zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 30/10/2017 - 13h45

Veterinários voluntários atendem animais atingidos por incêndio na Chapada




FernandoTatagiba/ICMBio

Incêndio na Chapada dos Veadeiros já consumiu mais de 25% da área total do parque.
Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil / Redação Pantanal News

Na Chapada dos Veadeiros, veterinários voluntários estão a postos para atender animais atingidos pelo incêndio no Parque Nacional e arreadores. Até o momento, foram encontradas dois filhotes de arara-canindé e um tatu. Outros animais foram avistados, mas, aparentemente, estavam bem.

Segundo a veterinária e zootecnista Amélia Margarida de Oliveira, os dois filhotes de arara estão se alimentando bem e em um ou dois meses deverão ser soltos na natureza. O tatu foi capturado por um morador, mas não estava ferido e logo foi liberado.

Amélia, que é de São João del Rei, Minas Gerais, faz parte do grupo Veterinários na Estrada, que presta atendimento em locais isolados ou atingidos por tragédias como o incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Ela e a também veterinária Kelley Caminha Nemer, que integra o projeto, estão em Cavalcante, Goiás, com a voluntária Victoria Varela, veterinária de São Paulo, que está mudando para a cidade.

Foram instaladas duas bases de apoio com medicamentos, kits cirúrgicos e vários equipamentos para o manejo de animais. O monitoramento está sendo coordenado na Reserva Bacupari, em Cavalcante, e pelo Projeto Salvar, em Alto Paraíso. A orientação é que, se a população encontrar animais silvestres ferido,s que entre em contato com as instituições, com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) ou com a Polícia Civil.

Animais na estrada   

O incêndio na Chapada é o pior já registrado no local. O fogo, que consumiu mais de 25% da área total do Parque Nacional e arreadores, fez os animais fugiram e se esconderam. Com o controle das chamas neste fim de semana, Amélia alerta para o risco de atropelamento dos animais. “Agora os animais estão retornando para suas áreas. É comum atravessarem a rodovia, principalmente porque a área que queimou não tem alimento”, diz.

“Esse animais vão aparecer, principalmente em rodovias, e é possível ter mais animais atropelados que queimados. É importante fazer uma campanha para que os motoristas tenham atenção redobrada nas estradas para evitar atropelamento de animais, inclusive de grande porte, como antas e tamanduás-bandeira”, reforça o diretor-presidente da Fundação Jardim Zoológico de Brasília, Gerson Norberto.

O Zoológico de Brasília também está a postos. Na semana passada, a instituição enviou representantes para capacitar veterinários para atendimento de animais silvestres e prestar atendimentos emergenciais. Como os animais ainda não estavam aparecendo, a equipe retornou após a capacitação. O Zoo informa, no entanto, que poderá enviar equipes novamente se necessário.

Castração de cães e gatos

Segundo Amélia, outra ação desenvolvida pelos voluntários é a castração de animais domésticos. “Cães e gatos acabam invadindo a reserva para caçar animais silvestres e podem ser prejudiciais. Caçam principalmente pequenos roedores.[ É] importante a conscientização [dos responsáveis] e o controle populacional desses animais."

A veterinária exlica que, sem condições de ficar com filhotes, muitas famílias acabam abandonando esses animais no mato. Eles crescem e se tornam predadores. “Outro problema é que esses animais entram na reserva e podem trazer doenças para os seres humanos, além de eles mesmos adquirirem doenças transmitidas pelos animais silvestres e também passarem doenças para eles. Conseguimos saber facilmente se um animal doméstico está doente, mas um silvestre, ele se esconde e morre”, explica.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
16/11/2017 - 13h00
PMA, entidades, prefeituras e comunidade realizam limpeza do rio Amambai
13/11/2017 - 11h23
PMA autua fazendeiro por armazenamento ilegal de embalagens de agrotóxicos
10/11/2017 - 15h20
PMA recolhe filhote de cervo-do-pantanal em fazenda
08/11/2017 - 12h42
Fruta típica do Cerrado, guavira agora é símbolo de Mato Grosso do Sul
07/11/2017 - 16h36
PMA e Bombeiros resgatam arara presa em linha de pipa
 
Últimas notícias do site
17/11/2017 - 16h03
Viralizou: cachorrinho 'penetra' na balada é a imagem mais fofa que você vai ver hoje
17/11/2017 - 10h18
Fim de semana tem sertanejo, funk, comédia e teatro
17/11/2017 - 07h53
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
17/11/2017 - 07h44
Proprietários rurais são autuados por manterem carvoarias ilegais
17/11/2017 - 06h14
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.