zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Política - 23/09/2015 - 10h43

Delcídio quer continuar mobilização para manter vetos ainda não apreciados pelo Congresso




Divulgação

Delcídio defende continuidade da mobilização para concluir votação dos vetos ainda este mês
Por Assessoria / Redação Pantanal News

O  líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT/MS), defende a manutenção da mobilização dos partidos da base aliada no Congresso Nacional, a fim de manter os vetos a projetos ainda não votados, que desequilibram o Orçamento da União e prejudicam o Brasil.

“Vou me reunir ainda hoje (23) com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e pedir a convocação de uma nova reunião do Congresso ainda este mês para deliberar sobre os vetos que restam na pauta. Temos que tirar isso da frente. A ideia é a acelerar o que falta das votações. Temos outros projetos que estão dependendo delas para entrar na pauta. A oposição reclamava que a gente não dava quórum e ontem quem obstruiu foi a oposição”, argumentou. A derrubada de qualquer veto da Presidência da República exige apoio de pelo menos 41 senadores e 257 deputados.

Na madrugada desta quarta-feira, após quase seis horas, a sessão do Congresso Nacional destinada a analisar 32 vetos da presidente Dilma Rousseff foi suspensa sem que temas polêmicos, como o reajuste de até 78% para servidores do Judiciário fossem votados. O quórum começou a diminuir depois que partidos de oposição passaram a recomendar aos parlamentares de suas bancadas a obstrução da sessão. Mesmo assim, deputados e senadores  votaram 26 dos 32 vetos e todos foram mantidos . A apreciação dos seis vetos restantes depende agora de uma nova sessão conjunta do Congresso ,  em data a ser definida.

Parte das matérias vetadas elevaria despesas públicas e dificultaria o ajuste fiscal do governo, que busca evitar déficit no Orçamento da União do ano que vem. Uma eventual derrubada de todos os vetos geraria um gasto extra para o governo de R$ 23,5 bilhões no ano que vem, segundo estimativa do Ministério do Planejamento. Entre os mantidos, está o veto ao texto que acabou com o fator previdenciário e estabeleceu a regra 85/95 para a aposentadoria. Se o veto da presidente Dilma Rousseff tivesse sido derrubado, o gasto adicional com aposentadorias seria de R$ 132 bilhões até 2035.

Articulação – Delcídio trabalhou intensamente para que o governo tivesse um resultado favorável nesta terça-feira.

“Nós estamos trabalhando desde a semana passada nisso. Estamos fazendo um esforço grande para manter os vetos e, ao votar os vetos, que tenhamos condições de aprovar o PLN 5 , que diz respeito a recursos dos restos a pagar do governo federal a estados e municípios. Vários prefeitos e governadores estão aguardando por isso. No Senado, a gente percebe nitidamente que os senadores e senadoras  têm noção do momento, da responsabilidade que têm numa votação tão importante como essa. Conversei com todas as bancadas, não só com as lideranças, mas com  parlamentares do governo e da oposição. A gente está fazendo um trabalho absolutamente democrático , que é fundamental a manutenção desses vetos pelos impactos que a derrubada deles provocaria nas contas públicas. Se você mensurar o tamanho do buraco fica assustado. É quase o dobro do esforço que estamos fazendo para ajustar o Orçamento da União. Por isso, os vetos têm que ser mantidos. Nós precisamos dar um sinal e tranquilizar a economia brasileira. Eu fui um dos primeiros líderes a defender essa posição”, lembrou o senador.

Para o líder do governo, deputados e senadores da base aliada demonstraram unidade durante a sessão desta terça-feira.

“Acho que a presidenta Dilma tem condição de manter essa mobilização, que foi  muito forte. Ontem , tivemos um dia importante e tenho impressão que, nos próximos dias,  o mercado fará uma leitura  favorável do comportamento das decisões que tomamos no Congresso”, afirmou o líder do governo.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
23/10/2017 - 09h54
Prefeito de Corumbá representa o Brasil em seminário internacional do FONPLATA sobre hidrovia
20/10/2017 - 08h40
Corumbá tem dois projetos selecionados para fase nacional do prêmio MPT na Escola
19/10/2017 - 07h52
Deputado Dr. Paulo Siufi homenageia médicos com a Medalha do Mérito Médico
18/10/2017 - 06h17
Deputado Dr. Paulo Siufi homenageia personalidades com Título de Cidadão Sul-mato-grossense
17/10/2017 - 16h02
Aprovado projeto que incentiva entidades filantrópicas
 
Últimas notícias do site
23/10/2017 - 09h54
Prefeito de Corumbá representa o Brasil em seminário internacional do FONPLATA sobre hidrovia
23/10/2017 - 08h55
Semana em MS começa com 169 vagas em concursos públicos
23/10/2017 - 07h41
PMA e parceiros realizam Educação Ambiental para alunos em escolas ribeirinhas e indígenas
23/10/2017 - 07h40
Em oito dias, Mato Grosso do Sul registra queda de 55 mil raios
23/10/2017 - 07h02
Medidas anunciadas por Temer farão ressurgir o rio Taquari, diz Ruiter
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.