CARNAVAL CORUMBÁ 2018 II
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Aldeias do Pantanal - 22/10/2015 - 06h50

Subsecretaria Indígena trabalha por agricultura familiar e pede paz e diálogo para resolver conflitos




Divulgação

Por Luciana Brazil do Notícias MS/ Redação Pantanal News

Campo Grande (MS) – Trabalhando para dar oportunidade às populações indígenas nas aldeias de Mato Grosso do Sul, a titular da Subsecretaria de Políticas Públicas Indígena, Silvana Albuquerque, afirma que os índios precisam de oportunidade de crescimento. É a primeira vez que Mato Grosso do Sul possui uma subsecretaria específica para tratar dos índios.

Com discurso pela paz e diálogo, Silvana ressaltou ainda a inserção da agricultura familiar como importante meio de desenvolvimento da comunidade, sendo também este o principal desafio da subsecretaria a ser cumprido nos próximos anos.

Criada pelo governador Reinaldo Azambuja, a subsecretaria tem objetivo de trabalhar políticas públicas de inclusão em todas as áreas e segmentos para os povos indígenas.

“O primeiro passo a ser trabalhado é desfazer o modelo inserido nas nossas aldeias, um modelo de assistencialismo, que apenas dá ao índio, mas não oferece oportunidade de crescimento profissional ou de iniciar a agricultura familiar. A maior demanda do Estado é a terra. Além da educação e a cultura, precisamos ter um programa específico para agricultura familiar em Mato Groso do Sul”, disse a subsecretária.

Silvana credita que com a criação do Plano Estadual Indígena haverá o fortalecimento da cultura e ordenação do trabalho indígena. Elaborado pela Secretaria, o programa já encaminhado ao Governo do Estado e será inserido no Plano Plurianual.

“Nós vamos trabalhar a questão da agricultura familiar por meio do Plano Estadual Indígena. O índio quer viver com dignidade. A terra não é geração de alta renda, é de pouca. O que o meu povo precisa é ser respeitado, viver com dignidade e pregar a paz. Precisamos de paz, precisamos dialogar”,afirmou.

A intenção da subsecretaria é levar este programa até Assembleia Legislativa para que a proposta se torne projeto de lei beneficiando a comunidade de forma duradoura. E foi desta forma, consultando os índios, que o Plano foi elaborado pela pasta.

“Não podemos mais errar e somente consultando o indígena teremos bons resultados. Muitos programas, projetos e ações já foram feitos, mas do gabinete pra dentro. Mas nunca ninguém foi consultar a base, os caciques, as lideranças, os segmentos da juventude, dos professores, da cultura, dos artesãos, para perguntar o que eles querem quanto às políticas efetivas. A nossa função é ser porta-voz da nossa comunidade para o governador. Quando há essa consulta, o índio se sente respeitado no seu direito de cidadão”, esclareceu.

Em respeito ao povo indígena no Estado – 78 mil, divididos em oito etnias-, Silvana garante que é preciso percorrer as aldeias e ouvir as comunidades. “Eu sou indígena e sei o que meu povo quer? Não, porque não estou no dia a dia. Por isso, vamos para as aldeias para ouvir as demandas”, disse.

Às vésperas do I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que começa essa semana no Brasil, a subsecretária salienta o momento de celebração entre os povos. “A identidade do nosso povo indígena é a nossa cultura, então se você não valorizar, não fomentar, fica no esquecimento.  É um momento de celebração, é uma oportunidade de interagir com outros povos”.

Sobre as demarcações de terras, Silvana lembra que o papel da pasta é trabalhar políticas públicas para beneficiar as comunidades. “A demarcação de terras está em uma instância judicial. Ser indígena é motivo de orgulho e superação. A mensagem é de diálogo. Precisamos construir juntos um caminho ”.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
26/10/2017 - 07h05
MS: Cestas de alimentos beneficiam 2.855 mil famílias indígenas
05/05/2017 - 16h18
Campanha de vacinação dos povos indígenas 2017 começa nesta sábado
23/03/2017 - 10h58
Mato Grosso do Sul: Indígenas recebem cestas de alimentos da Conab
09/02/2017 - 10h14
Presidente nacional da Funai visita Dourados e áreas de conflito em MS
23/01/2017 - 07h27
Mitologia dos índios Guaranis vai representar o Brasil no Festival de Berlim
 
Últimas notícias do site
19/01/2018 - 15h00
Agenda Cultural: fim de semana está repleto de opções com samba, rock, pop e funk
19/01/2018 - 13h00
Inmet alerta para chuvas intensas e ventos de até 100 km por hora em MS
19/01/2018 - 08h32
Fazendeiro é autuado em R$ 159 mil por desmatamento ilegal
19/01/2018 - 07h35
Carnaval de Corumbá terá Axé Blond, Revelação e baterias da Mangueira e Gaviões da Fiel
19/01/2018 - 07h10
Carnaval de Corumbá: atrações tem até hoje para realizar cadastro
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.