zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Cultura - 07/08/2017 - 09h20

Chamamé é reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado




Por Eduardo Fregatto do Campo Grande News / Redação Pantanal News

 Imagem do documentário Ao Som do Chamamé, que resgata a história do gênero. (Foto: Divulgação/Novelo Filmes)

Imagem do documentário "Ao Som do Chamamé", que resgata a história do gênero. (Foto: Divulgação/Novelo Filmes)

O chamamé é, oficialmente, Patrimônio Cultural Imaterial do Estado. O registro foi publicado hoje, no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul, e assinado pelo diretor presidente da Fundação de Cultura, Athayde Nery.

A decisão foi tomada pelo Conselho Estadual de Cultura de MS, após análise do processo que pedia a inclusão do gênero musical entre os patrimônios do Estado.

Apesar da sua origem estar associada ao Paraguai e a Argentina, já que derivou da polca paraguaia, o Conselho argumenta que o chamamé representa uma identidade cultural ligada à alma guarani, sendo encontrado no Mato Grosso do Sul devido a sua localização geográfica e intenso intercâmbio cultural com o Paraguai.

 
A dupla Beth e Betinha divulgaram o chamamé desde os anos 60. (Foto: Arquivo/João Garrigó)A dupla Beth e Betinha divulgaram o chamamé desde os anos 60. (Foto: Arquivo/João Garrigó)

Artistas regionais como Zé Corrêa, considerado o Rei Do Chamamé nos anos 60 e 70, as duplas Beth e Betinha, Délio & Delinha, o cantor Castelo e, mais recentemente, os musicistas Marcelo Loureiro e Vinícius Teló são algumas das principais referências do chamamé sul-mato-grossense.

Em Campo Grande, o Instituto Cultural Chamamé MS, criado em março de 2015, trabalha na divulgação e preservação do gênero. Em setembro, acontecerá o Festival Cultural do Chamamé 2017, na Capital.

Com o registro, agora o ritmo vai entrar para o "Livro de Registro das Formas e Expressão", como o patrimônio histórico, artístico e cultural do Estado.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
10/11/2017 - 13h08
AGENDONA: Fim de semana tem atração internacional, rap, reggae e até grito de carnaval
09/11/2017 - 12h45
Com relíquias no acervo, Arquivo Público guarda detalhes valiosos de MS
03/11/2017 - 09h27
AGENDONA: Fim de semana tem youtubers famosos, Guilherme Rondon e muito mais
03/11/2017 - 07h37
Em clima de quintal, encontros têm samba de gafieira com energia super carioca
31/10/2017 - 14h00
Academia Sul-Mato-Grossense de Letras comemora 46 anos e empossa nova Diretoria
 
Últimas notícias do site
17/11/2017 - 07h53
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
17/11/2017 - 07h44
Proprietários rurais são autuados por manterem carvoarias ilegais
17/11/2017 - 06h14
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
16/11/2017 - 16h40
6º Distrito Naval terá cerimônia alusiva ao Dia da Bandeira
16/11/2017 - 15h50
Em 2015, PIB cai em todos os estados pela primeira vez em 14 anos
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.