zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 16/01/2009 - 12h25

Brasil inaugura seu primeiro centro cultural ambientalmente sustentável




Divulgação

Por Vivian Lobato

A cidade de Pardinho, no interior de São Paulo, acaba de ganhar o primeiro espaço cultural brasileiro sustentável. Inaugurado em dezembro de 2008, o Centro de Cultura Max Feffer foi construído dentro das regulamentações que preservam o meio-ambiente e contribuem para o seu equilíbrio, utilizando técnicas inovadoras, ecológicas e sustentáveis.

Com aproximadamente 6 mil m², o espaço é dedicado para disseminar e incentivar o desenvolvimento da comunidade local e das cidades da região. O centro abriga biblioteca, laboratório de inclusão digital, auditório, museu do bambu, ponto de informações turísticas, sala de exposições e sala de reuniões com completa infra-estrutura para uso da população.

O projeto é assinado pela arquiteta Leiko Motomura e a reutilização de materiais esteve presente desde o início da construção. “Nos preocupamos muito com a arquitetura. Utilizamos técnicas e materiais antigos misturados com altíssima tecnologia”, conta Luiz Alexandre Mucerino, vice-presidente do Instituto Jatobás, responsável pelo centro de cultura.

O escoramento da laje, por exemplo, foi feito com eucaliptos utilizados em outras obras, tijolos de demolição foram reaproveitados nas alvenarias aparentes e chapas de ferro estampadas de resíduos industriais nos gradis de fechamento da sala de leitura.

Na parte de iluminação, o espaço investiu na geração de energia solar, lâmpadas LED e sensores de presença que reduzem o consumo de energia ao mínimo necessário. A energia solar passiva também foi utilizada para calefação das salas de reunião e biblioteca.

Para garantir uma temperatura ambiente agradável foram utilizadas telhas Onduline, desenvolvidas com fibras vegetais e com pintura externa branca, favorecendo a baixa transmissão de calor e ruídos. “Pensamos no bem-estar de quem estará utilizando o local”, comenta Mucerino. Outra técnica que merece destaque é o aumento da permeabilidade no solo. Foi desenvolvido um sistema de drenagem do terreno que substitui os pedriscos por Garrafas Pet amassadas. Além disso, a tecnologia de reuso da água filtra a água da chuva e junta com o esgoto cinza em uma cisterna, para utilização nas descargas dos vasos sanitários.

Já o esgoto primário, após passar por uma estação de tratamento interno, desenvolvida com raízes de plantas, é direcionado para reutilização na irrigação dos jardins. Os metais sanitários escolhidos para controle de fluxo de água são as descargas de dois toques e a torneira com fechamento automático. Com essas medidas, em um período de 12 meses só será utilizada água potável para esses fins em 30 dias.

“Sem dúvida, é uma obra com um orçamento mais elevado. Mas, se analisada pelo ciclo de vida, ao longo dos anos, acaba sendo bem mais econômica, além de preservar o meio ambiente”, explica o vice-presidente.

O centro de cultura está pleiteando a certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), concedida pelo Green Building Council, um dos certificados mais importantes na área de edifícios verdes ecologicamente corretos.

Instituto Jatobás

O Centro de Cultura Max Feffer faz parte do projeto Ecopolo Rede de Desenvolvimento Sustentável Municipal, do Instituto Jatobás, experiência piloto em Pardinho em busca de caminhos sustentáveis.

Fundado em 2002, o Instituto Jatobás agrega o potencial participativo do governo municipal e dos habitantes da cidade para a construção de um pacto social, com distribuição de papéis e responsabilidades individuais, coletivas, organizacionais e institucionais.“O Instituto funciona como um catalisador para ajudar na implantação de ações sustentáveis e na mobilização de pessoas”, explica Mucerino.

Nesse sentido, um dos primeiros focos de atuação do Instituto é a área da educação. Já foi concluído um programa de capacitação de professores do município baseado no modelo de educação global para a sustentabilidade. Outra iniciativa é um projeto de agricultura familiar que acontece por intermédio do Projeto Piloto de Desenvolvimento Rural Sustentável.

 

Fonte: Envolverde / Aprendiz.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
19/10/2017 - 14h22
Tamanduá-mirim é capturado dentro de residência
19/10/2017 - 13h30
Projeto Florestinha planta mudas nativas para recuperação de área
19/10/2017 - 08h00
PMA captura lagarto em quintal de residência
18/10/2017 - 08h13
Calor e vento propagam incêndio que já destruiu 30 mil hectares de parque
16/10/2017 - 18h59
Incêndio consome parque estadual há 4 dias em MS
 
Últimas notícias do site
20/10/2017 - 15h38
Asfalto entre Piraputanga e Camisão vai impulsioncar ecoturismo na região
20/10/2017 - 15h06
Alerta prevê tempestades em 43 municípios de Mato Grosso do Sul
20/10/2017 - 14h13
PMA autua proprietária rural por exploração ilegal de madeira
20/10/2017 - 12h30
PMA autua jovem por manter ave silvestre em cativeiro
20/10/2017 - 11h33
Incêndio em parque estadual de MS é controlado após uma semana com ajuda de chuva, diz Imasul
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.