por paralisar imediatamente as atividades, faremos isso com o apoio da Federação e da CUT (Central Única dos Trabalhadores)”, afiançou.

 

 

No encontro de hoje à tarde, representantes de pelo menos oito frigoríficos de Mato Grosso do Sul (a maioria, pequenos e médios) estiveram reunidos com lideranças sindicais do setor laboral. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentação de Bataguassu, Raimundo Nonato do Nascimento, também esteve presente à reunião.

 

 

O líder sindical explicou que o encontro de hoje foi uma solicitação do Tribunal Regional do Trabalho – TRT, que esteve em Bataguassu na semana passada procurando intermediar as negociações entre patrões e empregados, através de suas respectivas entidades de classe. O tribunal, segundo ele, solicitou que a greve deflagrada em Bataguassu fosse suspensa até essa reunião de hoje. “Portanto, não está descartada a possibilidade de voltarmos a qualquer momento à greve”, comentou o sindicalista.

 

O presidente do sindicato patronal dos frigoríficos, empresário Ivo Scarcelli intermediou as negociações hoje. Ele contou com o apoio jurídico do advogado João Campos. Segundo ele, os grandes frigoríficos do Estado (Marfrig e Bertin, no caso) estariam dispostos a avançar mais nos números, mas os pequenos e médios frigoríficos dificilmente conseguiriam acompanhar qualquer acordo semelhante. Por isso ele sugeriu, através do assessor jurídico, que as negociações fossem feitas em separado. Ou

seja, através dos respectivos sindicatos das diversas regiões do Estado.

 

 

Vilson Gimenes lembrou que os empregados em frigoríficos de Mato Grosso do Sul já chegaram a ganhar até dois salários mínimos de piso. Depois, foi baixando e até há dois anos, chegaram a ganhar um salário mínimo e meio. A defasagem avançou muito e hoje estão praticamente assalariados. “Precisamos avançar para recuperar essas perdas e os empresários precisam entender que já faturaram muito ao longo de muitos anos e é justo que remunerem bem os empregados nesse momento”, comentou.

 

Empréstimo de R$ 1 bi

 

 

Representantes do frigorífico Bertin, presentes à reunião de hoje à tarde confirmaram que a empresa está procurando empréstimos bancários para amenizar a situação financeira que atravessam. Segundo Vilson Gregório, só o Bertin estaria pleiteando R$ 300 milhões. Somados ao que outros grandes frigoríficos do Estado estariam pleiteando, a soma ultrapassa R$ 1 bilhão e esse dinheiro, segundo sindicalistas, seria subsidiado em nome de um socorro à crise financeira dos frigoríficos.

 

Na reunião de hoje sindicalistas comentaram também que o Bertin, o Marfrig e outros dois frigoríficos do Estado pegaram, só no ano passado, R$ 4,5 bilhões. A informação, segundo Vilson Gregório, está estampada também no editorial do jornal Correio do Estado de sábado (14) onde o veículo de comunicação tece duras críticas aos frigoríficos que enfrentam hoje uma crise provocada por eles mesmos. “Então, não cabe ao trabalhador arcar com esse ônus”, comentou o sindicalista.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
09/06/2017 - 07h38
Ministério Público abre vagas de estágio para alunos de nível médio e superior
19/04/2017 - 16h55
Nota Oficial- Superintendência Regional do Trabalho em Campo Grande
11/04/2017 - 09h41
Tribunal Regional Eleitoral continua com inscrições para 24 vagas de estágio
04/01/2017 - 10h05
Governo abre 12 vagas em processo seletivo com salários de R$ 3,9 mil
14/12/2016 - 08h18
Ministério de Trabalho realiza mutirão de atendimento em 8 cidades de MS
 
Últimas notícias do site
28/06/2017 - 12h48
Gás de cozinha começa a faltar em MS e preço deve subir ainda mais
28/06/2017 - 11h25
Produtos típicos de festa junina estão até 18% mais caros neste ano
28/06/2017 - 10h35
IFMS abre vagas para pós-graduação em Aquidauana, Corumbá e Naviraí
28/06/2017 - 09h09
Polícia Militar recupera motocicleta furtada
28/06/2017 - 08h00
Retirada dos jacarés de cartão postal de MS é suspensa por causa de risco à multidão
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.