zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Agronegócios - 22/08/2017 - 09h01

Sanidade animal é pilar de produtividade no campo

Análises corretas de risco sanitário são essenciais à eficiência produtiva do rebanho




Divulgação

Por Assessoria Embrapa / Redação Pantanal News

A percepção de risco em relação à sanidade animal é o tema central da palestra “Diagnóstico de propriedades e fatores de risco sanitários”, que será ministrada durante o 3º Simpósio Repronutri - Reprodução, Produção e Nutrição de Bovinos: a pesquisa aplicada ao campo. O palestrante é o professor Heitor Romero Marques Junior, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), um dos coordenadores do evento. De acordo com Marques, uma percepção adequada de risco – ou seja, dar o grau correto de importância a situações potencialmente perigosas – na área da saúde animal é uma expressão da força e estabilidade do próprio sistema produtivo.

“Existe uma relação entre escolaridade, renda e tempo na atividade com uma baixa percepção de risco. Da mesma maneira, existe uma relação entre produtores rurais com maior escolaridade, mais tempo na atividade e maior poder aquisitivo com uma melhor percepção de risco em relação à sanidade”, afirma o professor. Ele cita como exemplo das variadas percepções de risco algumas das perguntas e respostas que fizeram parte de seu projeto de doutorado, que investigou o grau dessa percepção em mais de 30 fazendas do Pantanal de MS durante um ano. Marques perguntou aos gestores dessas propriedades: o que fazer em caso de suspeita de febre aftosa?

A resposta de quem afirmou procurar a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) para a aplicação das medidas mais adequadas para o controle e erradicação da doença indicava um grau adequado de percepção de risco, afirma Marques. Qualquer outra resposta, como dizer que seria preciso abater o animal e enterrá-lo, tratá-lo ou outras alternativas, indicava uma baixa percepção de risco por parte do gestor. “A pessoa precisa ser educada do ponto de vista de saúde animal e sanidade para ver que não conseguimos controlar a aftosa sozinhos”.

Marques diz ter encontrado, ainda, uma relação entre a percepção de risco nas fazendas e a frequência com que as propriedades recebem a visita e a consultoria de médicos veterinários. “As fazendas que têm uma assistência veterinária continuada possuem melhor percepção de risco do que aquelas que não têm um veterinário ou cuja assistência é pontual, esporádica, quando o profissional só vai até lá para lidar com aspectos reprodutivos do rebanho, deixando as questões sanitárias à margem do processo”. Para o professor, a educação das pessoas que trabalham no campo e gerenciam a atividade pecuária é fundamental para que essa percepção fortaleça o trabalho na área e seus produtos.

“A importância de uma assistência técnica frequente, dos programas de educação em sanidade e da participação do governo nos programas de educação continuada é fundamental”, diz. “A má percepção de risco mostra uma fragilidade nos sistemas de produção, especialmente no que diz respeito à saúde animal, competitividade e segurança de alimentos”. Para Marques, a sanidade é um pilar fundamental para assegurar a produtividade do sistema. 

Este e outros assuntos serão discutidos no 3º Repronutri nos próximos dias 31 de agosto e 01 de setembro em Campo Grande (MS). Conheça a programação e saiba como participar no link repronutri.com.br !

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
19/10/2017 - 10h41
Área semeada de soja em MS ultrapassa 814 mil hectares
19/10/2017 - 09h00
Hortaliças seguem mais baratas e frutas têm aumento de preço em setembro
17/10/2017 - 10h25
Conab assina oito novos contratos com agricultores familiares em MS
17/10/2017 - 10h24
Compostos extraídos da gravioleira têm potencial ação inseticida e antitumoral
11/10/2017 - 07h58
Produção de mudas, coleta de sementes e legislação ambiental são tema de curso em Aquidauana
 
Últimas notícias do site
23/10/2017 - 09h54
Prefeito de Corumbá representa o Brasil em seminário internacional do FONPLATA sobre hidrovia
23/10/2017 - 08h55
Semana em MS começa com 169 vagas em concursos públicos
23/10/2017 - 07h41
PMA e parceiros realizam Educação Ambiental para alunos em escolas ribeirinhas e indígenas
23/10/2017 - 07h40
Em oito dias, Mato Grosso do Sul registra queda de 55 mil raios
23/10/2017 - 07h02
Medidas anunciadas por Temer farão ressurgir o rio Taquari, diz Ruiter
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.