especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Agronegócios - 05/04/2017 - 10h30

Maior cachoeira de MS 'seca' e mistério será investigado por especialistas

Cachoeira da Boca da Onça fica na Serra da Bodoquena




Por Izabela Sanchez // fotos: divulgação/Edson Silva do Midiamax / Redação Pantanal News

 A maior cachoeira de Mato Grosso do Sul, conhecida como Boca da Onça, está seca há 4 meses. Os registros da situação de um dos maiores pontos turísticos do Estado foram realizadas por proprietários e moradores da região. As primeiras fotos que mostravam o pico de 156 metros sem vazão de água foram tiradas em 20 de dezembro. Agora, quase 4 meses depois, a situação é a mesma.

“Mesmo as chuvas dos últimos meses não foram suficientes para restabelecer a vazão da água da cachoeira Boca da Onça (Bodoquena-MS-Brasil), a mais alta de MS e a oitava do Brasil? A preocupação continua! Afinal, o que acontece?”, comentou o professor universitário Edson Silva, ao postar as imagens no facebook.

Agora, a questão chegou ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), que irá enviar equipes ao local para investigar o motivo dos meses de seca. “A situação na cachoeira Boca da Onça,em Bodoquena ainda não era de conhecimento do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). Agora, uma equipe do escritório regional do Instituto, em Bonito, será destacada para averiguar a denúncia e tomar as medidas necessárias”.

Estiagem e desmatamento

Pesquisador da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Pantanal, Ivan Bergier explicou sobre uma pesquisa que pode estar relacionada com a questão. Ainda assim, ele afirma que as hipóteses devem ser confirmadas pelas equipes na região.

O local estudado pelo pesquisador é o entorno do rio Paraguai em Ladário. O que Ivan descobriu é a hipótese de que o desmatamento pode estar relacionado com a diminuição das chuvas.

“E por que isso? Provavelmente, a hipótese que eu levantei, que é a seguinte, quando você remove a cobertura vegetal do planalto, você remove o que a gente chama de esponja. Essa esponja faz o que? O que a gente chama de ciclo de água verde. Tem o ciclo da água verde e o ciclo da água azul. A água azul são os rios, a água verde é aquela água que penetra lentamente e abastece os aquíferos. E, ao mesmo tempo, essa água é evapotranspirada pela planta, que formam as nuvens, que faz chover de novo. Então, assim, que tem sofrido mais de seca no pantanal são as áreas menos influenciadas pelos rios e mais influenciadas pelas águas de chuva, dessa chuva de origem vegetal, de entorno”, relatou.

“Agora na Bodoquena, não sei te dizer o que está acontecendo. É menos água chegando no rio, isso com certeza. Agora, essa água em menos quantidade chegando no rio, se estiver seco, deve ser porque está chovendo menos, abaixo da média histórica”, complementou.

O abastecimento dos aquíferos têm uma relação de interdependência com o bioma do cerrado, presente em Mato Grosso do Sul. É o que mostrou uma reportagem da BBC Brasil. O arqueólogo e antropólogo baiano Altair Sales Barbosa, que há quase 50 anos estuda o papel do Cerrado na regulação de grandes rios da América do Sul.

"Se você arrancar uma dessas plantas, vai contar milhares ou até milhões de raízes, e quando cortar uma raiz e levá-la ao microscópio, verá inúmeras outras minirraízes que se entrelaçam com as de outras plantas, formando uma espécie de esponja."

Similar à pesquisa de Ivan, o que o arqueólogo explica, é o sistema vegetal retém água e alimenta as plantas na estação seca. Graças a ele, as árvores do Cerrado não perdem as folhas mesmo nem mesmo no auge da estiagem - diferentemente do que ocorre entre as espécies do Semiárido, por exemplo. Barbosa conta que, quando há excesso de água, as raízes agem como esponjas encharcadas, vertendo o líquido não absorvido para lençóis freáticos no fundo. Dos lençóis freáticos a água passa para os aquíferos.

Turismo sem água

Secretária municipal de turismo em Bodoquena, Vívian Barbosa da Cruz, explica que apesar da seca, o local continua atraindo os turistas. Ainda assim, as agências avisam os visitantes sobre a cachoeira.

“Na própria agência já é comunicado que tem pouca água”, conta. Vivian afirma que não é só a cachoeira que está sofrendo com a seca. “Não é só a cachoeira, diminuiu muito o volume de água dos rios, os rios estão baixos, devido à poucas chuvas nesse período. Esse ano choveu muito abaixo do esperado”, relatou.

 
  • Primeiro registro da falta de água foi realizado em dezembro (Edson Silva)

 

 
 
 

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
20/02/2018 - 10h50
Chuva desde madrugada alaga casas e interdita rodovia de acesso ao Pantanal de MS
23/01/2018 - 13h23
Brasil entra na corrida para desenvolver mandioca com amido ceroso
23/01/2018 - 10h20
Unidades de conservação podem ser administradas por parcerias público-privadas
16/01/2018 - 10h30
Ipê-roxo é primeira árvore do Cerrado a ter genoma sequenciado
16/01/2018 - 08h40
Rebanho de MS cresceu para 21.8 milhões de cabeças de gado em 2017, diz Iagro
 
Últimas notícias do site
22/02/2018 - 10h15
De cão a periquito: animais salvos da cheia dão cara de lar a abrigo
22/02/2018 - 08h50
Prefeitura de Aquidauana arrecada doações para ajudar atingidos por cheia
22/02/2018 - 08h27
Sem chuva, rio baixa 3 metros e tráfego começa a ser liberado em pontes
22/02/2018 - 06h51
Reinaldo se reúne com prefeitos de cidades afetadas por chuvas e cheias
22/02/2018 - 06h20
Prefeitura de Aquidauana suspende aulas até fim da semana por causa dos estragos da chuva
 

88

ZAP NOVO
Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.