especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Agronegócios - 02/05/2017 - 11h41

Setor de álcool e açúcar cresce e MS fica em 4° no ranking nacional




Por Elci Holsback do Campo Grande News / Redação Pantanal News

MS é o 4° maior produtor de cana-de-açúcar do País (Foto: Biosul)MS é o 4° maior produtor de cana-de-açúcar do País (Foto: Biosul)

Mato Grosso do Sul fechou a safra de cana-de-açúcar 2016/2016 com índices positivos, de acordo com dados apresentados na manhã desta terça-feira (2) pela Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul). Foram 649 mil hectares plantados, 4% a mais comparado à safra anterior, segundo a entidade.

Mesmo com a instabilidade climática, com chuvas registram excessos no início do ano e estiagem entre agosto e outubro, o plantio não sofreu grande impacto, garantindo ao Estado o 4° lugar no ranking de produção nacional, com 81,7 toneladas de cana por hectare plantado e aumento de 3,3% comparado à safra 2015/2016.

De acordo com o presidente da Biosul, Roberto Hollanda, o clima é fator preponderante para a safra e, em 2016, a expectativa iniciou positiva, com chuvas regulares, mas a estiagem de setembro influenciou em parte da produção.

"Quando chove, a colheita é interrompida e como Mato Grosso do Sul tem uma característica climática própria, a colheita para quando segue na maior parte do País e é retomada no período de entressafra nas demais regiões. Isso atrapalha um pouco o resultado, mas o setor tem aprendido a investir no manejo para não perder produtividade", destaca o presidente, que informa ainda que a safra da cana tem contagem entre 1° de abril e 31 de março do ano seguinte.

Açúcar - Com produção de 1,74 milhão de tonelada, o produto registrou aumento de 31,3% na produção, mantendo o Estado como 5° maior produtor do País. Deste total, 72% é representado pelo VHP (destinado para exportação), 26% é açúcar cristal e apenas 2% é do tipo refinado.  

Do total produzido, 15% abastece o mercado interno e 85% segue para exportação, principalmente por meio dos portos de Paranaguá e Santos.

Etanol - Enquanto a safra de açúcar cresceu, a de etanol registrou retração de 3,9%, segundo a Biosul. Foram 2,70 bilhões de litros do combustível que, mesmo com queda na produtividade, mantém Mato Grosso do Sul como 3° maior produtor do Brasil.

"É uma reação comum, quando a produtividade do açúcar cresce, a do etanol retrai, o que não necessariamente representa em algo prejudicial. Mesmo com esse cenário, do total da produção de cana do Estado, 72% segue para produção de etanol e 28% para o açúcar", avalia Hollanda.

O etanol sul-mato-grossense tem 88% de sua produção destinada aos estados fronteiriços de São Paulo, Minas Gerais e Paraná e apenas 12% é mantido no mercado interno.

"Ainda é muito baixo o consumo interno, infelizmente. Se contabilizar a participação do etanol na gasolina, esse percentual sobe para 37%", comenta o presidente da Biosul.

Em um comparativo, no Estado, 86% do combustível comercializado nas bombas é gasolina e apenas 14% é etanol, enquanto que em São Paulo é 46%; Goiás 41% e Paraná 30%. 

Setor é o maior gerador de empregos na indústria, afirma Biosul (Foto: Elci Holsback)Setor é o maior gerador de empregos na indústria, afirma Biosul (Foto: Elci Holsback)

Safra 2017/2018 - A próxima safra tem estimativa de retração, com 51,4 mil toneladas de cana colhida nos 657,5 mil hectares plantados.

De acordo com a Biosul, houve aumento de 1,39% na área cultivada, mas perda de safra de 4,3% por hectare colhido, que deve ser de 78,2 toneladas/ha. Contudo, mesmo com a redução, deve haver aumento na produção de açúcar de 2,6%, chegando a 131,1 kg por ATR.

"Há interferência da irregularidade do clima, mas mesmo com menor safra, haverá maior produção de açúcar", comenta Roberto Hollanda.

O presidente da Biosul destaca que o setor sucroalcooleiro é o maior gerador de empregos da indústria e 4° maior no agronegócio sul-mato-grossense.

"São 25 mil empregos diretos, 75 mil indiretos e o maior salário médio da categoria, com média de R$ 2.437. É a 4° maior massa salarial da agricultura e a principal da indústria do nosso Estado", finaliza.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
30/11/2017 - 06h33
Quinta-feira começa com céu aberto, mas alerta é de tempestade
29/11/2017 - 08h37
Conab fiscaliza estoques públicos em todo o país
20/11/2017 - 15h50
Conab divulga preços de frutas e hortaliças no mês de outubro nos Ceasas
16/11/2017 - 15h13
Novo aplicativo ajuda a agir rápido para assegurar saúde de rebanhos
16/11/2017 - 09h13
Horta em escola enriquece merenda e estimula aprendizado dos alunos
 
Últimas notícias do site
12/12/2017 - 08h51
Governo divulga resultado dos recursos do concurso da Polícia Civil
12/12/2017 - 08h16
Governador participa de reunião do Codesul em Porto Alegre
11/12/2017 - 14h35
Homens ameaçam policias com faca e são presos
11/12/2017 - 07h05
PMA de Aquidauana realiza Educação Ambiental para alunos e professores indígenas
11/12/2017 - 06h40
Semana começa sem chuva em boa parte de MS e máxima chega aos 38ºC
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.