especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Saúde - 04/07/2016 - 07h00

Doença do momento, gripe matou quatro vezes mais que dengue em 2016

Neste ano, 67 pacientes com gripe morreram; a dengue foi responsável por 15 óbitos




Por Anahi Zurutuza do Campo Grande News / Redação Pantanal News

Desde o início do inverno, a Santa Casa opera no limite; pacientes com gripe e em estado grave são levados para lá (Foto: Guilherme Henri)Desde o início do inverno, a Santa Casa opera no limite; pacientes com gripe e em estado grave são levados para lá (Foto: Guilherme Henri)

Embora sejam doenças com formas de transmissão e combate completamente diferentes, as duas são causadas por vírus e muito temidas pela população. Em Mato Grosso do Sul, a dengue e a gripe já mataram 82 pessoas neste ano. Contudo, a influenza pode ser considerada “doença da vez”.

Até o dia 22 do mês passado, conforme o último boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), o vírus da dengue havia contaminado 57.288 pessoas, metade no número de pacientes que tiveram a doença em 2013, ano da maior epidemia já enfrentada no Estado, quando 102.026 foram diagnosticados com a patologia.

 

Contudo, a doença de 2016 é a gripe, que começou a fazer vítimas antes do período mais frio e seco do ano, quando a circulação dos vírus causadores – influenza A e B – é maior.

Apesar do número de notificações da doença – 1.166 até o dia 28 de junho – corresponder a somente 2% da quantidade de casos registrados de dengue, a gripe matou 67 pessoas neste ano, quatro vezes mais que a patologia transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que causou a óbito de 15 pacientes.

Em 2016, a gripe já matou nove vezes mais pessoas que no ano passado, quando sete pacientes com a influenza morreram, e três vezes mais que em 2014, quando 21 óbitos foram registrados.

Das 67 mortes que ocorreram neste ano, 63 são provocados pela gripe A H1N1, uma pelo vírus A não subtipado e três pela gripe B, conforme as informações da SES.

 
Circulação de vírus da gripe aconteceu antecipadamente, explica Rivaldo Venâncio (Foto: Simão Nogueira/Arquivo)Circulação de vírus da gripe aconteceu antecipadamente, explica Rivaldo Venâncio (Foto: Simão Nogueira/Arquivo)

Por quê? – O médico infectologista Rivaldo Venâncio Costa explica que o fato do vírus da gripe ter começado a circular mais cedo neste ano contribuiu para que a doença fosse mais letal. Em março, casos e mortes já começaram a ser registradas, enquanto que, em geral, as notificações começam a ser feitas em maio. Ninguém havia se vacinado ainda.

O infectologista alerta ainda para a subestimação da importância da vacina. “Isso tanto pela população, quanto pelas autoridades. Tanto é que todo ano tem o sufoco da secretaria atrás das grávidas e neste ano, teve a correria da população atrás de vacina, que está difícil de encontrar”, comentou.

Conforme o sistema SPNI (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunização), em Mato Grosso do Sul, 95,76% da população-alvo foi vacinada – 557.681 do total de 582.399 que fazem parte dos grupos de risco. Contudo, apenas 79,36% das gestantes estão imunizadas, 26.219 das 33.039 existentes no Estado, conforme o cálculo do Ministério daSaúde. Ou seja, 6.820 grávidas ainda precisariam tomar a vacina.

Notificações – O médico ressalta que o número de casos de gripe registrados pela SES não pode ser tomado como base, uma vez que muitos pacientes sequer chegam a uma unida desaúde. “A diferença é que a gripe não é uma doença de notificação compulsória, mas a dengue é. Pela forma de transmissão, a gripe atinge uma quantidade de pessoa infinitamente maior que a dengue. Por baixo, no Estado, umas 200 mil pessoas já devem ter tido gripe neste ano”, concluiu.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
20/11/2017 - 12h50
Laudo descarta que macaco achado morto na Capital teve febre amarela
13/11/2017 - 11h30
Lei: deputado Dr. Paulo Siufi cria “Agosto Verde” para prevenir depressão e outros males
08/11/2017 - 16h10
Sesau investiga morte de macaco, animal hospedeiro da febre amarela
31/10/2017 - 14h46
Cirurgia de Ruiter teve início na tarde desta terça-feira
31/10/2017 - 09h07
Com quadro clínico estável, prefeito de Corumbá já está sendo operado
 
Últimas notícias do site
15/12/2017 - 16h34
Acumulada, Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 39 milhões neste sábado
15/12/2017 - 16h02
Veado e tatu são resgatados e devolvidos a natureza
15/12/2017 - 12h35
Comandante e Subcomandante da PMA de Corumbá são homenageados
15/12/2017 - 12h01
PMA autua proprietário rural por armazenamento ilegal de embalagens de agrotóxicos
15/12/2017 - 10h56
Fazendeiro é autuado por armazenamento ilegal de madeira
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.