zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Agronegócios - 06/07/2016 - 10h58

Embrapa testa opções para aprimorar a agricultura familiar no Pantanal

Alimentos biofortificados, cultivares da instituição e sistemas integrados de produção estão entre as alternativas




Por Assessoria / Redação Pantanal News

 Variedades da Embrapa com boas características agronômicas e cultivares biofortificadas, que chegam a ter o dobro dos nutrientes encontrados nas tradicionais, foram trazidas à região pantaneira pela unidade da

 instituição de pesquisa localizada em Corumbá (MS). De acordo com José Aníbal Comastri Filho, chefe adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Pantanal, os pesquisadores testam a adaptação dessas plantas para formular recomendações de plantio eficientes aos produtores locais. "Nosso objetivo é implantar aqui um sistema agroflorestal. Portanto, estamos selecionando aquelas plantas que mais se adaptam a esse sistema na nossa região", afirma. 

Na área experimental mantida pela unidade nos assentamentos rurais, o sistema foi montado com mudas de mogno, moringa, feijão e mandioca. "Elas foram plantadas em espaçamentos largos, para que cresçam sem atrapalhar umas às outras. O mogno vai ficar bem mais alto (ou seja, a raiz também vai ser mais profunda). Aqui, nós temos um sistema agroflorestal com o feijãorepresentando o sistema herbáceo. A moringa será o arbusto, da forma como está sendo produzida, e o mogno é o componente florestal. Estamos explorando três extratos diferentes do solo", diz Frederico Lisita, pesquisador da instituição. "Vamos ver como essas plantas se comportam, quais são as principais doenças, a velocidade de crescimento, a produção e a qualidade das raízes para, depois, divulgar essas informações".

 

O sistema agroflorestal é uma das alternativas estudadas atualmente para aprimorar os processos produtivos dos agricultores familiares pantaneiros. "A equipe da nossa unidade que atua na área trabalha com afinco nesta opção", afirma Comastri. Saiba mais sobre as espécies, métodos de plantio e outras alternativas que podem beneficiar os produtores rurais:

Moringa

Uma das plantas utilizadas no sistema agroflorestal testado pela Embrapa Pantanal é a moringa, cujas propriedades impressionam pesquisadores, produtores e nutricionistas. "As folhas novas dessa planta chegam a ter 30% de uma proteína com alto valor biológico", afirma Frederico. Ele conta que a moringa também é rica em ferro e cálcio, sendo recomendada para mulheres emlactação e pessoas com deficiência de proteínas e minerais. Além de ser ótima para o consumo humano, a planta também pode ser usada na alimentação animal para fornecer proteína de excelente qualidade e minerais, de acordo com o pesquisador.

No Pantanal, os estudos investigam seu uso (associado ao da mandioca) na alimentação de galinhas. "O objetivo é utilizar o maior teor de folhas e de talos finos possível", diz o pesquisador. "A gente fez uma poda drástica, deixando a árvore com 1,5m de comprimento em média, para que ela só brote dessa altura para baixo". Para alimentar as aves com a moringa, Frederico afirma que é preciso triturar o material e deixá-lo secar ao sol para incluí-lo na ração. Porém, a planta também pode ser fornecida in natura e à vontade para as aves.


Consórcios

 

Além do trabalho com o sistema agroflorestal, a unidade estuda o consórcio de plantas em geral na região. Segundo Frederico, o plantio associado pode otimizar o uso da terra, disponibilizando maiores quantidades de matéria orgânica, água e nutrientes. "Por exemplo: o feijão, que é uma leguminosa, promove a fixação biológica de nitrogênio no solo. Se plantado junto com o milho, ele vai trabalhar ajudando na fertilização. Em muitos consórcios, você tem um polinizador que é semelhante, um inimigo natural de alguma praga que pode se esconder em determinada planta... ou seja, é um sistema de simbiose", afirma. "É importante planejar para escolher as variedades colocadas no solo, de forma que elas possam se beneficiar da presença de ambas na mesma área".


Fossa séptica biodigestora

Outra alternativa implantada na área experimental é o uso de um sistema de biodigestão anaeróbio que trata o esgoto sanitário da propriedade e ainda produz um efluente que pode ser usado como fertilizante nas plantações. A Fossa Séptica Biodigestora é composta por três caixas d'água de mil litros cada, aproximadamente (a quantidade ou a capacidade podem aumentar dependendo da quantidade de moradores no local). Essas caixas são ligadas à saída de esgoto do vaso sanitário da casa, conectadas entre si e vedadas com borracha. A ausência de ar no sistema permite que microrganismos utilizem a matéria orgânica para obter energia, filtrando o material e produzindo, ao fim do processo, o efluente que pode ser usado como biofertilizante.

Saiba mais no link: 

https://www.embrapa.br/instrumentacao/busca-de-publicacoes/-/publicacao/908011/perguntas-e-respostas-fossa-septica-biodigestora

 






Alimentos biofortificados

Feijões com mais ferro e zinco, batata-doce com mais betacaroteno e milho com mais pró-vitamina A. Essas são algumas das características das variedades biofortificadas desenvolvidas pela Rede BioFORT, coordenada pela Embrapa, que são testadas atualmente nos solos pantaneiros. Com o objetivo de avaliar o desempenho e multiplicar sementes, foram plantados os feijões BRS Estilo e BRS Cometa, o feijão caupi BRS Xique-xique, o milho BRS 4104 e a batata-doce BRS Beauregard. Essas cultivares, obtidas por meio de melhoramento genético tradicional, são mais nutritivas e doces que as variedades comuns.


De acordo com José Luiz Viana, vice-líder da Rede BioFORT e pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos, os biofortificados já atingiram 14 estados brasileiros e diversos países. "No caso do ferro e do zinco, temos em todo o Brasil algum tipo de deficiência", afirma. Ele ressalta que esses alimentos buscam combater a fome oculta, que ocorre quando a quantidade de nutrientes na dieta é insuficiente. "Isso pode ser causado tanto pela falta de comida quanto pelo hábito de trocarmos refeições completas por lanches ou algo mais rápido", diz. "Qualquer pequeno agricultor com uma roça do lado de casa pode plantar uma rama de batata, um pouco de milho, uma roça de feijão ou uma variedade de mandioca. É algo com o que a gente tem conseguido atingir os rincões mais distantes desse mundo".

No Pantanal, os biofortificados representam uma opção de consumo e de renda para os agricultores familiares, que podem trabalhar para incluí-los na merenda escolar. Segundo a chefe-geral da Embrapa Pantanal, Emiko Resende, esses alimentos e as outras alternativas avaliadas pelos pesquisadores na área experimental da unidade representam a possibilidade de produzir de forma ambientalmente amigável, mantendo a qualidade dos produtos. "Se você aprender a manejar o solo, as plantas e conseguir trabalhar com planejamento e inteligência, é possível utilizar o mesmo espaço para várias finalidades ao longo do tempo", diz. "Temos que reaprender a produzir. Aqui, a gente tem essa possibilidade".

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
19/10/2017 - 10h41
Área semeada de soja em MS ultrapassa 814 mil hectares
19/10/2017 - 09h00
Hortaliças seguem mais baratas e frutas têm aumento de preço em setembro
17/10/2017 - 10h25
Conab assina oito novos contratos com agricultores familiares em MS
17/10/2017 - 10h24
Compostos extraídos da gravioleira têm potencial ação inseticida e antitumoral
11/10/2017 - 07h58
Produção de mudas, coleta de sementes e legislação ambiental são tema de curso em Aquidauana
 
Últimas notícias do site
20/10/2017 - 15h38
Asfalto entre Piraputanga e Camisão vai impulsioncar ecoturismo na região
20/10/2017 - 15h06
Alerta prevê tempestades em 43 municípios de Mato Grosso do Sul
20/10/2017 - 14h13
PMA autua proprietária rural por exploração ilegal de madeira
20/10/2017 - 12h30
PMA autua jovem por manter ave silvestre em cativeiro
20/10/2017 - 11h33
Incêndio em parque estadual de MS é controlado após uma semana com ajuda de chuva, diz Imasul
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.