zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Artigos - 05/08/2015 - 06h37

Sangradouro - Farol da Ponta da Alegria (II Parte)




Fotos: Divulgação










Por Hiram Reis e Silva (*)

Hiram Reis e Silva (*), Bagé, RS, 06 de fevereiro de 2015

 

Os Argonautas

(Apolônio de Rodes)

 

Nenhuma das aves passa por ali, nem as tímidas pombas, que a ambrosia

(o manjar divino) levam para Zeus pai; Sempre a lisa pedra detém uma delas;

outra, porém, o pai envia para completar o número;

por ali, nunca escapou nau dos homens, que depois voltasse, mas,

ondas do mar e tempestades de fogo destruidor levam

as tábuas das naus e os corpos dos homens. [...]

 

A nau deslizou para dentro do mar; eles, em seguida, puxando-a para trás,

impediam-na de ir mais adiante. Dispuseram os remos nas cavilhas pelos dois lados, e

colocaram o mastro, as velas bem trabalhadas e os víveres. [...]

 

batiam com os remos na água do mar impetuoso, e ondas barulhentas se chocavam contra a nau. A água negra do mar corria espumante de um lado a outro,

ribombando terrível sob o vigor destes homens muito fortes. [...]

Todos os deuses, naquele dia, olhavam do alto do céu a nau e a raça

de semideuses, os melhores que, naquele tempo, navegaram pelo mar. [...]

Partida do Sangradouro (28.12.2014) 

Acordamos, eu e o professor Hélio, antes do alvorecer, desarmamos o acampamento atormentados por um enxame frenético de carapanãs e fomos tomar o café a bordo do Zilda III onde encontramos o Brian pescando e o Coronel Pastl ultimando os preparativos para o desjejum. Depois da refeição matinal embarcamos em nossos inigualáveis caiaques oceânicos “Cabo Horn” da Opium Fiberlass com a mesma inquebrantável determinação dos Argonautas de outrora ‒ realizar a inédita Circum-navegação da Lagoa Mirim de caiaque, a maior Lagoa brasileira. Inspirados pelos versos de Rodes, mas fiéis à nossa fé monoteísta, tínhamos a certeza de estarmos sendo observados pelos olhos atentos do Grande Arquiteto do Universo e Senhor de todos os exércitos o que nos inspirava a prosseguir e alcançar sucesso na nossa afanosa e arriscada epopeia. 

Afastamo-nos da costa com o intuito de deixar para trás os incômodos e famintos insetos. O artifício funcionou e o Hélio, em tom de brincadeira, afirmou que o nome de Sangradouro deve ter sido dado em virtude da voracidade destes pequenos e incômodos vampiros. Os ventos de proa, que nos fustigariam durante toda a travessia, freavam nossa progressão cuja velocidade girava em torno dos 6,5 km/h. 

Depois de remar por mais de uma hora, aproximadamente uns 8 km, ‒ quando passávamos pela Foz do Arroio das Palmas (ou Parapó ‒ 32°10’15,3”S / 52°43’32,1”O), que mais à montante, a partir do Passo do Parapó, serve de divisa entre os Municípios de Arroio Grande e Pedro Osório, observamos o veleiro saindo lentamente do Canal São Gonçalo. 

Ultrapassamos a Ponta Luís dos Pobres, tangenciando os sarandis (ou Branquilhos ‒ Sebastiana schottiana), que na fase adulta ultrapassam os três metros de altura, e que estavam quase totalmente submersos. Resolvo sondar a profundidade no local e verifico que ela ultrapassa os 2,5 m. Nessa oportunidade avistamos, ao longe, um bom local de parada 4 km ao Norte do Arroio Chasqueiro (32°16’05,3”S / 52°47’14,4”O) onde aportamos, às 09h30, depois de remar por três horas e percorrer 20 km, numa praia (32°13’47,6”S / 52°46'33,8”O) tomada pelas águas em frente a uma bela mata nativa. 

Aproveitamos para repor as energias nos hidratando e comendo algumas barras de cereais além de fotografar a vegetação eolicamente esculpida. Algumas figueiras tinham tombado sucumbindo à ação solerte e contínua das águas e dos ventos, mas aferravam-se à vida moldando seus troncos, galhos e raízes à nova realidade emprestando à paisagem mais que um exemplo de determinação e vontade, mas de como se pode mudar a cena de um cataclismo em um monumento de fé e de esperança. A beleza do local nos contagiou, além dos monumentos arbóreos as enormes bromélias e barbas de bode agitadas ao vento e outras tantas epífitas, empoleirados nos seus galhos emprestavam-lhes um encanto especial. 

Descansados navegamos 15 km, enfrentando ventos de proa de mais de 20 km/h, passamos pela Foz do Arroio Canhada (Foz 32°18’59,6”S / 52°48’29,7”O) e chegarmos à Foz do Arroio Grande (32°20’43,3”S / 52°47’21,6”O), por volta das 12h00, onde nos aguardavam os amigos velejadores para o almoço. Almoçamos e partimos depois de acordarmos de que eles pernoitariam na Foz do Arroio Bretanhas (32°29’21,6”S / 52°58’08,6”O) e nós no Farol da Ponta Alegre. Fizemos a última parada do dia na Ponta Alegre, às 15h00, onde encontramos vestígios de um acampamento de pescadores totalmente tomado pelas águas. Aportamos nas proximidades do Farol da Ponta Alegre às 16h15 depois de remar 48 km desde o Sangradouro. Como o Farol e as casas dos faroleiros não permitiam que acantonássemos resolvemos montar a barraca na praia em um local protegido dos ventos por pequenas dunas. 

Farol da Ponta Alegre 

O Farol de torre quadrangular de alvenaria, antigamente pintado de branco, com 16 metros de altura, e as duas casas dos faroleiros, ficavam localizados a aproximadamente um quilometro a Sudoeste da Ponta Alegre (32°24’53,6”S/52°45'29,7”O). O assoreamento provocado por uma centúria estendeu os limites da Ponta Alegre e em consequência a distância do Farol quintuplicou diminuindo, também, a distância entre a Margem Oriental e Ocidental da Lagoa. 

O complexo foi inaugurado no dia 20.09.1908 e sua luz branca era visível, com tempo claro, a 21 km de distância. Embora mal conservado e apresentando alguns sinais visíveis de deterioração pela ação do tempo e vandalismo sua robusta estrutura, com mais de cem anos, é um marco memorável ‒ um ciclope que assiste estático e impassível a marcha inexorável do deus Chronos e seus prosélitos devastadores. 

Sua magnífica escadaria helicoidal de ferro, ainda que totalmente exposta à ação das intempéries resiste estoicamente permitindo ao visitante chegar ao seu topo com toda segurança. 

Ângelo Moniz da Silva Ferraz (Barão de Uruguaiana), Presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, encarregou, em 03.11.1857, Francisco José de Sousa Soares de Andrea (Barão de Caçapava) de formalizar um parecer técnico a respeito da localização dos faróis que deveriam ser edificados à margem da Lagoa Mirim para tornar sua navegação segura. O parecer que recomendava a construção de dois faróis na Margem Ocidental ‒ um na Ponta Alegre e outro na Ponta do Juncal e na Margem Oriental ‒ na Ponta de Santiago foi aprovado. O Governo Imperial, embora reconhecesse a necessidade dos mesmos, alegava problemas financeiros para a sua construção que mais tarde foram agravados com a eclosão da Guerra do Paraguai. 

Vídeos 

Circum-navegação da Lagoa Mirim
(27.12.2014 a 10.01.2015)
 

I Parte: Canal São Gonçalo – Sangradouro (27.12.2014)
https://www.youtube.com/watch?v=jdlkYAA4D5c

II Parte: Sangradouro – Jaguarão (28 a 31.12.2014)
https://www.youtube.com/watch?v=lZGalACE8kA&feature=youtu.be

III Parte: Ilha Grande do Taquari – Santa Vitória do Palmar (01 a 03.01.2015)
https://www.youtube.com/watch?v=k3sJE1eBlT8&feature=youtu.be

IV Parte: Santa Vitória do Palmar – Taim (04 a 07.01.2015)
https://www.youtube.com/watch?v=A1sSpMFqiP4&feature=youtu.be

V Parte (Taim): Taim (08.01.2015)
https://www.youtube.com/watch?v=-u3XKVdjFwg

VI Parte: Taim – Pelotas (09 a 10.01.2015)
https://www.youtube.com/watch?v=FSPiNDzhTL8&feature=youtu.be

 

Fonte: CALDAS, Thais Evangelista de Assis. Os Argonautas, de Apolônio de Rodes, e a tradição literária ‒ Brasil ‒ Rio de Janeiro ‒ PROAERA ‒ UFRJ, 2010.

 

 

(*) Hiram Reis e Silva é Canoeiro, Coronel de Engenharia, Analista de Sistemas, Pesquisador, Professor, Palestrante, Historiador, Escritor e Colunista;

Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);

Pesquisador do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx);

Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);

Presidente do Instituto dos Docentes do Magistério Militar – RS (IDMM - RS);

Sócio Correspondente da Academia de Letras do Estado de Rondônia (ACLER)

Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);

Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS);

Colaborador Emérito da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).

Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional (LDN).

E-mail: hiramrsilva@gmail.com;

Blog: desafiandooriomar.blogspot.com.br

Os artigos publicados com assinatura não representam a opinião do Portal Pantanal News. Sua publicação tem o objetivo de estimular o debate dos problemas do Pantanal do Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, garantindo um espaço democrático para a livre exposição de correntes diferentes de pensamentos, idéias e opiniões. 

 

Escreva para redacao@pantanalnews.com.br

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/05/2017 - 09h01
Heraldo Pereira e Bosco Martins: um breve reencontro entre amigos
04/05/2017 - 14h30
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte VI
02/05/2017 - 11h08
O poeta de Sobral
24/04/2017 - 09h53
Dr. Francisco Cavalcante Mangabeira – Parte V
20/04/2017 - 15h12
Adolescentes em risco de suicídio e o jogo da Baleia Azul
 
Últimas notícias do site
26/05/2017 - 12h16
Projeto prevê salas de amamentação em shoppings, aeroporto e igrejas
26/05/2017 - 11h48
Polícia Militar capturou quatro foragidos da justiça nos últimos dias
26/05/2017 - 10h59
PMA apreende meia tonelada de pescado e aplica R$ 33 mil em multas
26/05/2017 - 10h20
Fim de semana em MS tem eventos gratuitos na capital e no interior
26/05/2017 - 09h25
7º Batalhão da PM fecho o cerco contra assaltos à bancos
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.