zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Saúde - 22/02/2016 - 11h46

Teste com máquina que suga fêmea de mosquito começa amanhã




Fotos: Fernando Antunes

Mosquito Magnet é a máquina que "engole" as fêmeas do Aedes.



Flying Insect Trap" foi outra armadilha apresentada hoje pela gestora de projetos do Instituto Seiva Brasil, Gracita Santos Barbosa.
Por Natalia Yahn do Campo Grande News / Redação Pantanal News

A máquina que “engole” a fêmea do mosquito Aedes aegypti – que transmite dengue, zika e chikungunya – vai começar a ser testada amanhã (23), no bairro Cabreúva, em Campo Grande. O funcionamento é experimental e será monitorado por 30 dias.

O aparelho Mosquito Magnet foi apresentado esta manhã (22), no prédio da Coordenadoria Estadual de Controle de Vetores, por representantes do Instituto Seiva Brasil – com sede na Capital –, que atua na área de inovações tecnológicas.

Outra armadilha para o mosquito, batizada de “Flying Insect Trap”, também foi mostrada para os técnicos da SES (Secretaria de Estado de Saúde) e da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

O Mosquito Magnet custa aproximadamente R$ 10 mil e o “Flying Insect Trap” R$ 600. Os dois equipamentos funcionam de formas parecidas atraindo a fêmea do mosquito. Mas enquanto o primeiro usa ácido lático – composto orgânico produzido pelo corpo humano – para atrair o vetor, o outro utiliza uma lâmpada e também ondas sonoras (perceptíveis apenas para o mosquito).

Apenas a fêmea hematófaga – que se alimenta de sangue –, é atraída pelo composto utilizado na máquina. "A fêmea pica porque precisa da proteína do sangue para se reproduzir, o macho só se alimenta da seiva das plantas", explicou o coordenador Estadual de Controle de Vetores, Mauro Lúcio Rosário

Os dois aparelhos são fabricados nos Estados Unidos, precisam ser instalados de forma fixa (ao abrigo da chuva) e ter manutenção semanal para continuar operando com eficácia. O Magnet, que suga o inseto, tem abrangência de 4 quilômetros e promete “atrair e matar mosquitos”. Caso aprovado ele poderá ser instalado em lugares de grande circulação de pessoas como escolas, creches, postos desaúde e até mesmo estádios.

Já o “Flying” tem eficácia de apenas 100 metros, e é mais indicado para ser usado em residências. A empresa Mosquitron, responsável pela importação dos equipamentos, deverá disponibilizar mais um lote com 2,7 mil unidades da armadilha doméstica nos próximos 10 dias.

O coordenador Estadual de Controle de Vetores, Mauro Lúcio Rosário, informou que o Mosquito Magnet será testado por 30 dias para então ser formalizada a aquisição pelo Governo do Estado. “Precismos confirmar a capacidade de sucção, a eficácia, e se vai atender nossas necessidades, para então adquirirmos”, afirmou.

A gestora de projetos do Instituto Seiva Brasil, Gracita Santos Barbosa, explicou que trabalha agora para reduzir o valor dos aparelhos. “Queremos que o Ministério da Saúde reconheça ambos como utilidade pública. Se isso acontecer os impostos para importação serão reduzidos. No caso da armadilha residencial (“Flying”) o preço poderá diminuir até 40%”, explicou.

Ela disse ainda que os aparelhos já foram testados em outros lugares como em Valinhos e Campinas – ambos municípios em São Paulo –, e também em Recife (PE) e Maceió (AL). “Estou apresentando mais uma possibilidade para combater a dengue. É uma máquina sustentável, utiliza apenas quatro pilhas e um botijão de gás durante um mês inteiro”, explicou Gracita.

A partir de amanhã (23) o equipamento começa a funcionar, em um local ainda não revelado pela SES e pela Sesau. Técnicos da área vão monitorar diariamente o aparelho Mosquito Magnet, para fazer a contagem dos mosquitos sugados. “Se for eficiente podemos adquirir e recomendar para que os demais municípios tenham também”, afirmou o coordenador da SES, Mauro Lúcio.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/10/2017 - 09h09
Cinco coisas que tornam você um ímã de mosquitos
09/10/2017 - 10h23
Mato Grosso do Sul recebe nove profissionais brasileiros do Mais Médicos
02/10/2017 - 16h24
Caminhada em Campo Grande chama a atenção para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer
19/09/2017 - 15h13
Setembro Amarelo: no mês de prevenção ao suicídio, Hospital Regional apresenta dados para alertar população
24/08/2017 - 15h35
STF decide, por maioria, proibir a comercialização do amianto
 
Últimas notícias do site
20/10/2017 - 15h38
Asfalto entre Piraputanga e Camisão vai impulsioncar ecoturismo na região
20/10/2017 - 15h06
Alerta prevê tempestades em 43 municípios de Mato Grosso do Sul
20/10/2017 - 14h13
PMA autua proprietária rural por exploração ilegal de madeira
20/10/2017 - 12h30
PMA autua jovem por manter ave silvestre em cativeiro
20/10/2017 - 11h33
Incêndio em parque estadual de MS é controlado após uma semana com ajuda de chuva, diz Imasul
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.