zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Energia - 17/03/2009 - 15h25

Presidente Lula visita Terminal de Regaseificação de GNLda Baía de Guanabara




Por Gerência de Imprensa/Comunicação Institucional

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva visita nesta quarta-feira (18), às 10h, o terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL) da Baía de Guanabara (RJ).  Obra integrante do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), este é o segundo terminal de regaseificação de GNL do País. O primeiro, também da Petrobras, está instalado no Porto de Pecém (CE). Os dois terminais marcam a entrada da Petrobras no mercado internacional de GNL, garantindo ao Brasil novas fontes de suprimento de gás natural e, consequentemente, maior segurança energética.

Iniciada em dezembro de 2007, a construção e a montagem do terminal na Baía de Guanabara foram concluídas em janeiro de 2009. Atualmente, o empreendimento está na fase de pré-operação. O investimento na obra foi de R$ R$ 819 milhões, com a geração de cerca de 1.700 empregos diretos.

O terminal da Baía de Guanabara tem capacidade para regaseificar 14 milhões de m³/dia de gás natural, o que corresponde a quase o consumo médio do mercado térmico em todo o País no ano de 2008 (14.489 milhões de m³/dia). O gás regaseificado no terminal da Baía de Guanabara atenderá, prioritariamente, as usinas termelétricas da região Sudeste. O volume de 14 milhões de m³/dia é suficiente para gerar cerca de 3.000 MW.

A decisão de implantar no Brasil terminais de GNL responde à necessidade de a Petrobras atender  a  demanda sazonal das usinas termelétricas (UTEs) a partir de uma fonte flexível de suprimento de gás natural. Complementares à geração hidrelétrica, as  UTEs  geram  energia elétrica principalmente no período seco, entre maio e novembro, quando a ocorrência de chuvas é menor. Com a geração das UTEs, poupa-se água nos reservatórios das hidrelétricas.

Projeto inédito

O terminal da Baía de Guanabara foi totalmente construído para atuar como unidade de regaseificação de GNL, diferente do terminal de Pecém, onde foi feita uma adaptação do píer existente no porto  de  mesmo nome. Conceitualmente, os projetos dos dois terminais são idênticos.

Nas proximidades da Ilha do Boqueirão, no Rio de Janeiro, foi montada uma espécie de "ilha de concreto", com 65 metros de comprimento por 60 metros de largura. Assim como em Pecém, na Baía de Guanabara foram instalados seis braços de GNL e dois de GNC (Gás Natural Comprimido).  Os braços de GNL pesam 70 toneladas cada; e os de GNC, 85 toneladas.

A plataforma de concreto construída para abrigar o terminal foi instalada sobre 266 estacas, com 80 centímetros de diâmetro cada uma, cravadas a até 50 metros de profundidade, a partir do fundo da baía.

O gás natural regaseificado na Baía de Guanabara será enviado às termelétricas por meio de um gasoduto de 15 km de extensão. Construído para interligar o terminal ao Gasduc II, em Duque de Caxias, o gasoduto tem dez quilômetros de trecho submarino e cinco quilômetros, em terra.

Na última quarta-feira (11), o terminal começou a principal etapa de seu comissionamento, iniciado há algumas semanas, agora com a atracação dos navios regaseificador e supridor. O regaseificador, chamado Golar Spirit e afretado pela Petrobras, é o primeiro no mundo convertido para realizar o armazenamento de GNL e a transformação do gás natural do estado líquido para o gasoso.  Este navio é originário do terminal de regaseificação de GNL, em Pecém, e veio do Ceará para cumprir essa atividade. O segundo, o Excellence, é o primeiro navio supridor de GNL a entregar uma carga no Brasil. A BG Group é a fornecedora da carga, vinda de Trinidad Tobago.

Essa etapa de comissionamento prevê a transferência de GNL do navio supridor para o regaseificador (Golar Spirit) por meio de tubulações e braços projetados para suportar a temperaturas inferiores a 160º C negativos, chamados criogênicos, instalados no terminal. Em seguida, o GNL será regaseificado no Golar Spirit e enviado à malha de gasodutos existente por meio de braços de gás natural comprimido.

Nessa fase de comissionamento, o gás natural, já em estado gasoso, será enviado para as usinas Aureliano Chaves (221 MW) e Governador Leonel Brizola (1.036 MW). Durante o comissionamento, a planta de regaseificação, instalada a bordo do Golar Spirit, deve operar a diferentes níveis de vazão, assim como as usinas, que vão gerar energia elétrica de acordo com a quantidade de gás natural enviado pelo terminal.

O gás natural originado do GNL complementará a oferta nacional de gás natural.  Hoje, a demanda interna é atendida pelo gás nacional, produzido pela Petrobras, e o importado da Bolívia. Com o GNL, a Petrobras passa a importar o produto de outros países, tais como Trinidad & Tobago e Nigéria.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
09/12/2013 - 09h57
Agência inicia em MS fiscalização de brinquedos e luminárias de Natal
17/10/2013 - 17h30
Horário de verão vai gerar economia de R$ 400 milhões, diz ONS
23/03/2013 - 08h05
No dia mundial da água jovens conhecem eletrodomésticos que preservam mananciais no consumo de energia
21/03/2013 - 15h37
Versão atualizada da cartilha Por Dentro da Conta de Luz
21/03/2013 - 14h05
Energia mensal de duas casas usa 1,5 milhões de litros de água
 
Últimas notícias do site
22/11/2017 - 11h35
PMA autua fazendeiro por erosão e assoreamento de córrego
22/11/2017 - 09h39
Projetos do IFMS conquistam principais prêmios de feira científica estadual
22/11/2017 - 09h23
Projeto Florestinha completa 25 anos formando cidadãos responsáveis
22/11/2017 - 07h26
Acumulada, Mega-Sena pode pagar R$ 50 milhões nesta quarta-feira
22/11/2017 - 06h13
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.