zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Polícia - 04/07/2016 - 08h00

Faro contra o crime: brincadeira dos cães enfrenta criatividade do tráfico




Por Aline dos Santos do Campo Grande News / Redação Pantanal News

Alpha, ao lado de Rafael, se prepara para entrar em carro à procura de drogas. (Foto: Alcides Neto)Alpha, ao lado de Rafael, se prepara para entrar em carro à procura de drogas. (Foto: Alcides Neto)

Com alegria infantil, Maia e Alpha se divertem em meio a veículos que ocultam drogas. Mas o que parece brincadeira é arma contra a criativa engrenagem do tráfico. A experiente dupla de cães farejadores da PRF (Polícia Rodoviária Federal) usa o prodigioso sentido para revelar os inusitados esconderijos de entorpecentes no vale-tudo dos traficantes.

Numa manhã ensolarada, com aprazíveis 20ºC para um dia de Inverno, as cachorras treinam em um pátio tomado por veículos apreendidos. A brincadeira consiste em localizar o entorpecente, indicar para o policial e ser agraciado com uma recompensa.

 

No treinamento, acompanhado pelo Campo Grande News, os comandos partem sempre de um mesmo policial. Em tese, qualquer um que domine a técnica poderia executar o trabalho em parceria com o cão, mas só a convivência revela, por exemplo, quando o animal está inseguro ao entrar num veículo. Por isso, o conceito de duplas fixas. 

No combate ao crime, Rafael Tavares faz parceria com a cachorra Alpha, da raça pastor alemão. O primeiro ponto que faz questão de esclarecer é de que o cão não fica viciado em droga. Segundo ele, o animal é exposto ao odor do entorpecente e, com o treinamento, ganha recompensa quando localiza a droga em lataria e bagageiro de veículos. No caso de Alpha, de 3 anos, o prêmio é uma bolinha, que ela não larga da boca, num sinal de missão cumprida.

O policial Thiago Cunha endossa que o treinamento não vicia os cães. “O cão farejador jamais tem o contato com a droga. O contato é com o odor”, afirma. Ele treina Maia, uma cachorra da raça pastor belga malinois. Ela tem dois anos e foi comprada pela PRF, por meio de licitação, aos sete meses. Ao encontrar a droga na lataria de um veículo, ela bate as patas no local que camufla o entorpecente.

 

 
Maia recebe comando de Thiago para inspecionar veículo. (Foto: Alcides Neto)Maia recebe comando de Thiago para inspecionar veículo. (Foto: Alcides Neto)
 
E volta com brinquedo para comemorar. (Foto: Alcides Neto)E volta com brinquedo para comemorar. (Foto: Alcides Neto)
 

Para ganhar o título de farejador, o cão precisam ter traços específicos de personalidade, como ser brincalhão, possessivo e sociável. “O cão de serviço, principalmente no faro de drogas, tem que ter impulso de caça. Um cão que goste de investigar, de ter a posse do brinquedo. Ele tem que querer o brinquedo de qualquer forma”, afirma Thiago Cunha.

A “aposentadoria” do cão farejador é obtida após oito anos de trabalho policial. Em geral, ele fica com o guia. A segunda opção é ser doado para outro servidor público. Caso o animal não seja adotado, o cão é custeado pela polícia até o fim da vida.

O cão é capaz de sentir odor 40 vezes mais do que uma pessoa. “Enquanto o ser humano tem cinco milhões de células olfativas, a média do cão é de 200 a 250 milhões”, explica Thiago.

No Estado, o GOC (Grupo de Operações com Cães) da PRF ainda conta com os trabalhos de Bella, uma pastora belga malinois capaz de identificar drogas, armas e munição. Em abril deste ano, o trio de farejadores localizou 19 quilos de maconha em um Tucson, que passava pela BR-060. Três homens foram presos.

Rota e mercado - Alvo dos cães farejadores, a maconha e a cocaína atravessam Mato Grosso do Sul, ao mesmo tempo rota e mercado consumidor. Em 2015, foram tirados de circulação 7,2 toneladas em Mato Grosso do Sul. Em 2016, as apreensões somam 3,6 toneladas. Os números correspondem as apreensões da PRF e Polícia Federal. Em Campo Grande, o quilo da cocaína é avaliado em R$ 20 mil.

Alpha corre em direção à bolinha: prêmio por achar droga.  (Foto: Alcides Neto)Alpha corre em direção à bolinha: prêmio por achar droga. (Foto: Alcides Neto)

 

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
16/10/2017 - 13h02
Após denúncia, Polícia Militar captura foragido da justiça
16/10/2017 - 10h12
7º Batalhão PM realizou “Operação Pacificador” durante feriado
16/10/2017 - 07h39
PMA conclui operação no feriadão e autua mais infratores que em relação a 2016
13/10/2017 - 09h32
PMA de Aquidauana autua campo-grandense por captura de peixe fora de medida
13/10/2017 - 07h50
PMA autua cinco pessoas por pesca ilegal
 
Últimas notícias do site
16/10/2017 - 16h36
MS terá sistema de aviso de alagamentos por celular a partir de 2018
16/10/2017 - 13h02
Após denúncia, Polícia Militar captura foragido da justiça
16/10/2017 - 11h25
Restituição do IR já está disponível para 31,5 mil contribuintes de MS
16/10/2017 - 10h57
Semana começa com mais de 400 vagas em concursos e salários de até R$ 14 mil
16/10/2017 - 10h55
Ruiter aciona primeiro trecho de iluminação pública com LED
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.