zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 07/03/2009 - 09h06

Rios de águas azuis, pretas e brancas




Por Hiram Reis e Silva (*)

Há mais pessoas que desistem do que pessoas que fracassam”. (Henry Ford)

 

As pesquisas de Harald Sioli fundador da ecologia tropical alemã, antigo diretor do departamento de Ecologia Tropical do Instituto Max-Planck de Limnologia, e Wolfgang Junk, mais recentemente, do mesmo instituto, são dois liminologistas que trataram da classificação das águas amazônicas levando em conta suas características físico-químicas e ecológicas. Sioli navegou pelas nascentes dos rios da Amazônia, na década de 50, e coletou informações inestimáveis. É dele a classificação dos rios de águas brancas, rios de águas pretas e rios de águas claras. Junk trabalhando com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, na década de 70, deu continuidade às pesquisas limnológicas na região.

 

- Rios de águas brancas

Essas águas transportam grandes quantidades de sólidos suspensos, como magnésio e cálcio, conferindo-lhe uma aparência lamacenta, amarelada ou ocre, muito turva, e uma baixa visibilidade. Possuem pouco material orgânico e uma grande quantidade dos sólidos tornando-as levemente alcalinas ou neutras. As águas brancas têm origem nas nascentes Andinas e as rochas andinas são relativamente novas desagregando-se facilmente, em decorrência das condições climáticas e do relevo e da cordilheira e suas partículas são carregadas pelas chuvas para os rios, que as transportam até a planície amazônica. Nas margens dos rios de água branca se observam áreas de várzea férteis propícias para a agricultura. A várzea é o resultado de periódicas inundações e da deposição de nutrientes carregados pelas águas.

- Rios de águas pretas

Os rios que nascem em áreas de sedimentos terciários são da cor do chá preto. Essas águas são na sua grande maioria ácidas e a elevada acidez é em decorrência da presença de grandes quantidades de substâncias orgânicas dissolvidas, oriundas de solos arenosos cobertos por vegetação. Em regiões de relevo plano em baixas altitudes as chuvas removem do solo as partículas minerais mais finas junto com o material orgânico e formam solos arenosos, denominados podzóis. O processo, chamado podzolização, produz uma camada superficial de solo, areia branca, formado sobretudo de grãos de quartzo.

- Rios de águas claras (ou azuis)

Os escudos do Brasil Central, ao sul, e das Guianas, ao norte, são compostos por rochas do período pré-cambriano, formações geológicas muito antigas e os rios que têm suas nascentes nessas áreas, de relevo geralmente plano e regular, apresentam pequenas taxas de erosão. As águas têm pequenas quantidades de material suspenso e, em conseqüência, pobres em nutrientes, e aspecto cristalino. Suas colorações variam de verde-claro a verde-oliva e podem variar de ácidas a levemente alcalinas.

- Variantes

Os três tipos básicos de água se fazem acompanhar por muitas variantes, decorrentes da mistura entre rios que drenam regiões diferentes ou de variações sazonais, determinadas por quantidades maiores ou menores de chuva. Diversos rios na Amazônia apresentam dificuldades na sua classificação, sendo necessário conhecê-los em toda a sua extensão e nas diferentes épocas do ano para não incorrer em erro.

- Controverso Japurá (mistura entre rios)

O rio Japurá é um rio de águas claras que começa a ser corrompido pelas águas do rio Auti-Paraná, na altura da cidade de Maraã, que carrega até ele as águas do Solimões. Mais adiante, ele recebe uma nova carga de água do Solimões no seu leito, através do paraná Aranapu. A tonalidade da água do Japurá provoca nos incautos uma confusão na sua classificação. É necessário que se observe, portanto, o rio à montante de Maraã para classificá-lo corretamente.

- Controverso Rio Branco (variação sazonal)

O Rio Branco, como o próprio nome sugere, assim se chama em decorrência do material suspenso, transportados das montanhas, que confere cor branca às suas águas, no período das chuvas. Na seca, porém, as águas ficam transparentes.

- Planícies alagadas

A cordilheira dos Andes é responsável pela maior descontinuidade climática da América do Sul. Desertos de um lado e vegetação luxuriante de outro. A grande responsável pela manutenção dessa vegetação são as chuvas. Grande parte delas é formada no Oceano Atlântico e empurrada pelos ventos alíseos.

- Mamirauá

As chuvas não são distribuídas uniformemente durante o ano. No Mamirauá, a época das chuvas mais intensas é de dezembro a março e o período da seca de julho a outubro. Esta variação no regime de chuvas provoca uma variação de até 12 metros no nível das águas, fazendo com que toda a área da reserva fique submersa, exigindo uma enorme capacidade de adaptação por parte da flora e da fauna local.

- Lagos

São mais de 600 lagos já identificados, que servem de importante fonte de subsistência para as Comunidades da reserva. O mais importante deles é o Mamirauá, que foi, certamente, um meandro abandonado pelo rio-menino que encontrou um novo caminho mais retilíneo. O rio Solimões está em constante mudança e, em menos de uma década, é capaz de formar ilhas com vegetação.

Como os sedimentos trazidos pelo rio se depositam continuamente nas restingas altas, elas podem, no futuro, transformar-se em florestas de terra firme. Cada hectare da reserva abriga ‘apenas’ uma centena de espécies diferentes de árvores, e isso demonstra que as áreas de várzea não são capazes de sustentar os altos níveis de biodiversidade das terras firmes, tendo em vista as adaptações que as espécies tiveram de desenvolver para sobreviver.

(*) Hiram Reis

Coronel de Engenharia; professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA); membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (AHIMTB); presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS)

Rua Dona Eugênia, 1227

Petrópolis - Porto Alegre - RS

90630 150

Telefone:- (51) 3331 6265

Site:http://www.amazoniaenossaselva.com.br

E-mail: hiramrs@terra.com.br

Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões. redacao@pantanalnews.com.br

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
claudiana, em 27/09/2012 - 14h30

não tem nada que preste nisto pra o meu trabalho

 
Últimas notícias do canal
24/07/2017 - 09h01
Atentado à Vida de Plácido de Castro
22/05/2017 - 09h01
Heraldo Pereira e Bosco Martins: um breve reencontro entre amigos
04/05/2017 - 14h30
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte VI
02/05/2017 - 11h08
O poeta de Sobral
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
 
Últimas notícias do site
26/07/2017 - 10h04
Kits do Desafio Piraputanga de Mountain Bike começam a ser entregues
26/07/2017 - 07h32
Saque das contas inativas do FGTS termina na próxima segunda-feira
25/07/2017 - 16h35
Acelerador trava durante teste, ultraleve capota e fere piloto no pé esquerdo
25/07/2017 - 16h02
Divulgada marca da etapa Centro-Oeste dos Jogos dos Institutos Federais
25/07/2017 - 14h16
Rádios do MT e MS assinam contrato para funcionar em FM
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.