zap
ANIVERSÁRIO CORUMBÁ 2017
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Finanças - 14/01/2009 - 16h33

Dólar alto provoca déficit de US$ 2 bi na balança comercial do setor têxtil e de confecção




Por Alana Gandra, da Agência Brasil

O setor têxtil e de  vestuário do Brasil teve no ano passado déficit de US$ 2,05 bilhões em sua balança comercial, excluindo a fibra de algodão. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Agnaldo Diniz Filho, o saldo negativo foi provocado pela alta do dólar, além da extinção do sistema de cotas, da maior agressividade dos outros países, dos custos financeiros e da carga tributária. “Isso tudo faz com que a competitividade diminua. Com isso,  você exporta menos",  disse hoje (14) Diniz Filho, na Bolsa de Negócios da Fashion Business, que ocorre paralelamente à Fashion Rio.

Diniz Filho destacou, no entanto, que as exportações do setor apresentam  grande potencial de crescimento. O setor têxtil e de confecção, acrescentou ele, exporta apenas 0,5%  do consumo mundial de têxteis e já tem mercados consolidados, como a  América do Sul, Europa e Estados Unidos.

Os industriais partem agora para  conquistar novos mercados não tradicionais, como os países árabes, os do leste europeu e a África. Para isso, uma delegação da Abit - uma das patrocinadoras da  Fashion Business, que  ocorre até o próximo dia 16 - acompanhará a comitiva do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge,  ao continente africano, no próximo dia 24.

"Em 2009, a gente vai conseguir manter uma exportação pelo menos dentro do padrão", afirmou Diniz Filho. "Seria muito interessante, com o dólar a R$ 2,30, se os países estivessem consumindo. Mas, a base é baixa e isso representa pouco em termos mundiais”. Considerando os produtos manufaturados exportados e também a fibra de algodão, o déficit da balança comercial do setor cai para US$ 1,4 bilhão.

Ele acredita que com o dólar mais baixo  o setor poderá elevar as exportações, apesar de os países estarem retraídos. Embora seja difícil fazer uma projeção para o ano, Diniz Filho acredita que há possibilidade de  a balança  comercial do setor têxtil e de confecção  reduzir  o déficit  em 2009 e fechar  o ano  com  saldo negativo em torno de US$ 1,4 bilhão.  Ele afirmou que “não tem a menor condição” de reverter o  resultado da balança agora.

 A Abit não é contrária à importação. Apenas defende que o governo propicie os mecanismos para impedir a entrada no Brasil de produtos excedentes de outros países,  principalmente asiáticos, que representem ameaça ao produto nacional. “A Abit é contra os descaminhos da importação”, reforçou.

 Diniz Filho salientou que cabe aos industriais duas funções:  produtividade e qualidade. A competitividade, que envolve câmbio, juros, carga tributária,  compete ao governo. “Então, para a indústria ser competitiva, o país também precisa ser competitivo”.

Ele assegurou que 2009 será um ano difícil, em função da crise externa, mas não haverá nenhuma tragédia. Avaliou que a crise vai ser menor para bens de consumo  não duráveis e semi-duráveis, que não dependem em grande parte de crédito.

 
Os números divulgados pela Abit mostram que de janeiro a setembro do ano passado, no período pré-crise mundial, as exportações de têxteis e confecções, exceto fibra de algodão, caíram 4,20%. Entre outubro e dezembro, a queda se acentuou para 12%. Para Diniz Filho, esse número pode ser um sinal de  melhoria para a balança nos próximos meses.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/12/2013 - 06h35
Consultas ao último lote do IR abrem segunda; 711 mil caem na malha fina
28/08/2009 - 10h37
Força Nacional terá base aérea na fazenda Itamarati
05/06/2009 - 17h40
Trabalhadores têm até o dia 30 para sacar Abono e rendimentos do PIS
01/06/2009 - 11h27
Bovespa inicia semana acima dos 54 mil pontos
01/06/2009 - 09h09
Analistas mantêm estimativa da inflação oficial em 4,33% neste ano
 
Últimas notícias do site
25/09/2017 - 17h12
Vídeo: Ministro oficializa migração de 23 rádios da frequência AM para FM
25/09/2017 - 17h00
Vídeo: Ministro assina documento que autoriza migração de rádios AM para FM em MS
25/09/2017 - 09h01
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
25/09/2017 - 08h59
Polícia Militar realiza operação “Presença Ativa” em Miranda
25/09/2017 - 08h35
PMA autua fazendeiro em R$ 1,5 milhão por desmatamento ilegal de vegetação nativa no Pantanal
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.