zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meteorologia - 19/12/2016 - 06h13

Verão chega na 4ª, com ‘dia de 14 h', La Niña e alerta de radiação UV

Fraca influência do fenômeno em MS deve manter chuvas dentro da média




Divulgação

Por Danielle Valentim do Midiamax / Redação Pantanal News

A estação mais quente do ano começa na próxima quarta-feira (21) em todo o Brasil, e em Mato Grosso do Sul, o Solstício de verão (a virada de estação) inicia exatamente às 6h44. Neste dia, a luz do sol deve iluminar durante 14 horas seguidas, o dia mais longo do ano. Durante a temporada, espera-se chuvas dentro da média histórica, tendo em vista, a fraca interferência do fenômeno La Niña, no Estado. A radiação ultravioleta também chama atenção para a temporada, devido a posição e duração do sol e as temperaturas máximas na casa dos 36ºC. 

O verão 2016 terminará no dia 20 de março de 2017, às 7h29, e historicamente, esses são os três meses de maior regime de chuvas de um final de ano para inicio de outro. A temperatura média ficará na casa dos 25,5ºC, máximas de 31,2ºC e mínimas de 21,5ºC, que devem variar em cada região do Estado.

O clima quente fica presente durante a estação, porém acompanhado de constantes chuvas, algumas fortes, principalmente a tarde e começo da noite. Mas de acordo com prognóstico divulgado pelo meteorologista da Uniderp, Natálio Abrahão Filho, os maiores acumulados de chuva se concentram, historicamente, no Sul, Sudeste, centro e Sudoeste de MS com valores médios superiores a 200 milímetros a cada mês.  A Capital apresenta chance deste tempo, até começo de março, já nas regiões norte, nordeste e leste, essas médias devem ficar em torno dos 180 milímetros em cada mês.

O aumento da temperatura do ar sobre o continente sul-americano, potencializa as chuvas acompanhadas por trovoadas, raios e rajadas de vento muito fortes. As consequências são as enchentes e inundações nas partes baixas, deslizamentos de terras, quedas de pontes, destruição de estradas, asfaltos e quedas de árvores em todos os municípios principalmente no centro-sul, sudeste e leste do Estado. 

Os modelos indicam chance de também ocorrer nas regiões Nordeste (Paranaíba, Selviria, Aparecida do Tabuado e inocência), Sudeste (Ivinhema, Angélica, jatei, novo Horizonte do Sul e Naviraí), Sul ( Paranhos e Eldorado), Sudoeste (Ponta Porã, Bela vista, Dourados, Maracaju e Sidrolândia), Central (Bandeirantes, Jaraguari e Campo Grande). 

As temperaturas no verão são elevadas. Mas não devem ultrapassar máximas de 35 graus. Assim, espera-se chance de ficar três a quatro graus acima da média em Janeiro, mais de quatro graus em Fevereiro e três graus em Março. As máximas podem chegar aos 36 graus no Leste, Norte e Oeste. As mínimas devem ficar em torno dos 21 a 23 graus.  As regiões sudeste, sul e sudoeste devem ter mínimas entre 19 e 21 graus e as máximas entre 30 graus e 33 graus. Em Campo Grande mínimas entre 19 e 21 graus e máximas entre 29 e 32 graus.

Réveillon chuvoso no Pantanal

Não está descartada entre meados fim de dezembro e meados de janeiro chuvas com altos volumes em Corumbá, Miranda, Porto Murtinho e Ladário. As chuvas começam a se reduzir em meados de Março. As atividades elétricas serão intensas, sendo estes os meses (dezembro e janeiro) de maior incidência. Chances de queda de granizo, serão raras mas dentro do provável no Centro-Sul do MS.

Influência do La Niña em MS

O verão no Brasil recebrá a passagem do fenômeno La Niña, porém o evento não está fortalecido em Mato Grosso do Sul e somado ao retorno de neutralidade, as chuvas ficarão dentro das médias históricas de cada região. 

 

A ausência de massas de ar que bloqueiam o avanço das frentes, devem manter os ventos em níveis médios em MS. O fenômeno ainda pode provocar curtos “veranicos” (estiagem de 5 a 7 dias), mas sem prejuízos no campo. 

Porém, na Região Sul, as chuvas podem variar (entre 400 mm e 600 mm) em media de 140 mm  a 210 mm a cada mês. Nas demais regiões, dentro da média local. A região Oeste, entre Aquidauana e Corumbá, mais uma vez segue a tendência de redução dos valores históricos, devendo receber volume abaixo das medias. 

Os totais mensais de chuva para Janeiro e Fevereiro, podem ficar dentro ou próximos das médias históricas na região Sul e Sudoeste. 

A região central, norte nordeste, o regime deve ser praticamente regular. A região oeste, deve se normalizar com chuvas mais constantes entre meados de fevereiro ao final de Março nas nascentes a sudoeste de MT na Bacia do alto Paraguai. 

No início de dezembro de 2016, a anomalia da temperatura superficial das aguas (SST), do Pacífico tropical estava próxima de (-0,5°C), isso explica o fraco La Niña. Isto não deixa de ser uma informação relevante que pode interferir no clima de verão em MS. 

Radiação UV – Ultravioleta 

Em dezembro, janeiro e fevereiro as temperaturas passam com frequência dos 30ºC. Cuidados das 10h30 às 16h devido aos raios Ultra Violeta. Essa radiação solar tem agravante de serem mais verticais, com mais horas de sol.  

No Hemisfério Sul eles projetam os raios mais nocivos. O fator se eleva em níveis perigosos na ausência de nuvens. O uso de protetor solar, chapéus, óculos e roupas adequadas, ajudam a minimizar os efeitos em pessoas de pele mais branca e consequentemente mais desprotegidas fisiologicamente.

Todos, independente da cor da pele, são expostos mais ou menos e as consequências são gravíssimas. 

Descargas Elétricas 

É alto o índice de raios no país no verão. Em média com mais de 38h no mês de janeiro (maior do ano) e 34h em Fevereiro. Medidas de proteção e prevenção contra descargas elétricas e raios nesta estação devem ser tomadas em decorrência dos fatores que facilitam a descarga elétrica. 

Não ficar em baixo de árvores, dentro de piscinas, rios e lagos, próximos a cercas metálicas, não ficar descalço em enxurradas e restringir o uso de telefones fixos e celulares, além de ficar distantes de torres metálicas e em baixo de postes elétricos. Não subir em árvores, permanecer dentro de casa ou nos carros também são opções de proteção contra os raios.
 
A maior incidência são decorrentes  das nuvens convectivas (nuvens de trovoadas) presentes com frequência em todo o estado em toda a estação.  Os índices pluviométricos associados a raios e trovoes começam a ter menor frequência no inicio de março.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
23/05/2017 - 15h41
Instituto alerta para tempestade em MS entre terça e quarta-feira
23/05/2017 - 06h50
Terça-feira com previsão de chuvas à tarde e máxima de 32ºC em MS
19/05/2017 - 06h25
Sexta-feira com previsão de chuvas e temperaturas amenas em MS
18/05/2017 - 16h07
Instituto alerta para tempestade; frente fria traz mínima de 14ºC
18/05/2017 - 06h19
Frente fria chega a MS derrubando temperaturas e trazendo chuvas
 
Últimas notícias do site
23/05/2017 - 16h02
Projeto de Lei do Deputado Dr. Paulo Siufi inclui no Calendário Cívico de MS Festa a São Luís Orione
23/05/2017 - 15h41
Instituto alerta para tempestade em MS entre terça e quarta-feira
23/05/2017 - 14h16
7º Batalhão PM recebe novos Sargentos
23/05/2017 - 10h44
Aplicativo auxilia produtores a produzir carne com qualidade em Mato Grosso do Sul
23/05/2017 - 08h00
Processos seletivos reúnem várias vagas em MS e salários de até R$ 6,7 mil
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.