zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Saúde - 04/12/2015 - 07h38

Aumenta procura por repelentes contra mosquito em Campo Grande

Segundo a Saúde, em MS são 34 mil notificações de dengue e 16 mortes. Orientação dos especialistas é de aplicar o produto a cada três horas.




Por G1 MS com informações da TV Morena / Redação Pantanal News

A prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças contra dengue, chikungunya e zika vírus, tem aumentado a procura por repelentes em farmácias e estabelecimentos comerciais em Campo Grande.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES) são 34 mil casos notificados de dengue e 16 mortes pela doença, 116 notificações de chikungunya e 21 casos de investigação de zika vírus.

A orientação dos especialistas é de aplicar o repelente a cada três horas e passar o produto sempre por último, depois do filtro solar, do hidratante ou maquiagem, por exemplo. Aplicar o produto sobre a roupa também é uma das dicas para evitar o contato com o mosquito.

No caso de gestantes, a maior preocupação é com o zika vírus, porque a doença pode provocar microcefalia em bebês e a síndrome de Guillain-Barré, em pacientes de qualquer idade.

Doenças
A microcefalia é uma má formação na cabeça das crianças, que deixa o crânio menor e afeta o desenvolvimento neurológico do bebê. Já a síndrome de Guillain-Barré tem como características fraqueza muscular e paralisia nos músculos e pode provocar até paralisia total, além de atingir os músculos respiratórios e cardíaco, levando à morte.

Em 2014, mais de 65 mil pessoas foram atendidas na rede pública de saúde em todo o país, por conta da síndrome, segundo o Ministério da Saúde.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
13/10/2017 - 09h09
Cinco coisas que tornam você um ímã de mosquitos
09/10/2017 - 10h23
Mato Grosso do Sul recebe nove profissionais brasileiros do Mais Médicos
02/10/2017 - 16h24
Caminhada em Campo Grande chama a atenção para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer
19/09/2017 - 15h13
Setembro Amarelo: no mês de prevenção ao suicídio, Hospital Regional apresenta dados para alertar população
24/08/2017 - 15h35
STF decide, por maioria, proibir a comercialização do amianto
 
Últimas notícias do site
20/10/2017 - 15h38
Asfalto entre Piraputanga e Camisão vai impulsioncar ecoturismo na região
20/10/2017 - 15h06
Alerta prevê tempestades em 43 municípios de Mato Grosso do Sul
20/10/2017 - 14h13
PMA autua proprietária rural por exploração ilegal de madeira
20/10/2017 - 12h30
PMA autua jovem por manter ave silvestre em cativeiro
20/10/2017 - 11h33
Incêndio em parque estadual de MS é controlado após uma semana com ajuda de chuva, diz Imasul
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.