zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Finanças - 08/01/2009 - 15h16

Primeiro índice de preços de 2009 mostra aceleração da inflação




Por Alana Gandra, da Agência Brasil

O primeiro índice inflacionário referente a 2009 mostrou aceleração em comparação com o período anterior. Divulgado hoje (8) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 7 de janeiro apresentou variação de 0,68%, contra 0,52% da última semana de dezembro.

O economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV, disse que o aumento do IPC-S mostra efeitos sazonais muito fortes. Os grupos de despesas que mais subiram na primeira semana do ano foram educação, leitura e recreação (de 0,37% para 0,84%) e alimentação, com variação de 1,04%, contra 0,60% na coleta encerrada em 31 de dezembro do ano passado.

São dois pontos que, por razões diferentes, exercem sazonalmente pressão no mês de janeiro. E essa pressão pode ainda aumentar, à medida que o mês avança”, alertou Braz, em entrevista à Agência Brasil.

No grupo educação, leitura e recreação, a alta da inflação foi influenciada pelo reajuste das mensalidades escolares, com destaque para os cursos formais, que tiveram alta de 0,88%. “E vai ficar mais caro, porque o índice espelha apenas uma pequena parcela do que virá ainda de aumento este ano”, disse Braz. A FGV estima que o aumento das mensalidades escolares fique entre 6% e 8% este ano.

Segundo o economista, a taxa do IPC pode subir mais em janeiro, se não houver algum efeito que compense tal movimento. No grupo alimentação, ele destacou a influência dos alimentos in natura. “Janeiro é mês de chuvas fortes, de calor intenso e, normalmente, isso diminui a oferta desses produtos, que são muito sensíveis à variação climática.”

De acordo com Braz, na média dos últimos dez anos, o item hortaliças e legumes subia 9% em janeiro. Outro item que pode pesar são as frutas que, na primeira semana deste mês, passaram de uma variação negativa de 2,52% para 1,44% positivos. “Nessa apuração, frutas influenciaram mais do que hortaliças e legumes. Os dois fatores estão influenciando muito a taxa do IPC-S.”

Braz ressaltou, entretanto, que não existe, por trás do resultado do IPC-S de 7 de janeiro, nenhum efeito generalizado que pudesse indicar aumento de vários alimentos importantes ou de segmentos do setor de serviços, por exemplo. Os fatores sazonais, que se repetem a cada mês de janeiro, são os que mais pesam, explicou. “Então, escolas e hortifrutigranjeiros foram os vilões nesse momento.”

Apesar disso, o impacto dos hortifrutigranjeiros tende a ser menor em fevereiro e março. “O efeito deles no longo prazo é nulo”, afirmou o economista.

Para ele, embora o primeiro IPC-S do ano tenha mostrado aceleração da inflação, isso não significa que a tendência de alta se mantenha nos próximos meses. No ano passado, a variação medida pelo IPC-S foi de 6,07%. Braz acredita que em 2009 a taxa deverá se reduzir, porque o efeito do grupo alimentação tende a ser menor, devido, inclusive, à diminuição da demanda por alimentos no mercado internacional, em função da crise externa.

A pressão em 2009 pode vir de alguns preços administrados, influenciados pelo que aconteceu em 2008, disse Braz. “Como a variação média da inflação no ano passado foi mais alta, isso pode influenciar preços administrados, mas a agricultura deve sofrer um pouco menos.”

A expectativa é que commodities que têm peso na cesta de consumo das famílias, como trigo, soja e milho, não encontrem espaço para aumento de preços tão facilmente em 2009, o que deve repercutir pouco na inflação ao consumidor. “Vai ser bom para as famílias, principalmente as de baixa renda”, afirmou Braz.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/12/2013 - 06h35
Consultas ao último lote do IR abrem segunda; 711 mil caem na malha fina
28/08/2009 - 10h37
Força Nacional terá base aérea na fazenda Itamarati
05/06/2009 - 17h40
Trabalhadores têm até o dia 30 para sacar Abono e rendimentos do PIS
01/06/2009 - 11h27
Bovespa inicia semana acima dos 54 mil pontos
01/06/2009 - 09h09
Analistas mantêm estimativa da inflação oficial em 4,33% neste ano
 
Últimas notícias do site
20/11/2017 - 10h35
Militares de Campo Grande ajudam em buscas a submarino na Argentina
20/11/2017 - 09h13
Sem-terras são autuados em R$ 11 mil por exploração ilegal de madeira
20/11/2017 - 08h50
Terreiros saem pelas ruas com oferendas para lembrar Oxum e pedir respeito
20/11/2017 - 08h43
Governador entrega e lança novas obras em Caarapó e Amambai
20/11/2017 - 08h40
PMA resgata turistas e piloteiros que naufragaram durante temporal
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.