zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meteorologia - 30/11/2016 - 12h32

Aumento de 5°C na temperatura vai causar proliferação do Aedes em MS

Pesquisa mostra que em oito cidades de MS temperatura vai aumentar 5°C nos próximos 25 anos




Imasul/ Divulgação

Coordenadores do projeto Vulnerabilidade à Mudança do Clima, apresentaram projeção que clima em MS deve ficar até 5,8ºC mais quente nos próximos 25 anos.

Reprodução

Mapa mostra aumento das temperaturas em cidades de MS.

Imasul/ Divulgação

Projeto sobre mudanças climáticas em MS foi apresentado na manhã desta quarta-feira (30).
Por Renata Volpe Haddad do Campo Grande News / Redação Pantanal News

Entre 2041 e 2070, a região norte de Mato Grosso do Sul será a mais afetada com o aumento da temperatura, que deve ficar até 5,8ºC mais quente. Com isso, além dos dias mais secos e calor intenso, o crescimento dos casos de dengue pode triplicar, devido a proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

Os dados fazem parte do projeto Vulnerabilidade à Mudança do Clima, apresentado nesta quarta-feira (30), em Campo Grande. Conforme a pesquisa, a temperatura em Corguinho deve subir até 5,8ºC daqui a 25 anos.

O leste do Estado também será afetado e em Paranaíba, Aparecida do Taboado e Selvíria, o clima vai ficar até 5,7ºC mais quente. De acordo com a pesquisa, Caracol e Paranhos terão temperaturas de até 5ºC acima do atual e em Campo Grande e Corumbá, o clima pode esquentar 5,4ºC e 5,2ºC, respectivamente.

Isso afeta diretamente em dias mais quentes e no volume de chuvas em Mato Grosso do Sul. Em comparação com os dias atuais, Novo Horizonte do Sul será mais afetado pela estiagem e terá 15,2% a mais de dias secos, se comparado com os dias atuais.

Campo Grande terá o número de dias consecutivos secos em nível intermediário em relação aos outros municípios do Estado e este índice pode aumentar 5,4% em relação ao período atual.

A região Norte e algumas cidades do Leste do Estado sofrerão com a falta de chuvas e o índice pode variar de 2,3% a 19,3%. Rio Verde e Coxim serão impactados com a estiagem nos próximos 25 anos. Em Aparecida do Taboado, a pluviosidade poderá diminuir até 17,6%.

O que causa essas mudanças climáticas em Mato Grosso do Sul, ainda segundo a pesquisa, são os desmatamentos, poluição dos rios e a forma que o solo está sendo utilizado.

O coordenador do projeto, Ulisses Confalonieri, afirma que com esse aumento nas temperaturas, vai dobrar os casos de dengue, ou seja, vai crescer o número do inseto transmissor, o Aedes aegypti. "No Paraná, por exemplo, que não havia foco nenhum de dengue e nem casos da doença há dez anos, hoje é um estado endêmico".

Além da dengue, as alterações na temperaturas são capazes de interferir no ciclo reprodutivo de insetos transmissores de enfermidades. No Estado, por exemplo, pode haver aumento na incidência de leptospirose, leishmaniose e ataque de animais peçonhentos e venenosos.

O governo do estado está trabalhando para tentar reverter a situação, e conforme o secretário do Imasul (Instituto de Meio Ambiente), Jayme Verruck, metas foram estabelecidas e já estão sendo trabalhadas, como por exemplo, o programa Terra Boa. "Assumimos um compromisso com política pública de incentivo fiscal de recuperar dois milhões de hectares degradados que há no Estado, em parceria com a Embrapa. O cenário extremo apresentado hoje será verdadeiro se não houver nenhuma medida de mitigação".

Para a responsável pela pesquisa sobre Mato Grosso do Sul, a bióloga Isabela Brito, há condições de amenizar ou até mesmo reverter esse aumento na temperatura. "As pesquisas indicam que para reverter essas projeções, é preciso verificar a forma de uso do solo, diminuir o desmatamento, a poluição da água e a emissão de gases de efeito estufa. Tudo isso, iria auxiliar e evitar todas essas projeções apresentadas hoje"

 

Ainda segundo a bióloga, é importante lembrar que as mudanças climáticas são uma questão global. "Essas projeções são entregues ao estado pois ele precisa estar adaptado ao fenômeno que pode acontecer, como alagamentos, granizos e vendavais, mas como é algo global, as vezes por si só, não consegue evitar isso".

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
24/04/2017 - 06h21
Início de semana com tempo seco e temperaturas em elevação; máxima de 33ºC
19/04/2017 - 15h48
Feriado em MS terá chuva, com queda na temperatura e mínima de 11ºC
17/04/2017 - 06h50
Municípios de MS registram mais de 60 milímetros de chuva em 24 horas
16/04/2017 - 14h13
Com frente fria, temperatura cai 6°C e friozinho deve durar até quarta-feira
12/04/2017 - 06h21
Massa de ar polar se aproxima de MS e quarta-feira será de temperaturas amenas
 
Últimas notícias do site
24/04/2017 - 13h30
Polícia prende jovem com maconha e cocaína em Aquidauana
24/04/2017 - 12h55
Clima muda e entressafra faz preço do leite subir 8% ao produtor de MS
24/04/2017 - 10h39
Corpo do cantor Jerry Adriani é velado no Rio
24/04/2017 - 09h56
Declaração do Imposto de Renda termina sexta; fique atento ao prazo
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.