zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Saúde - 16/03/2016 - 15h55

Parte dos registros de dengue em MS pode ser zika, alerta especialista

Número insuficiente de kits para exames e dificuldades de diagnósticos resultam na chamada subnotificação da doença




Marcos Ermínio/ Arquivo

Larvas do Aedes aegypti, mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya.
Por Natalia Yahn do Campo Grande News / Redação Pantanal News

Casos de zika continuam subnotificados em Mato Grosso do Sul, de acordo com médicos que atuam diretamente no atendimento de pacientes com suspeita da doença. O número de registros suspeitos e confirmados abaixo da quantidade real de pessoas doentes acontece por motivos diversos, mas principalmente por dificuldades no diagnóstico, baixa procura por atendimento médico e até mesmo a não realização do exame que confirma o vírus.

 

“Boa parte do que estamos chamando de dengue pode ser zika. Na realidade, pode haver confusão no diagnóstico”, afirmou o médico infectologista e representante da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), em Mato Grosso do Sul, Rivaldo Venâncio da Cunha.

Em todo o Mato Grosso do Sul, o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) fez apenas 214 exames que detectam o zika – apenas 67 foram positivos, conforme o primeiro balanço oficial. Mas, no Estado, um total de 302 amostras foram analisadas, somado aos enviados até o dia 22 de fevereiro para o laboratório do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo (SP).

”Acaba sendo poucas amostras que enviamos para São Paulo devido ao limite que tínhamos, de enviar 20 amostras por semana”, afirma o diretor do laboratório, Luiz Henrique Ferraz Demarchi.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) divulgou nesta quarta-feira (16) um novo boletim epidemiológico. Pelos números oficiais, até agora são 310 gestantes em acompanhamento – 264 apenas este ano –, 50 estão positivas para zika – 41 casos em 2016 –, e outros 15 exames negativos – 9 deles desde janeiro.

Na Capital, são 2.839 casos notificados de zika, com 45 confirmações – 895 em janeiro, 1.675 em fevereiro e 269 em março. No boletim divulgado na semana passada eram 2.525 notificações – 56 registrados em março.

Já a dengue tem 19.694 notificações – 1.648 em março –, 466 casos confirmados, além de 5 casos graves e três mortes. Até a semana passada – 9 de março – eram 18.058 casos de dengue notificados.

Os casos de chikungunya são 169 – 98 em janeiro, 59 em, fevereiro e 12 em março. No boletim anterior, eram 143 notificações.

Segundo o representante da Fiocruz no Estado, a falta de realização do exame que confirma a doença, em todos os pacientes com suspeita ou sintomas de zika, também contribui para a subnotificação. “Não podemos exigir diagnóstico laboratorial para todos, pois não há disponibilidade. A prioridade ainda é para as gestantes”.

A médica infectologista Márcia Dal Fabro, responsável pelo acompanhamento das gestantes com sintomas e suspeita de zika no Cedip (Centro de Doenças Infecto-parasitárias), afirma que muitos pacientes não procuram atendimento médico. “Quando os sintomas são leves as pessoas não procuram o médico, acham que é um quadro alérgico”.

Ela explica que a subnotificação é uma realidade, e também existe em casos de dengue e outras doenças. “Como todas as doenças, sempre tem escape”, disse Dal Fabro.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/10/2017 - 09h09
Cinco coisas que tornam você um ímã de mosquitos
09/10/2017 - 10h23
Mato Grosso do Sul recebe nove profissionais brasileiros do Mais Médicos
02/10/2017 - 16h24
Caminhada em Campo Grande chama a atenção para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer
19/09/2017 - 15h13
Setembro Amarelo: no mês de prevenção ao suicídio, Hospital Regional apresenta dados para alertar população
24/08/2017 - 15h35
STF decide, por maioria, proibir a comercialização do amianto
 
Últimas notícias do site
20/10/2017 - 15h38
Asfalto entre Piraputanga e Camisão vai impulsioncar ecoturismo na região
20/10/2017 - 15h06
Alerta prevê tempestades em 43 municípios de Mato Grosso do Sul
20/10/2017 - 14h13
PMA autua proprietária rural por exploração ilegal de madeira
20/10/2017 - 12h30
PMA autua jovem por manter ave silvestre em cativeiro
20/10/2017 - 11h33
Incêndio em parque estadual de MS é controlado após uma semana com ajuda de chuva, diz Imasul
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.